Professor de muay thai é indiciado por assédio sexual
Reprodução
Professor de muay thai é indiciado por assédio sexual

O professor de muay thai Edson Souza está sendo indiciado pelos crimes de assédio sexual e importunação sexual contra quatro de suas alunas. Segundo o jornal O Globo, a 5ª DP (Mem de Sá), localizada no contro do Rio de Janeiro, está investigando os crimes que teriam sido cometidos de 2015 a 2018 na academia Art Fighters, da qual o treinador é um dos sócios, que fica na Lapa.

De acordo com as denúncias das quatro ex-alunas, Edson Souza levaria adolescentes usando roupa íntima para pesagens e realizava toques libidinosos durante sessões de massagem. O treinador também teria esfregado o pênis ereto nas jovens, pedido foto delas nuas e relatado ter sonhos eróticos e se masturbar pensando nas alunas.

Uma das mulheres que denunciou o professor foi a campeã mundial de muay thai Fernanda Santos Ávila Rigueiro Barbosa. Ela tem 18 anos e frequentou a academia dos 12 aos 15 anos. A lutadora contou que Edson a assediou durante uma sessão de massagem em 2018.

"Treinávamos de domingo a domingo, o que acabou gerando uma relação de muita proximidade e confiança. Com o tempo, fui percebendo, ao ganhar mais corpo, algumas maldades desnecessárias e constrangedoras. Fiquei desolada e decidi largar o esporte. Mas tudo que vivi continuava me traumatizando e eu senti que precisava tomar uma providência, não só em relação a mim, mas também por todas que sofrem caladas nesse tipo de situação", conta.

As outras três vítimas relatam situações semelhantes. Elas falam que o professor esfregou o pênis nelas, que ele as enviou mensagens de caráter sexual e disse que se masturbava e tinha sonhos eróticos com elas. Segundo o delegado da 5ª DP Bruno Gilabert, houve um padrão comportamental criminoso. Ele também ressalta que o instrutor "prevalecia-se da ascendência que mantinha sobre as atletas para buscar a satisfação de sua libido, constrangendo-as ou importunando-as".

"É importante ressaltar que o crime de importunação sexual não pressupõe a existência de violência ou grave ameaça. Ainda que a vítima não seja efetivamente violentada, o simples fato de o autor praticar um ato libidinoso sem autorização já é uma atitude criminosa por si só. Já o assédio sexual pressupõe que o autor tenha sobre a vítima algum tipo de poder, decorrente de superioridade hierárquica ou ascendência, e busque por um favorecimento sexual. Além disso, é importante frisar também que, mesmo que a vítima tenha sofrido algum crime contra sua dignidade sexual na infância ou adolescência, ela pode procurar a polícia tão logo complete 18 anos sem a preocupação com a prescrição, já que uma modificação recente na lei penal permite que a maturidade auxilie na compreensão e na hora da tomada de decisão", explica o delegado.

A defesa de Edson Souza disse que recebeu as denúncias com indignação e surpresa. Os advogados do professor de mauy thai também declararam que espera o arquivamento do caso pelo Ministério Público. "As comunicações dos supostos delitos ocorreram mais de três anos após os alegados episódios. Uma das supostas vítimas participava normalmente dos treinos até maio de 2021. Não veio aos autos nenhum print das alegadas conversas inapropriadas. A única testemunha indicada pelas vítimas, ao ser intimado, negou ter presenciado qualquer comentário ou comportamento suspeito", diz a defesa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários