Tamanho do texto

De acordo com o paisagista João Jadão, se as plantas e o local forem bem escolhidos, é possível ter um jardim vertical até dentro de casa

Além de contribuírem positivamente com a decoração de diversos ambientes – até dos banheiros, conforme mostra um levantamento do Pinterest –, as plantas também podem influenciar na qualidade do ar e no bem-estar de quem fica em contato com elas no ambiente . Às vezes, porém, não há espaço para fazer isso, e é aí que entra o jardim vertical.

Conforme explica o paisagista João Jadão, da Planos e Plantas, desde que as espécies escolhidas para o jardim vertical se adaptem bem às características do ambiente em que forem colocadas – como a quantidade de luz natural que entra em contato com elas, por exemplo –, é possível fazer esse tipo diversificado de jardim tanto em ambientes internos quanto externos. 

Além de ele possibilitar o uso de plantas na decoração de casa sem que elas tomem tanto espaço quanto tomariam em um canteiro ou em vasos e jardineiras tomariam, é possível elaborá-lo de várias formas diferentes, mas, segundo o paisagista, dependendo do estilo do jardim vertical e do local em que ele for colocado, é preciso ter alguns cuidados específicos.

Dicas para ter um jardim vertical

Ao montar um jardim vertical, é preciso escolher bem a localização e as plantas que serão usadas
Reprodução/Pinterest
Ao montar um jardim vertical, é preciso escolher bem a localização e as plantas que serão usadas

De acordo com Jadão, é necessário escolher com cuidado o local em que o jardim vai ficar – especialmente se o objetivo for montá-lo em um ambiente interno. Conforme explica o paisagista, em primeiro lugar, é preciso assegurar que o lugar escolhido é bem iluminado e ventilado para ter certeza de que as plantas crescerão saudáveis.

O paisagista também explica que, por se adaptarem melhor à meia-luz, algumas espécies vivem melhor que outras em ambientes internos. Sendo assim, também é importante pesquisar bem sobre as particularidades das plantas antes de escolher as espécies.

Para interiores, Jadão recomenda o uso de samambaias, filodendros – categoria em que se enquadra, por exemplo, a Costela-de-Adão –, peperômias – que têm folhagem pendente como a das samambaias, mas com folhas mais redondinhas – ou aspargos – que são parecidas com as samambaias, mas têm um aspecto mais delicado.

Tipos de jardim vertical

  • "Green wall"

Um dos tipos mais clássicos de jardim vertical é aquele em que a parede escolhida fica literalmente coberta por plantas – daí o nome “green wall”, que, em português, significa “parede verde”. Muros revestidos com trepadeiras (como a unha-de-gato ou a falsa vinha, por exemplo) entram nessa categoria, mas é possível ir além e fazer com que a superfície escolhida se pareça com uma verdadeira floresta.

Com estruturas próprias ou vasos bem agrupados e plantas bastante volumosas, é possível criar uma
Reprodução/Pinterest
Com estruturas próprias ou vasos bem agrupados e plantas bastante volumosas, é possível criar uma "green wall"

Para fazer uma “parede verde” de respeito, Jadão afirma que é preciso ter cuidados que vão desde a escolha das plantas e do local até a manutenção do jardim. Além de optar por espécies que combinam com as características do local em que ficarão, o paisagista afirma ainda que, para esse tipo de jardim suspenso , é importante escolher plantas bem “cheias”.

“Não é qualquer tipo de planta que se adapta em jardins verticais. Precisamos utilizar espécies com bastante volume para esconder os vasos e termos um jardim exuberante, e, ao mesmo tempo, é preciso que elas possuam raízes que se adaptem ao tamanho do vaso”, afirma o paisagista.

Além da atenção na escolha das plantas, também é preciso ponderar bem o local em que o jardim ficará instalado. É possível construir uma “green wall” usando blocos pré-moldados feitos exatamente para esse fim, “recuos” na parede – onde os vasos ficam alojados – ou em vasos posicionados bem perto uns dos outros e presos à parede, mas, qualquer que seja a escolha, Jadão aconselha colocá-lo próximo a um ponto de água, já que o mais indicado é instalar um sistema de irrigação automática.

