Tamanho do texto

Mais de 200 modelos participaram do projeto "The Real Catwalk" com o objetivo de valorizar a diversidade e pedir inclusão nas grandes passarelas

Um dos desfiles de moda mais esperados do ano, o "Victoria’s Secret Fashion Show", aconteceu no final de semana e, como esperado, as "angels" de lingerie deram o que falar. Porém, os comentários sobre o evento abordaram muito mais sobre a falta de representatividade na passarela — já que as modelos seguiam aquele  estereótipo da mulher branca e magra —, do que qualquer outra questão. Assim, diversas modelos plus size decidiram se pronunciar.

modelos plus size
Reprodução/Instagram/khrystyana/
modelos plus size

Como forma de protesto ao desfile, a modelo Khrystyana Kazakova organizou o "The Real Catwalk" (ou "A Passarela da Vida Real", em português) e chamou atenção no meio da Times Square, em Nova York, nos Estados Unidos. Ela contou com a ajuda de outras modelos plus size , além de transsexuais, latinas, negras e modelos masculinos para mostrar como a maior parte das pessoas estão longe de ter a aparência de uma "angel" da Victoria's Secrets. 

No Instagram, Khrystyana compartilhou as fotos do  desfile  que montou na rua e contou que foram mais de 200 modelos participantes — sem critério de escolha. "Esse amor que estamos expressando é contagiante. Cada um de nós está em uma jornada individual pelo amor próprio e eu estou muito feliz que pudemos criar essa plataforma coletiva como um espaço seguro e um lar para sermos e celebrarmos a nos mesmos", escreveu.

Não é a primeira vez que o "The Real Catwalk" chama atenção. As modelos já haviam desfilado durante as semanas de moda de Nova York e  Londres, respectivamente, mas em um número mais limitado, com apenas com 34 participantes. Em ambos eventos, o objetivo também era pedir uma maior representatividade na  indústria da moda .

Outras modelos plus size se manifestam por mais representatividade

Outras modelos plus size, como Ashley Graham e Tess Holliday, também se pronunciaram por mais representatividade
Reprodução/Instagram
Outras modelos plus size, como Ashley Graham e Tess Holliday, também se pronunciaram por mais representatividade

Khrystyana não foi a única modelo que reclamou do estereótipo valorizado no "Victoria’s Secret Fashion Show". Ashley Graham também decidiu se manifestar sobre o caso ao publicar fotos de modelos que não se encaixam nesse  corpo "padrão" , mas são conhecidas na indústria e poderiam participar do desfile. "Beleza além do tamanho", dizia a legenda. 

Em novembro, a modelo Tess Holliday já havia comentado sobre Ed Razek, chefe do departamento de marketing da Limited Brands, companhia dona da Victoria’s Secret, ter falado sobre como "ninguém está interessado" em modelos plus ou transsexuais no evento porque ele é como uma "fantasia" de entretenimento. 

"Por mais que eu queria que a maior marca de lingerie do mundo mostre apoio às modelos plus size a aos diversos tipos de corpos que existem, também é importante focar nas marcas que realmente estão fazendo isso e nos dando o que queremos", disse à "Teen Vogue" na época. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.