A australiana Carol Mayer tinha apenas 50% de chance de sobreviver após um incêndio em sua casa há 20 anos que a deixou com 85% do corpo queimado. Hoje, aos 53 anos de idade, ela foi fotografada pelo britânico Brian Cassey para o livro “Retrato da Humanidade 2020”, onde aparece como um símbolo de resiliência.

mulher com queimaduras pelo corpo
Reprodução/Instagram/brian_cassey
Carol Mayer teve 85% do corpo queimado em um incêndio em casa

Leia também:

Ao Metro, ela fala sobre a experiência de ser fotografada. “É fisicamente e mentalmente difícil para qualquer ser humano lidar com as queimaduras. Mas se você tem vontade de lutar, que é o que eu tenho, consegue transmitir coragem e determinação”, diz. 

Carol comenta que apesar das dificuldades, gosta de manter uma perspectiva positiva. “O ‘bom’ das queimaduras é que você só pode melhorar, não dá para piorar. Tem que ser paciente, mas você aprende a aceitar”. 

Ela ainda fala que não foi simples se deixar ser fotografada e que se sentiu vulnerável durante os cliques, principalmente porque não estava usando uma faixa no cabelo -- acessório que a deixa mais segura. Porém, aos poucos, foi se soltando e reconheceu o significado da sua foto. 

“É para as pessoas perceberem três coisas: que a sua vida pode acabar em um piscar de olhos, que você precisa ter o espírito para lutar, e que é preciso aceitar, seguir em frente e manter a cabeça erguida. Quero mostrar às pessoas que você não precisa ter medo de mostrar quem realmente é”, completa.

    Veja Também

      Mostrar mais