Tamanho do texto

Muitas vezes, essas opiniões acabam fazendo mal a quem está ao nosso redor

O fim do ano, muitas vezes, acaba se tornando uma época de reflexão. O problema é que os pensamentos que surgem em nossa cabeça nem sempre são conscientes e, até mesmo, podem acabar magoando pessoas ao nosso redor quando colocados para fora.

Leia também: Confira 4 tabus acerca do sexo que você precisa deixar em 2017

Muitas vezes, pensamentos e opiniões dos outros acabam nos causando desconforto, e o clima fica super chato
Pixabay
Muitas vezes, pensamentos e opiniões dos outros acabam nos causando desconforto, e o clima fica super chato

Parece meio difícil de entender? Bem, é como aquele famoso comentário “e os namoradinho?” que vire e mexe surge na reunião da família para a ceia. Por trás de uma simples opinião, está uma cobrança em cima de uma pessoa que pode até mesmo já estar se cobrando por isso. Resultado final: esses pensamentos não ajudam em nada. O melhor mesmo é deixá-los de lado urgentemente, antes mesmo do Natal e Ano Novo . Alguém ainda tem alguma dúvida? Então dê olha nesta lista: 

1. “E os namorados?”

via GIPHY

Por que não falar: principalmente quando a pessoa está na adolescência, é comum uma autocobrança para alcançar as expectativas dos outros. A partir de uma determinada idade, é normal que as pessoas comecem a se relacionar, mas esta não é a realidade de todo mundo. O seu conhecido pode simplesmente não estar afim de engatar um relacionamento sério com alguém – e não há mal algum nisso.

Como reagir: apenas lembre-se de que você não precisa de outra pessoa para ser feliz. A sua felicidade não está no outro, mas apenas em você. Não é fácil compreender isso às vezes, mas, com a idade, a gente percebe que, antes de amar outra pessoa, é essencial amar-se antes. É legal dividir essa felicidade? Em alguns casos, claro que sim, mas apaixonar-se deve ser um acontecimento e não uma obrigação.

2. “Nossa! 'Tô' obesa depois dessa ceia.”

via GIPHY

Por que não falar: Se você é magra e solta essa frase, mesmo que sem pensar, prepare-se para olhares de reprovação. Para os outros, pode ser meio contraditório você estar dentro dos padrões socialmente aceitos e falar que está obesa apenas porque não seguiu uma dieta equilibrada durante alguns dias de festa. O problema não é perceber que você saiu um pouco da alimentação saudável e que o corpo está mais inchado por conta disso, mas, sim, se considerar gorda, obesa ou horrível apenas por isso.

É mais do que normal comer um pouco a mais no fim do ano e nas férias, e isso não vai te fazer ficar gorda – ou muito menos obesa. E o pior de tudo é o que este pensamento pode fazer em quem realmente está acima do peso. Se você, que é magra, está se sentindo horrível, a pessoa que de fato é gorda ou obesa pode se sentir inferior e ficar realmente magoada.

Leia também: Vai Malandra! Em clipe, Anitta mostra que ter celulite é mais do que normal

Não ache que é frescura ou que é mimimi. Palavras podem realmente magoar e ter efeitos inimagináveis nas pessoas ao nosso redor. Em relação às pessoas gordas, elas já sofrem diariamente com os efeitos da gordofobia. O mundo não é feito para pessoas acima do peso – mesmo que elas existam em todos os lugares –, e ver que uma amiga magra se sente horrível com o corpo que têm pode ser muito prejudicial.

Como reagir: Se você é magra e está infeliz com o inchaço do fim do ano, é só lembrar que manter alguns dias mais regrados depois das festas já é o suficiente para voltar ao corpo. Não precisa falar que você está horrível por ter engordado 1kg ou 2kg. Primeiro porque não é algo irreversível e segundo porque não há nada de horrível em ter mais peso do que o padrão estabelecido.

Já se você não é magra e se sentiu magoada com o comentário de uma amiga, tente conversar com ela sobre isso. Explique como isso te afetou negativamente. É importante que cada vez mais pessoas entendam que palavras e pensamentos geram efeitos nos outros. Se a conversa não adiantou, e a pessoa não entendeu nada, procure alguém que vá realmente te entender. Hoje, no YouTube, é possível encontrar ativistas de body-positive que ajudam muitas pessoas a se aceitarem como são. E lembre-se sempre: não há nada de errado em ser como você é.

3. “Mas você não precisa emagrecer!”

via GIPHY

Por que não falar: cada pessoa conhece seu corpo e qual a forma que a deixa mais feliz. Se alguém foi o ano inteiro na academia, malhou e gosta de ter seu corpo definido, é normal que queira perder alguns quilinhos após um mês de festas – lembre-se de que dezembro também tem as festas da firma e encontros com amigos e família.

E mesmo que a pessoa não tenha passado o ano inteiro malhando, pode ser que, agora, ela esteja com vontade. Qual o problema nisso? Se ela apenas fez um comentário do seu lado, você não precisa, necessariamente, dizer sua opinião. É diferente de quando as pessoas te perguntam alguma coisa.

Outra questão é quando você acha que alguém próximo está obsessivo na ideia do emagrecimento. Mas mesmo assim, se você acredita que a pessoa possa ter desenvolvido um transtorno de imagem ou alimentar, não é apontando observações sobre o corpo ou alimentação que vai conseguir ajudar. O essencial é entender como a pessoa está se sentindo com ela mesmo e, se for necessário, procurar ajuda profissional posteriormente.

Como reagir: lembre-se de que você sabe o que é melhor para o seu corpo. Se emagrecer vai te deixar mais feliz, então não ligue para o que a outra pessoa, principalmente se não for alguém muito próximo, está dizendo. Mas atenção quando o outro aponta exageros da sua parte, principalmente se for alguém próximo. Faça um reflexão quando isso acontecer: você realmente precisa emagrecer urgentemente? Se sim, por quê?

4. “Quando você…”

via GIPHY

Por que não falar: “Quando você vai começar a namorar”, “Quando você vai casar”, “Ter filhos?”, “Te mais filhos?”, “Faculdade?”, “Novo emprego?”. É normal que as pessoas cobrem as outras no final do ano. Ano novo, vida nova, não é mesmo? Sim, mas a gente nunca sabe se a pessoa quer alcançar aquele objetivo e nem o quanto ela está tentando. Imagina que "legal, só que não", passar o ano inteiro tentando engravidar, não conseguir, e aí ouvir no final do ano “Não vai ter filhos?”. Pessoas, apenas não façam isso.

Leia também: O que fazer se preciso pegar um táxi sozinha? Profissional dá dicas de segurança

Como reagir: na hora de ouvir esses pensamentos, opiniões e cobranças, apenas respire beeeeem fundo. Infelizmente, as pessoas se sentem muito à vontade em dizer o que pensam, mas isso não pode te influenciar negativamente. Pense em tudo o que você passou no ano, o quanto se esforçou ou no que realmente vai te fazer feliz. O que os outros dizem não é regra – e se não der para segurar, apenas seja sincera, algumas pessoas precisam escutar verdades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.