Tamanho do texto

De acordo com estudos e especialistas, algumas espécies de plantas ajudam a filtrar poluentes presentes no ar, têm propriedades calmantes e podem até estimular a memória, mas é importante aprender a cuidar bem delas

Lugar de planta é no quintal ou no jardim, certo? Errado. Apesar de espaços pequenos e com luz artificial não serem apropriados para todas as espécies e tamanhos de plantas, é, sim, possível utilizá-las na hora de decorar, quartos, salas e até banheiros. De acordo com um levantamento realizado pelo Pinterest , as buscas por decoração com plantas têm crescido (especialmente as que envolvem decorar o banheiro com elas), demonstrando ser, inclusive, uma tendência.

Fazer decoração com plantas em casa é uma tendência criativa e, dependendo da espécie, pode fazer bem à saúde
Reprodução/Pinterest
Fazer decoração com plantas em casa é uma tendência criativa e, dependendo da espécie, pode fazer bem à saúde

Porém, o que muita gente não sabe é que, além de dar um toque criativo nos ambientes, fazer uma  decoração com plantas  também traz benefícios para a saúde e para o bem-estar. Segundo a bióloga, educadora ambiental e aromaterapeuta Natalie Andreoli , algumas espécies são capazes de purificar o ar, reduzindo a concentração dióxido de carbono (gás do efeito estufa) e do benzeno (que traz riscos à saúde) na casa.

“Elas podem aumentar a umidade do ar, além de diminuir os níveis de poeira no ambiente e manter a temperatura do ar baixa”, explica Natalie, ressaltando que as espécies aromáticas – que têm cheiro e produzem óleos essenciais –, podem trazer ainda mais benefícios, principalmente quando usadas no ambiente correto.

Decoração com plantas? Sim, mas com atenção

É realmente possível usar plantas em diversos cômodos da casa, mas é importante conhecer as propriedades delas antes de decidir exatamente onde posicioná-las. “Muitas pessoas têm a crença de que, por serem naturais, as plantas não oferecem nenhum risco, o que não é verdade. Algumas plantas são tóxicas para animais e crianças, podendo causar transtornos digestivos, neurológicos, cardíacos e reações alérgicas”, explica Natalie.

Ainda que algumas sejam tóxicas, Natalie afirma que é, sim, possível usar essas plantas na decoração, basta posicioná-las fora do alcance dos pequenos e dos pets. “Uma maneira eficiente de manter plantas longe do alcance de crianças ou animais é deixá-las suspensas. Um arranjo que eu gosto muito são as kokedamas, esferas ornamentais japonesas feitas com uma associação de planta com musgo e que funcionam com uma única planta pendurada”, sugere a bióloga.

Segundo a bióloga, plantas cuja ingestão é perigosa devem ficar suspensas em arranjos como estas kokedamas
Reprodução/Pinterest
Segundo a bióloga, plantas cuja ingestão é perigosa devem ficar suspensas em arranjos como estas kokedamas

Segundo Natalie, essa técnica mantém as plantas no alto, mas exige alguns cuidados específicos. “Para hidratar esse arranjo, basta mergulhar sua base em uma bacia com água. É bem prático de cuidar e fica super bonito como parte da decoração”, afirma, ressaltando que, antes de pendurar kokedamas por aí, é importante entender as condições de luminosidade e outros cuidados que a planta escolhida requer.

Leia também: Conheça a "urban jungle", tendência que inclui a natureza na decoração

14 plantas, suas propriedades e os cuidados necessários

Dependendo da forma como forem dispostas na casa e das necessidades delas, todas as plantas que se dão bem com interiores podem ser usadas dentro de casa, mas, segundo a bióloga e o guia "Os Superpoderes das Plantas" disponibilizado pelo site "UmSóLugar", há algumas opções com propriedades em que vale a pena apostar.

De acordo com ela,  um estudo realizado pela NASA (Administração Nacional do Espaço e da Aeronáutica) em 1989 e revisitado por um dos autores em 2015, há diversas espécies de plantas capazes de filtrar o benzeno, o xileno, a amônia, o tricloroetileno e o formaldeído, substâncias que podem vir da fumaça do cigarro, do escapamento de carros, tintas, produtos de limpeza e até de beleza, e fazem bastante mal para a saúde . Veja algumas delas:

  • Alecrim
O alecrim libera óleos essenciais cujo aroma, de acordo coma  bióloga, estimula a memória
Shutterstock
O alecrim libera óleos essenciais cujo aroma, de acordo coma bióloga, estimula a memória

Também utilizado para fins culinários, o alecrim é, segundo Natalie, uma boa opção de planta para ter em ambientes onde se trabalha. A bióloga afirma que o aroma do óleo essencial dessa planta ajuda a melhorar as funções cognitivas, como a memória a curto prazo.

“Tendo o alecrim plantado em casa, basta passar as mãos sobre suas folhas e ramos floridos para sentir o aroma que ajuda a manter o foco e memorizar o que você está estudando”, comenta a especialista.

De acordo com Natalie, o melhor para um vasinho de alecrim é que ele fique em um ambiente onde bata bastante sol, mas, de resto, ele não requer tantos cuidados, já que não exige muita água nem um solo muito fértil para crescer.

  • Espada-de-São-Jorge
A espada-de-São-Jorge tem um visual peculiar e folhas manchadas, além de ajudar a filtrar o ar
shutterstock
A espada-de-São-Jorge tem um visual peculiar e folhas manchadas, além de ajudar a filtrar o ar

Segundo a bióloga, essa espécie é ótima para fazer parte de uma decoração com plantas, já que não requer uma manutenção muito trabalhosa.

Com folhas de formato bem peculiar, ela contribui de forma discreta para a decoração e ainda pode ser mantida em qualquer ambiente – até no banheiro –, já que ela vai bem tanto em pleno sol quanto em meia-sombra.

“Ela resiste ao frio e ao calor, não requer solos férteis, é uma planta bem tradicional e a cultura popular diz que espanta mau olhado”, explica Natalie.


  • Figueira-benjamim
Muito utilizado em paisagismo, o ficus tem uma manutenção relativamente trabalhosa
Reprodução/Pinterest
Muito utilizado em paisagismo, o ficus tem uma manutenção relativamente trabalhosa

Mais conhecida como ficus, esta é uma espécie muito utilizada em paisagismo e na decoração com plantas. Apesar de ser bem popular, ela não é uma opção para todos, já que sua manutenção é relativamente trabalhosa.

Segundo a bióloga, o ideal é cultivar o ficus no sol ou em ambientes com meia-sombra, em solo bem fértil que drene com facilidade e regá-lo periodicamente.

“Ele não gosta de mudanças de lugar, correntes de ar frio, ar condicionado e solo encharcado. Quando sofre esse tipo de estresse, as folhas ficam amarelas e caem”, afirma, ressaltando que a planta volta a ficar saudável conforme esses problemas são resolvidos.

  • Palmeira-dama
Esse tipo de palmeira é bastante utilizado em interiores porque vai bem até na sombra
Reprodução/Pinterest
Esse tipo de palmeira é bastante utilizado em interiores porque vai bem até na sombra

Também conhecida como palmeira-ráfis ou apenas ráfia, essa palmeira é muito utilizada na decoração de interiores e tem um visual sofisticado, com folhas “espetadas” no topo.

Segundo a bióloga, ela é bem versátil quanto as condições de luminosidade, podendo ser cultivada no sol, em meia-sombra, em luz difusa e até na sombra.

A espécie se dá bem em solo bem fértil, com boa capacidade de drenagem e que seja irrigado constantemente (de forma que fique úmido, e não encharcado). Para evitar que haja excesso de água, Natalie aconselha colocar argila expandida no vaso para que elas ajudem a absorver parte dela.

Outra condição que deve ser considerada é o clima, já que, segundo a especialista, a espécie não tolera ambientes muito secos ou exposição prolongada a ar condicionado.

  • Camedórea-bambu
Se optar por este tipo de palmeira, é importante lembrar que ela pode ficar bastante alta
Reprodução/Pinterest
Se optar por este tipo de palmeira, é importante lembrar que ela pode ficar bastante alta

Outro tipo de palmeira, esta espécie também é bastante utilizada para fazer decoração com plantas.

De acordo com a bióloga, é importante lembrar que a planta pode atingir até dois metros de altura, mas, em geral, não precisa de muitos cuidados.

Natalie explica que essa planta vai bem em ambientes de meia-sombra, precisam ser regadas e adubadas periodicamente e também é necessário remover folhas velhas para não “drenar” a energia dela.



  • Aglaonema Modesto
Segundo a bióloga, esta planta filtradora possui diversas variações e vai bem até na sombra
Shutterstock
Segundo a bióloga, esta planta filtradora possui diversas variações e vai bem até na sombra

Segundo a bióloga, essa espécie faz parte de um gênero que contempla diversas plantas, mas a estudada pela NASA foi a do tipo Modesto (que tem folhas cheias de manchas).

Essa planta prefere ambientes com sombra e luz difusa, e, segundo a bióloga, não requerem muitos cuidados.

“Elas não toleram ambientes secos ou com ar condicionado, então vale a pena lembrar disso na hora de escolher em que cômodo colocá-la”, comenta.



  • Dracena
Cuidar desta planta é simples, mas é preciso ter atenção com a umidade do ar e a irrigação
shutterstock
Cuidar desta planta é simples, mas é preciso ter atenção com a umidade do ar e a irrigação

De acordo com Natalie, esse gênero abrange diversas espécies, e as estudadas pela NASA foram a “Janet Craig” e a “Warneckei”.

Conforme ela explica, essa planta se dá bem no sol, em meia sombra ou luz difusa, além de precisar de solo fértil e úmido e odiar ambientes com ar condicionado.

Assim como diversas espécies, ela não tolera que o solo seja encharcado e, para estabelecer a periodicidade da irrigação, é necessário prestar atenção nas folhas; se elas estiverem com as pontas secas, está faltando água.


Leia também: Confira oito ideias de decoração baratas e fáceis de se fazer

  • Samambaias
As samambaias são versáteis e fáceis de cuidar, mas tome cuidado com a espécie venenosa!
Shutterstock
As samambaias são versáteis e fáceis de cuidar, mas tome cuidado com a espécie venenosa!

Extremamente comuns no paisagismo – e ótimas para incrementar uma estante ou prateleira com uma “cascata” de folhas que caem na direção do chão –, as samambaias também filtram muito bem o ar.

Muito resistente, é uma planta que pode ficar na sombra e requer pouca manutenção: irrigação constante e poda das folhas mortas.

Ainda que seja uma opção prática e bonita, há uma espécie de samambaia que oferece riscos para a saúde de pessoas e animais, tanto pela ingestão da planta quanto pelo contato com os esporos que ficam embaixo das folhas.

“Pelo fato de haver milhares de espécies e ser difícil identificar essa espécie tóxica, a recomendação é manter as samambaias suspensas”, sugere a bióloga.

  • Hera
A hera pode ser usada tanto como trepadeira quanto em vasos, com uma espécie de porte anão
Reprodução/Pinterest
A hera pode ser usada tanto como trepadeira quanto em vasos, com uma espécie de porte anão

Conforme explica Natalie, a hera é uma planta que pode ser usada de várias formas, já que há tanto espécies trepadeiras quanto as de porte anão, que podem ser cultivadas em vasos.

Para que ela viva bem, é necessário colocá-la em um ambiente com sol ou meia sombra, solo fértil que tenha uma boa drenagem e regá-la constantemente, sem encharcar o solo.

“Ela gosta de frio e umidade, ajuda a umidificar o ambiente e é boa para purificar o ar”, afirma a especialista.



  • Gérbera
Além das folhagens, há também espécies de flores que ajudam a melhorar a qualidade do ar
Reprodução/Pinterest
Além das folhagens, há também espécies de flores que ajudam a melhorar a qualidade do ar

Além de folhagens, há também flores que ajudam a filtrar o ar. É o caso da gérbera, que, segundo a bióloga, quando colocada em quartos, ajuda a melhorar o sono de quem vive neles.

