Tamanho do texto

Planejamento e conhecimento são as palavras chave para sua obra não causar transtornos na sua casa nem para os seus vizinhos de condomínio

As motivações para a reforma  de um imóvel são inúmeras e, certamente, irá despertar sensações contraditórias durante esse processo.  A primeira impressão, naturalmente negativa, é que uma reforma sempre atrasa e que os transtornos são infinitos – pergunte a um vizinho ou parente que acabou de reformar (quero saber nos comentários as experiências!). Daí que a coluna Dentro de Casa trará dicas valiosas para que você diga “sim” para sua próxima obra. A palavra chave? Duas: conhecimento e planejamento.

ANTES da  reforma de apartamento 100m² - casal renovou os votos de casamento
Foto: Cumbuca Estúdio
ANTES da reforma de apartamento 100m² - casal renovou os votos de casamento

Neste texto trataremos apenas do conhecimento ou ato de perceber ou compreender por meio da razão e/ou da experiência. Preparados?

1.       Contrate um profissional – arquiteto (a) ou engenheiro (a) – para um melhor resultado

Um projeto bem detalhado facilita o planejamento e permite organizar a reforma através de uma análise criteriosa das intervenções necessárias. São validadas as modificações e os custos envolvidos. Além disso, arquitetos e engenheiros são excelentes fontes de parcerias e, para não inutilizar seu projeto, a mão-de-obra deve ser qualificada.

2.       Conheça as regras internas do condomínio e avise o síndico ou a administradora

DEPOIS da reforma apartamento ganhou um novo cenário.
Foto: Cumbuca Estúdio
DEPOIS da reforma apartamento ganhou um novo cenário.

Segundo a NBR 16.280, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), toda obra deverá ser aprovada pelo síndico a fim de evitar danos graves a edificação e garantir a segurança e integridade de todos os moradores. No entendimento da normatização, existem duas categorias de obra: a que exige responsabilidade técnica e a que não torna obrigatória maior capacitação.

Podem exigir profissional: 

§  Reforma do sistema hidráulico – alteração de pontos hidráulicos

§  Instalações elétricas – principalmente se ocorrer aumento de carga (o condomínio pode solicitar projeto e laudo específico)

§  Alterações de ponto de gás

§  Reforma ou instalação de equipamento de dados, comunicação e automação

§  Reforma ou instalação de aparelhos de ar-condicionado (o condomínio pode solicitar projeto e laudo específico devido ao possível aumento da carga elétrica)

§  Substituição de qualquer componente original da construção como revestimentos, bancadas, louças ou em desacordo com o manual do proprietário, quando este existir

§  Instalação de forro de gesso – quando não existir

§  Quando existir a utilização de equipamentos como marteletes ou ferramentas de alto impacto

§  Substituição de esquadrias ou instalação de fechamentos de viro na varanda

§  Quaisquer tipos de intervenções estruturais como furos, aberturas, remoção de alvenaria ou acréscimo de parede. 

Dica da Helô: importante ressaltar que muitos condomínios exigem as seguintes documentações: ART (Anotação de Responsabilidade Técnica – caso contrate um engenheiro) ou RRT (Registro de Responsabilidade Técnica – caso seja um arquiteto), plano de reformas (cronograma, projeto e relatório de intervenções) e modelo de autorização padrão do condomínio. Normalmente, o prazo para análise do material é de 5 a 10 dias úteis, ou com a autorização para início da reforma ou para exigência de novos documentos. 

Podem não exigir profissional: 

§  Pintura ou instalação de papel de parede

§  Pequenos reparos elétricos ou hidráulicos como vazamento

§  Colocação de redes de proteção

§  Instalação de marcenaria

 Dica da Helô: alguns condomínios solicitam ao proprietário o preenchimento de ficha padrão do para a liberação de entrada dos prestadores de serviços. 

3.       Montar a logística – cronograma de obra

“Tempo é dinheiro”, diz a famosa frase de Benjamin Franklin. Faça uma lista detalhada, sem se preocupar com ordem de execução (se optar em contratar um profissional, isso o ajudará no alinhamento de expectativas). Registre suas vontades. Próximo passo: avalie se os produtos especificados/desejados necessitam de medição prévia, produção por demanda (quantidade mínima) ou encomenda.

Dica da Helô: deseja aquela geladeira side-by-side, a maior da loja? Ou um sofá que não é modular? Verifique duas circunstâncias antes de comprar: se as medidas do produto embalado são menores que as medidas do elevador, principalmente o de serviços, e se é possível passa-lo pela porta social ou de serviços. Caso nenhuma das duas situações seja viável e mesmo assim você não abre mão dos itens, será necessário içar a peça. O condomínio pode solicitar Responsabilidade Técnica específica e/ou acompanhamento de profissional habilitado no ato da entrega do produto.

Com todas essas informações, montamos um cronograma de obras para a reforma dos seus sonhos sair direitinho. E qual é a primeira etapa, a segunda? Nada de desespero. Fique ligado no próximo texto e sinta-se muito bem Dentro de Casa . Até a próxima. 

Leia mais:

Economizando na obra: 3 substituições de materiais para a sua reforma

Você sabia que sua casa pode ficar doente? Confira dicas para evitar isso

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.