A pandemia do novo coronavírus obrigou as pessoas a mudarem a rotina. A recomendação é ficar em casa e manter o isolamento social, principalmente quem está nos grupos de risco, como os idosos. Mas a distância pode ser apenas física, não emocional. 

A atitude das crianças Livia, de 10 anos, e Theo, de 5 anos, é uma prova disso. Eles moram em São Paulo, epicentro da disseminação do coronavírus no Brasil. Uma das recomendações é que os idosos não fiquem com seus netos, pois as crianças podem ser vetores de transmissão do Covid-19 . Os pequenos, com a ajuda dos pais, Gabriel Elias e Fernanda Torres, decidiram então mandar um recado aos avós, mantendo uma distância segura. 

Ao lado dos pais, os irmão saíram na terça-feira (18) para as compras antes da quarentena. Eles já sabiam da resistência dos avós, de 72 e 81 anos, em permanecerem em casa. Diante disso, resolveram aproveitar a ida ao mercado para "dar um tchauzinho para os avós de longe", conta o pai das crianças. 

A solução foi produzir um cartaz com um recadinho carinhoso para os avós . A família foi até o prédio onde os idosos moram com a filha e irmã de Gabriel, Débora Elias, e exibiram o cartaz pela janela. 

São Paulo estava com uma tarde de sol na terça-feira, então, para que os avós entendessem mesmo o recado que era exibido ali da rua, Gabriel enviou uma foto do cartaz para Débora mostrar aos pais. 

Leia também: Coronavírus: idosos são grupo de risco e exigem cuidados em dobro na prevenção

Segundo o pai, além de a ideia do cartaz ter distraído as crianças em um momento tão sério, os avós amaram a visita de longe e “até entenderam o recado, mas por eles, os dois teriam descido para dar um beijo nas neles”. 

Depois da "exibição", Livia e Theo deixaram o cartaz na portaria do prédio. "As crianças fizeram questão de deixar o presente, cheio de amor e de carinho, na portaria para retirarem depois", detalha Gabriel.

Ficar longe dos entes queridos pode ser ruim, mas a forma mais segura até de demonstrar carinho é essa. “Essa situação de pandemia é nova para todos e tivemos que descobrir uma nova forma de se sentir mais próximos”, resume o pai de Livia e Theo. 

Outras ações para se aproximar dos idosos no isolamento social

idosa no celular
shutterstock
Para continuar com o convívio, uma boa dica é usar o celular para fazer videochamadas

A tecnologia também pode ajudar nesse período. Algumas casas de repouso estão, por exemplo, substituindo as visitas por chamadas de vídeo feitas por celular ou computador. Com isso, os idosos podem conversar com a família sem riscos de se contaminarem com o novo coronavírus e sem terem um isolamento social total. Usar esse recurso também já foi uma orientação das autoridades de saúde. 

Leia também: Asilos de São Paulo reforçam prevenção contra coronavírus em idosos

O importante é manter a distância segura dos idosos, mas sempre pensando em formas criativas para não deixá-los sozinhos. 

    Veja Também

      Mostrar mais