Conforme explica a bióloga, esta planta precisa de sol, então, na hora de escolher um lugar para ela, o melhor é posicioná-la perto de janelas ou em ambientes que recebam bastante luz natural

Além disso, elas necessitam de um solo bastante adubado de irrigação quando a terra estiver muito seca, além de se darem muito bem com locais frios.


  • Lavanda
Segundo a bióloga, o aroma da lavanda ajuda a relaxar e é bom mantê-la, por exemplo, no quarto
Reprodução/Pinterest
Segundo a bióloga, o aroma da lavanda ajuda a relaxar e é bom mantê-la, por exemplo, no quarto

Além de delicada e com flores de um tom pálido de roxo que ajudam a dar um toque romântico aos ambientes, a lavanda, segundo Natalie, é uma boa opção.

Assim como o alecrim, ela é uma espécie aromática que também tem óleos essenciais com propriedades benéficas aos seres humanos.

A bióloga afirma que, no caso dela, os efeitos são de relaxamento e tranquilidade, tornando-as boas opções para um quarto, por exemplo.

Para cultivar essa planta em casa, é importante que o ambiente escolhido não seja muito frio nem muito úmido. Ela precisa ficar sob luz direta ao menos durante algumas horas todos os dias e não requer muita água.

  • Lírio da paz
Frequentemente confundida com o copo-de-leite, o lírio da paz é uma planta de folhas escuras, grandes e com belas flores brancas.
shutterstock
Frequentemente confundida com o copo-de-leite, o lírio da paz é uma planta de folhas escuras, grandes e com belas flores brancas.

Segundo Natalie, essa é uma boa opção para fazer uma decoração com plantas, já que tem capacidade de purificar o ar, mas requer atenção na hora de posicionar já que, se ingerida acidentalmente, pode causar irritações de pele, sensação de queimação nos lábios, dificuldades para engolir e náuseas.

Para a bióloga, o mais indicado é utilizá-la em quartos de adultos ou em arranjos suspensos que fiquem longe do alcance de bichos de estimação e crianças.

A especialista também comenta que elas se dão bem na sombra e devem ser regadas com bastante frequência.


  • Crisântemo
O crisântemo é outra flor que traz benefícios à saúde e, além disso, tem várias cores diferentes
Reprodução/Pinterest
O crisântemo é outra flor que traz benefícios à saúde e, além disso, tem várias cores diferentes

Flor bastante comum no Brasil e com variações bem coloridas, o crisântemo também é uma das plantas floridas que ajudam a melhorar a qualidade do ar.

Segundo a especialista, esta é uma espécie que não gosta de luz do sol direta e prefere climas amenos.

De acordo com a bióloga, para cuidar dessa flor, o ideal é adubar o solo em que ela estiver ao menos uma vez ao mês e regá-la de duas a três vezes por semana.


Leia também: Terrário de suculentas é boa opção para decorar com plantas; aprenda a fazer

  • Babosa
A babosa não interfere na qualidade do ar, mas pode ser usada em feridas e queimaduras
Reprodução/Pinterest
A babosa não interfere na qualidade do ar, mas pode ser usada em feridas e queimaduras

Além de ser uma suculenta bem simpática, a babosa tem propriedades. Ao contrário das outras plantas citadas, que ajudam na qualidade do ar, a babosa é útil para a saúde em razão do gel que libera quando suas folhas são cortadas.

De acordo com a bióloga, o gel da babosa é algo popular na indústria cosmética, pois pode ser utilizado para amenizar a dor de queimaduras e auxiliar na cicatrização em geral.

A especialista explica que, como todas as suculentas, a babosa pede cultivo sob sol ou meia sombra, um solo drenável e irrigado periodicamente. O ideal para esse tipo de planta é a rega com borrifador, feita diretamente no solo. Além dos benefícios, a espécie tem um visual exótico que cai muito bem na hora de fazer uma decoração com plantas .

    Leia tudo sobre: Casa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.