Ao contrário do que muita gente pensa, espalhar flores em vasos com água pela casa não é a única forma de incorporar a natureza na decoração. Batizada de “Urban Jungle” , a tendência de trazer um verdinho para dentro de casa inclui diversos tipos de plantas, desde as maiores – como longas samambaias – até as menorzinhas – como as famosas suculentas. 

undefined
Reprodução/Pinterest
As suculentas são originárias de regiões desérticas e, por não precisarem de muita água, são fáceis de cuidar

Delicadas, curiosas e fáceis de cuidar, as suculentas viraram mania durante o último ano. Como elas não ocupam muito espaço, é possível criá-las em diversos cômodos da casa, e uma das melhores maneiras de fazer isso é colocando-as em um terrário, arranjo que consiste em um recipiente – normalmente de vidro – com uma espécie de ecossistema dentro.

É possível encontrar esse tipo de arranjo pronto para a compra, mas, se você curte trabalhos manuais e jardinagem, não é muito difícil fazê-los em casa. Antes, porém, é preciso entender um pouco sobre os cuidados que essas plantinhas requerem.

Como cuidar das suculentas?

De acordo com o e-book “Introdução ao Terrário de Suculentas” elaborado pela floricultura Esaflores, essas plantinhas são originárias de locais com clima desértico, ou seja, muito secos e com temperaturas altíssimas, e é justamente pelo clima árido que as folhas delas são mais “gordinhas”, já que, com essa anatomia, elas conseguem reter bastante água.

Com essa origem, é de se imaginar, portanto, que elas resistem a altas temperaturas, não precisam de muita água e, é claro, devem ter bastante contato com a luz solar. Segundo o guia, o ideal é regá-las uma vez por semana usando um borrifador e mirando diretamente na terra - ou qualquer outro substrato em que elas estejam plantadas. Nesse momento, também é importante tomar cuidado para não “afogar” a plantinha, já que o excesso de água faz as raízes dela apodrecerem.

Ao cuidar de uma suculenta ou de um terrário com várias delas, o melhor é ficar sempre de olho no aspecto das folhas. Segundo a floricultura, se elas estiverem enrugadas e opacas, é sinal de que falta água, mas nada de se afobar! Com apenas uma regada, é esperado que elas retomem o viço. Já se elas estiverem ficando amareladas e molengas, é sinal de que houve excesso de água e, nesse caso, é necessário retirar as partes afetadas e replantar as mudas que ainda estão saudáveis.

Montando um terrário

undefined
Reprodução/Pinterest
Fazer um terrário de suculentas coloridas e variadas é uma forma criativa de usar esse tipo de plantinha na decoração

Antes de começar a montar o terrário , é necessário aprender a retirar mudas de suculentas. De acordo com o guia, a maior parte das espécies dessas plantinhas têm uma facilidade muito grande de se enraizar e costuma ser muito fácil fazê-las brotar. Para criar novas mudas, é necessário ter folhas ou pedaços do caule que podem ser cortados exclusivamente para isso ou até reaproveitados quando se soltam naturalmente da planta.

Leia também: Tem um banheiro sem graça? Confira quatro formas de redecorar o cômodo

Em seguida, basta colocar terra em um vaso que tenha furinhos no fundo e posicionar as folhas espalhadas na superfície do substrato, sem enterrá-las. Segundo o guia, se forem mantidas relativamente úmidas, são necessários apenas alguns dias para as folhinhas começarem a criar raízes, iniciando o processo de formar novas plantas ; e é justamente de mudas assim que são usadas na hora de montar o terrário.

Para começar, você vai precisar de:

  • Um recipiente transparente (de qualquer formato);
  • Mudas que já tenham criado raízes;
  • Substrato para plantas (terra adubada que pode ser comprada pronta);
  • Pedras (de preferência pequenas, como pedriscos ou argila expandida);
  • Areia de rio (que normalmente é utilizada na hora de montar aquários e também é facilmente encontrada para comprar);
  • Borrifador com água;
  • Pá de jardinagem pequena ou colher;
  • Objetos decorativos (se desejado).

Com todos os materiais reunidos, é necessário montar a “base” do terrário antes de depositar a terra. Em primeiro lugar, o fundo do recipiente deve ser forrado pelos pedriscos para que, segundo o guia, a água colocada se acumule nessa parte em vez de se acumular na terra e sobrecarregar as raízes das suculentas. A orientação é de que essa camada tenha ao menos um centímetro para que seja possível enxergar o possível excesso de água e monitorar melhor a quantidade colocada.

Depois das pedras, é a vez da areia. Ela deve ser despejada sobre as pedras e ficar em contato com as “paredes” do recipiente, para, assim como a camada anterior, garantir uma boa drenagem para as raízes das plantas. Nessa etapa, é possível combinar areias de diversos tipos e brincar com as camadas para formar “desenhos”.

Logo após a areia, vem o substrato (no caso a terra adubada), cuja camada deve ser suficiente para o tamanho das raízes das mudas. Para distribui-lo, o guia aconselha espalhar o substrato em alguns montinhos e pressioná-los para criar uma superfície irregular ou inclinada.

Com o substrato devidamente distribuído e assentado, é hora de plantar as mudinhas. Para isso, é necessário abrir buracos de tamanhos que acomodem as raízes das suculentas perfeitamente e, em seguida, retirar as plantas de onde elas estão plantadas, tomando muito cuidado para não quebrar a raiz e retirando o excesso de terra que fica grudado nela.

Em seguida, as raízes devem ser posicionadas dentro do buraco e a terra em torno deles deve ser pressionada para que as plantas fiquem no lugar. Quando todas as mudas estiverem devidamente plantadas, algumas pedrinhas, areia e até pequenos objetos como miniaturas e cristais podem ser usados para fazer a decoração da superfície.

undefined
Reprodução/Pinterest
Terrários podem ser feitos em recipientes com formatos diferentes e até enfeitados com miniaturas

Por fim, basta borrifar um pouco de água nas folhas, pedras e nas paredes do terrário para tirar ciscos de terra e areia que possam ter se espalhado durante a montagem. Como espaço é essencial para que as mudas se desenvolvam, o indicado é não lotar o terrário e observar o crescimento das plantas. Com o tempo, é possível adicionar novas mudas conforme houver lugar.

Leia também: Banheiro com cara de spa é tendência para 2018; veja como transformar o seu

Onde colocar e como manter?

Esse pequeno ecossistema com suculentas pode ser colocado em qualquer lugar da casa, desde que ele seja bem iluminado. É aconselhável, portanto, colocá-lo próximo a janelas para que ele fique sempre em contato com a luz e o calor. As plantinhas devem ser regadas uma vez por semana e, segundo o guia, em horários de temperatura mais amena e luz mais fraca (como as manhãs) para evitar que as folhas fiquem manchadas.

    Leia tudo sobre: Casa

    Veja Também

      Mostrar mais