Tamanho do texto

Para conseguir a tão almejada redução de custos na reforma, ainda mais em época de festa, ou seja, fim de ano, algumas dicas fazem a diferença. Confira:

Economizar durante a realização de reforma não é tarefa fácil, ainda mais quando não temos ajuda de um profissional especializado, como arquiteto ou engenheiro. Planejamento é sempre a atividade chave e, para auxiliar você, leitor, “dentro de casa” listará alguns materiais alternativos que poderão trazer economia para a sua obra.

PISO LAMINADO OU VINÍLICO

Piso laminado ou vinílico? saiba como escolher e economizar
Ty.me arquitetura
Piso laminado ou vinílico? saiba como escolher e economizar

Quer aquele desejado piso de madeira? Que dá aquela sensação de aconchego, deixando o ambiente mais “quente”, mas o preço não está atrativo? Conseguimos substituir pelo piso laminado ou vinílico. O processo de montagem é muito mais simples que o piso de madeira e você pode usar o ambiente no dia seguinte. Outro fator interessante é que eles podem ser instalados sobre pisos existentes de cerâmica, porcelanato ou cimento queimado, aplicando uma massa niveladora para a correção de imperfeições do piso e do rejunte. Se a cerâmica ou porcelanato forem brilhantes, é necessário um primer para melhorar a aderência da massa. Se o piso existente for madeira ou carpete, os remova antes.

Dica da Helo: contrate uma empresa especializada para executar o serviço, incluindo o fornecimento do material e posterior instalação. Não esqueça de contratar também o rodapé. É de extrema importância a verificação do contrapiso existente por parte da empresa e se possível, exija um laudo técnico.

BANCADAS DE PEDRA – GRANITO, MÁRMORE OU SILESTONE

Escolher qual pedra utilizar pode ir muito além da estética e valores, pois o mercado disponibiliza uma extensa variedade de opções, muitas vezes com preços elevados, seja pela sua raridade ou beleza. É possível conseguir uma boa redução do valor por m² caso você escolha uma peça que a marmoraria já possua em estoque (se você escolher uma pedra que não está disponível na marmoraria, será necessária encomenda, ocasionado um aumento de valor). Visite lojas, pergunte e negocie. Você pode encontrar lindas pedras por um custo-benefício ótimo. Atualmente, o queridinho dos decoradores e arquitetos é o Preto São Gabriel, muito conhecido como BBB – Bom, bonito e barato.

Dica da Helo: Para conseguir esta redução de custo, você deve entrar em contato com a loja somente quando for efetuar a compra. Essas empresas não reservam peças com custo reduzido. Garanta que a pedra selecionada possa ser utilizada em áreas molhadas, principalmente em banheiros. Nesses ambientes utilizamos uma maior quantidade de produtos químicos, inclusive cremes e maquiagens, os quais danificam a pedra ao longo do tempo.

Entre na loja somente quando for efetuar a compra
Projeto Mariana Marcon
Entre na loja somente quando for efetuar a compra


INSTALE O PISO NA PAREDE

Quando estamos escolhendo revestimentos para o banheiro, muitas vezes ficamos perdidos, imaginando combinações estéticas e funcionais. Uma forma de economizar é padronizar. Neste caso, você pode escolher como revestimento para o piso e as paredes o mesmo produto. Fica esteticamente elegante. Nunca opte pelos azulejos, uma vez que esses não são recomendados para instalação no piso. Outra forma de economizar é diminuir a área de revestimento. Nas paredes fora do box, você pode aplicá-lo a meia altura, e complementar o restante com pintura específica para áreas molhadas. Existe ainda uma outra opção, nas áreas fora do box aplicar somente o rodapé e no restante pintura. Em qualquer caso, recomendamos sempre revestir a área interna do box até no mínimo 1.90m de altura.

Instale o piso na parede
www.arquidicas.com.br/banheiros-modernos-2017/
Instale o piso na parede

Dica da Helo: apesar de calcularmos os revestimentos em metro quadrado, a loja normalmente realiza a venda por caixa. Nesse caso, para conseguir economia e evitar desperdício, pergunte sempre quantos metros quadrados vem em cada caixa do material escolhido. Desta forma, você consegue ajustar os 10%, geralmente calculados para sobras, recortes e perdas, dentro da quantidade de caixas adquiridas.

“DENTRO DE CASA” – BÔNUS

Todos os itens acima, além da economia, envolvem gostos pessoais alinhados a estética, praticidade, funcionalidade e investimento. “Dentro de Casa” traz abaixo 2 tópicos bônus para te auxiliar ainda mais no seu planejamento da reforma.

PINTURA: AINDA É A OPÇÃO MAIS ECONÔMICA?

Neste caso, apontar qual é a melhor opção vai além da redução de custos.  Envolve estética e durabilidade. Optar pela pintura simples é a mais econômica das opções, porém, sua durabilidade é menor e sua manutenção é a repintura – a cada 2 anos pelo menos. Optar por uma parede com textura e efeitos é excelente para locais com muita umidade – como por exemplo uma parede externa. Sua durabilidade é maior, entre 3 e 5 anos. As pinturas especiais são estilizadas e dão personalidade ao espaço, principalmente aquelas que imitam materiais como cimento queimado, mármore e madeira.

Dica da Helo: Revestimento com papel de parede pode durar até 15 anos, além do ambiente ganhar sofisticação e textura. Tem o benefício da rapidez de execução na obra, com instalação ágil e insumos simples: cola, régua e estilete – e um bom instalador, claro! Solução eficiente para quem busca uma decoração rápida, sem sujeira e dor de cabeça. O preço varia de acordo com a marca, modelo e suas composições.

MÓVEIS E OBJETOS

Optar entre marcenaria, planejados ou móveis prontos requer uma análise do melhor custo benefício, considerando principalmente a durabilidade do produto e as condições do ambiente no qual será instalado. Em geral, móveis soltos como: sofá, cama, rack, cadeiras, devem durar no mínimo 5 anos. Já armários, estantes e outros itens considerados “fixos”, precisam de boas ferragens e materiais de fechamento resistentes, para que possam ter uma vida útil de, no mínimo, 8 anos. Uma forma de economizar é optar por móveis sem portas, possibilitando a redução do uso de ferragens. Como exemplo no closet, substituindo gavetas por nichos abertos e armários fechados por araras sem porta. Para isto, é importante o closet ser um ambiente que possa ser fechado o que evitará, ao longo do tempo, que os tecidos absorvam o pó ou outros elementos que possam estragar com facilidade as roupas. Outro exemplo, na cozinha, pode-se utilizar nichos/ espaços abertos em substituição aos armários, que facilita a visualização e manipulação no dia-a-dia dos utensílios, embalagens, temperos, entre outros.

Dica da Helo: Leve em consideração na escolha do mobiliário da cozinha não somente o valor, mas principalmente a qualidade dos materiais e sua funcionalidade, uma vez que nesse ambiente os agentes nocivos são mais presentes, como oxidação e corrosão. Procure escolher materiais resistentes a umidade e ferragens de boa qualidade. Exija sempre a garantia dos fornecedores envolvidos, seja da mão-de-obra como dos materiais.

Leia também:

Você sabia que sua casa pode ficar doente? Confira dicas para evitar isso


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.