Pela grande quantidade de plantas e a possibilidade de elas ficarem bem fora de alcance no alto da parede, o paisagista afirma que a irrigação automática é uma boa forma de garantir que todas as plantas recebam uma quantidade uniforme de água, de poupar trabalho, tempo e ainda evitar o desperdício de água.

Além de ter um ponto de água próximo do jardim para possibilitar a irrigação automática, o paisagista também ressalta a importância de um treno abaixo das plantas para que a água possa ser escoada – especialmente se a parede escolhida para cobrir de plantas seja dentro de casa.

Leia também: Conheça o "urban jungle", estilo que inclui a natureza na decoração

  • Pallets e deques próprios

A “parede verde”, porém, é apenas um dos tipos de jardim vertical. Para quem quer algo mais simplificado, é possível prender as plantas à parede utilizando uma estrutura de madeira para prender os vasos, como pallets ou deques próprios para esse tipo de “arranjo”.

Pallets agrupados também formam uma boa estrutura para pendurar ou reunir plantas de diversos tamanhos
Reprodução/Pinterest
Pallets agrupados também formam uma boa estrutura para pendurar ou reunir plantas de diversos tamanhos

Essa forma de criar um jardim vertical pode ter desde um visual mais simplificado – com poucos vasos e plantas menores – até um estilo mais “diferentão”, com plantas posicionadas entre os vãos da estrutura de madeira ou misturando diversas espécies diferentes de plantas, mas, aqui, é importante tomar cuidado com o material de que essas estruturas são feitas.

Segundo Guilherme Ligieri, co-fundador da marca de design sustentável 2GL, a madeira dos pallets é a mesma utilizada na fabricação de papel, e, portanto, não é tão resistente quanto outras opções. Conforme explica ele, itens como esses pallets e deques que ficarão expostos à agua – seja pela chuva ou pela irrigação das plantas – precisam passar por um tratamento especial cuja manutenção deve ocorrer com produtos específicos em intervalos de dois a três anos.

Usando essas estruturas de madeira, também é possível pendurar jardineiras com tipos diferentes de plantas agrupadas em cada uma.

  • Delicados

Nem sempre, porém, um jardim vertical precisa ser algo grandioso. Também é possível utilizar espécies menores – como hortaliças, cactos e até suculentas – para enfeitar uma parede, especialmente se o objetivo for colocar as plantas para dentro de casa, em ambientes como a cozinha ou o banheiro.

Com vasos pequenos, é possível criar um jardim vertical delicado que pode até ficar na cozinha, cultivando temperos
Reprodução/Pinterest
Com vasos pequenos, é possível criar um jardim vertical delicado que pode até ficar na cozinha, cultivando temperos

Com a ajuda de estruturas de madeira ou metal, é possível pendurar vasos com espécies diferentes de plantas em uma parede sem que ela fique muito carregada. Além de contribuir com a decoração, esse tipo de "jardim" pode, inclusive, ser funcional. Para quem cozinha, por exemplo, é possível elaborar uma mini-horta para ter os temperos à mão na hora de cozinhar.

Leia também: Saiba como utilizar madeira até na decoração de áreas molhadas da casa

  • Trepadeiras em arames
Com arames e trepadeiras, é possível criar um jardim vertical mesmo sem montá-lo junto a uma parede
Reprodução/Pinterest
Com arames e trepadeiras, é possível criar um jardim vertical mesmo sem montá-lo junto a uma parede

Outra forma de cobrir uma grande área com plantas sem ocupar o espaço do ambiente é utilizando arames ou grades combinadas com trepadeiras. Nesse tipo de jardim vertical , as plantas se enroscam nas estruturas próximas a elas conforme vão crescendo e, com criatividade, é possível criar estruturas bastante interessantes.

    Leia tudo sobre: Casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.