Tamanho do texto

Catrin Pugh participará de uma campanha da Avon e deseja mais modelos fora dos padrões na indústria. A dançarina Sophie Lee é outro exemplo. Com queloides no rosto, ela fala que a beleza é superficial e quer inspirar jovens

Em 2013, Catrin Pugh, uma jovem de 25 anos de Wrexham, no País de Gales, sofreu um acidente de ônibus voltando de uma viagem dos Alpes Franceses que a deixou com 96% do corpo queimado . Agora, seis anos depois, a jovem foi escolhida pela marca de cosméticos Avon para estrelar sua nova campanha publicitária de batons intitulada “Perfect Nudes”.

Catrin Pugh irá estrelar a campanha publicitária da Avon, que visa trazer modelos com diferenças visuais em suas ações
Reprodução/Avon/DailyMail
Catrin Pugh irá estrelar a campanha publicitária da Avon, que visa trazer modelos com diferenças visuais em suas ações

Catrin, que é embaixadora da Changing Faces , instituição de caridade do Reino Unido para pessoas que possuem marcas, cicatrizes e outras necessidades, foi escolhida para participar da campanha publicitária - que será lançada em 15 de março - como parte da decisão da empresa de usar modelos mais diversos em suas campanhas.

De acordo com informações do jornal Daily Mail , a Avon é a primeira marca de beleza a se inscrever para a Changing Faces . O objetivo é ter mais pessoas com diferenças visuais para representar suas ações de beleza e moda. O movimento vem depois que marca anunciou a Stand4her , uma iniciativa global que visa melhorar a vida de 100 milhões de mulheres a cada ano.

A ideia da Stand4her surgiu após uma pesquisa feita com 14 mil mulheres em todo o mundo. Com os resultados do estudo, a marca descobriu que 40% delas não se enxergam no que vem sendo representado pela mídia, o que a levou a avaliar as pessoas do sexo feminino em suas próprias campanhas. Dados ainda indicam que 80% sentem pressão para ser “perfeitas” e 60% se sentem pressionadas para cumprir determinado padrão de beleza .

“Estou muito animada por trabalhar neste projeto. Fazer parte de uma campanha de beleza que desafia os estereótipos de beleza tradicionais e o estigma em torno de ‘parecer diferente’ é tão refrescante. Ao apresentá-la, quero enviar a mensagem de que tudo bem ser diferente e que a verdadeira beleza é ter orgulho de ser você mesma”, declara Catrin.

Detalhes da vida de Catrin

Ao participar da campanha publicitária, Catrin espera transmitir que a verdadeira beleza é ter orgulho de você mesma
Reprodução/Instagram/catrinpugh
Ao participar da campanha publicitária, Catrin espera transmitir que a verdadeira beleza é ter orgulho de você mesma

Depois do acidente, Catrin ficou três meses em coma induzido e passou por 200 cirurgias. Após se recuperar, começou a construir sua vida com as cicatrizes . Apaixonada por maquiagem, a jovem conta que, na época, suas experiências com make a faziam querer se esconder. Ela ressalta que, para pessoas com diferenças visuais, testar produtos em lojas pode ser intimidante, pois a maioria das marcas defende os ideais tradicionais de beleza.

“Espero que a campanha abra os olhos das pessoas das indústrias da beleza e da moda e da sociedade em geral, para que percebam que devemos defender uma diversidade de modelos, especialmente para os jovens. Espero inspirar outros a abraçar sua aparência, não importa como você se parece”, ressalta. 

Além dela, a ação terá outros nomes que “quebram padrões”. É o caso de Gary Thompson, também conhecido por seu blog “ThePlasticBoy”, e a holandesa Lucia Whitehouse, de 60 anos. Megan Barton Hanson, do seriado de TV “Love Island”, também fará parte.

Campanha publicitária de calçados também terá modelo com cicatrizes

Sophie Lee faz parte de uma campanha publicitária de uma marca de calçados após queimadura e  queloides no rosto
Reprodução/Instagram/sophirelee
Sophie Lee faz parte de uma campanha publicitária de uma marca de calçados após queimadura e queloides no rosto

Outra mulher que vem para o time de modelos que visam “quebrar padrões” no segmento de beleza é a dançarina Sophie Lee, de 23 anos, de Manchester, na Inglaterra. A jovem trabalhava com pirotecnia - arte de usar fogo para entreter o público - e sofreu graves queimaduras no rosto durante uma apresentação em abril de 2018, o que resultou em cicatrizes.

"Em qualquer coisa que você faz, há sempre um risco, mas você nunca acha que isso vai mudar sua vida”, ressalta, de acordo com o Daily Mail . “Eu estava confiante de que estava pronta, mas quando soltei o fogo e abri os olhos, havia fogo por toda parte. Deve ter sido de um sopro de vento. Foi um acidente estranho”, explica.

Foi só depois de sair do palco que ela percebeu que o fogo estava se espalhando rapidamente por seu corpo. “Eu corri para o backstage, peguei uma toalha úmida e apaguei as chamas, mas não percebi a extensão das minhas queimaduras", detalha. “Eu provavelmente estava assim por bons minutos. Fui direto para a UTI”, diz.

No total, Sophie passou um mês no hospital e, durante esse tempo, estava muito traumatizada para se olhar no espelho. “Eu estava tão perturbada e achei que seria o fim da minha carreira e de tudo que eu fiz e queria alcançar. De repente, tudo desmoronou. Os médicos disseram que eu tinha muita sorte em estar viva”, relata.

A jovem decidiu prevenir-se de passar por outros traumas e recusou a oferta de passar por um enxerto de pele. Na época, ela conta que estava tão inchada que não conseguia enxergar e nem respirar direito. “Inicialmente, os profissionais queriam fazer enxertos, mas como isso causaria outra lesão, não quis passar por isso novamente. Então, optei por um creme forte que ajudou a minha pele a se curar”, afirma.

Depois, a área queimada transformou-se em um queloide, uma cicatriz saliente e, muitas vezes, acompanhada de dor e coceira. Quase um ano após o acidente, Sophie, que tem 40 mil seguidores no Instagram, após rejeitar várias propostas de modelagem, resolveu aceitar uma proposta e irá aparecer na campanha de uma marca de calçados chamada EGO, que quer incentivar o apoio entre as pessoas e, ainda, eliminar o ódio.

“Quero usar minhas plataformas nas mídias sociais para inspirar jovens a não se sentirem para baixo. Acredito firmemente que a beleza é superficial e espero que esta ação com modelos impulsione um movimento positivo entre eles”, detalha. 

Sophie diz que, desde que sofreu as queimaduras e ficou com as cicatrizes, recebe muitos comentários negativos. Alguns dizem algo como “se você brinca com fogo, o que você espera?” ou “você merece se queimar”. “Eu ignoro. Haters querem que eu mande ódio de volta, mas eu não sou assim. Eles tentam me abater sobre coisas que deveriam ser uma insegurança minha, mas, na verdade, não são”, expõe.

Por fim, a modelo conta que, antes de posar para as fotos, sentiu-se nervosa. “Dormi apenas três horas. Isso me deixou muito ansiosa. Eu estava nervosa, pois era a primeira vez em que me mostrava de todos os ângulos. Mas, depois de ver as imagens, me senti fortalecida e livre . A campanha publicitária traz uma ótima mensagem e estou orgulhosa e honrada em fazer parte disso”, relata.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas