Tamanho do texto

Saiba como a sua casa pode demonstrar alguns sinais de que algo não está bem e esteja preparado para agir e evitar o pior

Assim como ocorre no nosso corpo, ao longo do tempo, os imóveis necessitam de cuidados e manutenção, de forma que precisamos entender e conhecer os diversos sinais que indicam a hora certa de iniciar uma reforma preventiva, minimizando a necessidade de grandes intervenções no futuro. Em linhas gerais, os sinais gerados pelos imóveis podem ser assim classificados: Não deixe sua casa ficar doente. 

Vício Aparente – Fissura e mofo no forro
Heloisa Yamashiro - arquivo pessoal
Vício Aparente – Fissura e mofo no forro

Vícios Aparentes: são aqueles vestígios de fácil constatação, perceptíveis através de simples observação. Como exemplos, uma pequena rachadura na pintura, uma tomada que não funciona, uma lâmpada queimada, etc.

Vícios Ocultos: demoram a aparecer e geralmente não são perceptíveis através de simples observação, como uma leve infiltração de água por cano rachado, algum fio de elétrica desencapado, um revestimento inadequadamente instalado, etc.

Tempo de vida

Todos os materiais possuem vida útil e o alcance da sua máxima conservação e durabilidade dependerão do uso adequado e dos cuidados permanentes. A depreciação física existe e, ao longo do tempo, com o desgaste do uso, também perde funcionalidade, podendo transformar-se em uma super dor de cabeça.

Problema na impermeabilização – somente possível descobrir após a quebra de todo o piso –
arquivo pessoal Ty.me Arquitetura e Interiores
Problema na impermeabilização – somente possível descobrir após a quebra de todo o piso –

Por exemplo: uma lâmpada tem durabilidade determinada na embalagem, e a sua vida útil poderá ser exatamente aquela indicada ou encurtada, se a fiação de elétrica estiver mal dimensionada ou em má conservação. Nesses casos, a redução de desempenho da lâmpada é inevitável.

A coluna Dentro de Casa trará dicas importantes para auxiliar você a ter uma casa saudável e sem vícios. A seguir apresentamos alguns cuidados básicos essenciais para cuidar do seu imóvel:

Alvenaria: os materiais geralmente utilizados para a composição da alvenaria possuem diferentes coeficientes de resistência e de dilatação térmica. Desta forma, pelas variações de temperatura e acomodação natural devido ao uso do imóvel, é normal o aparecimento de fissuras, localizadas principalmente nos revestimentos das paredes (principalmente na pintura), fato que não compromete a segurança da edificação. No caso de paredes internas são consideradas aceitáveis as fissuras não perceptíveis a uma distância de, no mínimo, um metro. Com relação às paredes externas, o surgimento de eventuais fissuras, que não provoquem infiltração para o interior da edificação, são consideradas aceitáveis e normais. Porém, nesse caso, deve-se consultar um profissional capacitado para realizar a vistoria prévia e a análise dos riscos.

Mofo: ambientes bem ventilados – esse é um dos segredos. Geralmente aparecem nas estações mais frias ou de chuvas, devido a condensação da água por deficiência de ventilação. Os locais úmidos e escuros têm maior probabilidade dessa ocorrência, como armários, atrás de cortinas e forros. Sempre que encontrar um ponto de mofo, deve-se limpar a superfície com uma solução de 2:1 de água e cloro (água sanitária). Após a aplicação, deixar o ambiente aberto com ventilação. Quando for pintar áreas molhadas, como banheiros, escolha uma tinta anti-mofo acrílica, a fim de evitar possíveis focos de absorção de água nas paredes (se não forem totalmente revestidas) ou no teto, devido ao acúmulo de vapor de água. Se os ambientes úmidos forem totalmente revestidos com cerâmica, refaça periodicamente o rejunte dos azulejos e do piso.

Quadro de elétrica: o desarmamento dos disjuntores tem ocorrido com frequência? Caso sim, é necessário tratar com prioridade este item, pois uma das principais causas de incêndios domésticos é a sobrecarga na instalação elétrica. Isso ocorre quando a corrente elétrica está acima da capacidade suportada pela fiação existente, sobrecarregando todo o sistema. Não é aconselhável o uso de conectores tipo benjamim. Sempre que houver excesso de carga na instalação elétrica ou curto-circuito, os disjuntores do quadro de comando se desligarão automaticamente. Para corrigir, é só voltar a chave dos disjuntores correspondentes às suas posições originais. Ressaltamos que se esses desligamentos forem frequentes, procure averiguar a causa com um profissional especializado.

Instalações Hidráulicas: verifique periodicamente os ralos e sifões, providenciando a limpeza para retirar todo e qualquer material potencial causador de entupimento. Recomendamos cuidados especiais ao desentupir ralos. Não utilize arames inadequados, ácidos ou produtos cáusticos, acetona concentradas ou substâncias que produzam alta temperatura. Para desentupir pias e lavatórios, usar apenas o desentupidor de borracha; nunca utilizar materiais à base de soda cáustica, arames ou ferramentas não apropriadas; caso não consiga resultado ou na dúvida, sempre procure uma empresa especializada. A bucha das torneiras necessita ser periodicamente substituída, proporcionando sempre uma boa vedação e evitando vazamentos. Limpe periodicamente os aeradores (bicos removíveis) das torneiras, pois é comum o acúmulo de resíduos nessas peças, provenientes da própria tubulação.

Pintura: nunca esfregue as paredes com esponja áspera e nunca utilize produtos ácidos ou a base de amoníacos. As manchas devem ser limpas com um pano branco umedecido. Para conseguir uma melhor vida útil das pinturas, a tinta utilizada deve ser de boa qualidade e entre as suas principais características deve resistir bem à lavagem com água e produtos domésticos comuns, como: detergente neutro, sabão e água sanitária. Ao longo do tempo a pintura escurece um pouco e fica naturalmente “queimada”. Nunca faça retoques em pontos isolados. Se necessário, pinte toda a parede ou ambiente para que o imóvel mantenha uma aparência sempre nova. Recomenda-se uma pintura geral periódica: a cada 2 anos nas superfícies internas - a cada 3 anos nas superfícies externas.

Sempre que realizar intervenções no imóvel, é importante elaborar um registro de modificações, uma espécie de diário de obra. Desta forma você poderá controlar as manutenções necessárias e o tempo exigido para uma nova intervenção, sempre atuando preventivamente. Quanto mais informações e detalhes você tiver nos registros de manutenção, maiores serão os ganhos em sua próxima reforma. Cuide do seu lar. Ele abriga e acolhe você e sua família.

Leia mais:

Você sabe como explorar as cores em espaços menores no seu apartamento?


    Leia tudo sobre: casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.