Se distanciar socialmente por causa da pandemia do novo coronavírus pode ser um desafio e tanto para todos, mas convencer os idosos a ficarem em casa é tão complicado quanto o isolamento. Eles fazem parte do  grupo de risco da Covid-19 e por isso devem seguir as orientações da quarentena , mas muitos insistem em ir para a rua, fazer uma caminhada ou manter hábitos. 

Apesar de todos os avisos, muitos idosos ainda saem de casa e continuam com a rotina
shutterstock
.

Uma delas é a avó de 68 anos da estudante Maria Fernanda Vieira, mais conhecida como Nanda. Mesmo com todas as instruções e notícias enviadas, a senhora ainda sai e se encontra com amigas também idosas.

Nanda diz que a avó “acha que está tudo bem e ainda não entende que mesmo não tendo caso na cidade dela (Rancharia -SP), caso chegue, a doença vai se espalhar rapidamente. "Mas o maior problema é que ela acredita em receitas caseiras e notícias falsas pelo whatsapp", completa a neta.

Na casa de Christopher Homero, de 24 anos, todos estão bem conscientes, mas a avó, o pai e os tios paternos não entendem a gravidade da situação. “Tento enviar vídeos e informações para incentivar eles a tomarem precauções, mas eles ainda não tomam todos os cuidados necessários e continuam a sair de casa”.

Leia também: Tédio, ansiedade e mais: como lidar com os efeitos do isolamento social?

A avó de consideração de 78 anos da estudante Gabriela Travasso também não compreende a necessidade da quarentena. "Ela diz que só fica em casa se amarrarem ela. Pensa que por não ter nada pode sair tranquila de casa, e quando chega da rua, lava o braço com álcool pensando que assim se livra do coronavírus", afirma Gabriela.

E até semana passada o avô de 80 anos de Júlia Valverde continuava com a vida normal, indo para a academia e até passeando pelo shopping. “Ele não entende o porquê de ficar em casa, só parou de ir em certos lugares porque tudo fechou . Agora só sai para comprar comida, mas ainda assim a família se preocupa”, fala a neta. 

Isolamento é necessário

O isolamento social é a melhor forma de evitar o contágio pelo coronavírus
shutterstock
15 anos – bodas de amor eterno


Por mais difícil que possa ser, o melhor é seguir conversando com os idosos para que eles entendam que precisam se cuidar nesse momento de pandemia .

Segundo a médica Ana Carolina Rocha, somente o confinamento pode conter o avanço da epidemia do coronavírus . Para entender melhor, ela explica que uma pessoa pode ter a doença incubada por até 27 dias e mesmo sem apresentar sintomas, pode passar a doença para até três pessoas, segundo a média estudada.

Além disso, uma simples saída pode colocar os idosos e todos em risco porque as partículas do vírus ficam por horas nas roupas de quem foi contaminado, passando a doença para a frente. 

E como convencer os idosos a ficarem em casa?

cartaz para os avós
Débora Elias / Arquivo Pessoal
Lívia e Theo fizeram os cartazes para tentar convencer os avós a não sairem de casa durante a quarentena

Se só a conversa com seus pais, avós ou tios não deu certo, pode tentar seguir algumas ideias. Dois irmão de São Paulo prepararam cartazes cheios de amor pedindo que os avós fiquem em casa neste momento. 

Já um inglês fez sucesso no Facebook e na imprensa britânica ao mostrar uma caixa que havia preparado para os pais. Ele a chamou de caixa anti tédio

Além disso, vale sempre ressaltar que o isolamento da quarentena não significa abondono. É preciso manter contato com os idosos, seja por telefone ou videochamada ou mesmo uma visita segura

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários