Tamanho do texto

Todo cômodo da casa precisa de cortinas? E se meu filho tem alergia, o que colocar no quarto dele? Arquiteta tira as dúvidas

As cortinas deixam o ambiente mais aconchegante, protegem da luminosidade e dar um ar todo especial a decoração. Mas todo cômodo da casa precisa desse acessório? E quem tem alergia, pode ter cortina no quarto, por exemplo? Quando devo optar pela persiana ?

A arquiteta Marcela Pousada responde essas e outras questões e tira suas dúvidas sobre as cortinas

Uma cortina para cada cômodo

Segundo Marcela, toda a casa pode ganhar o acessório, exceto as áreas molhadas, como o banheiro. "A cortina entra como parte final da decoração. É um último toque, que deixa o ambiente mais aconchegante e acolhedor. Sem ela, o ambiente fica frio, vazio". 

E os modelos, tecidos e até tipos de pregas  são os mais variados. Combine com seu estilo e, se preferir, ouse e use a cortina para dar uma cor a mais ao ambiente, por exemplo. 

Cada pedaço da casa merece uma atenção especial. É gostoso dormir em um quarto bem escurinho e para impedir a entrada de luz natural logo ao amanhecer, o indicado é o blackout . "Uso o modelo de blackout com tecido na frente. Não fica tão artificial, como aqueles blackouts emborrachados que vemos em hotéis", diz a arquiteta. Como outras opções ela sugere  persianas romanas ou silluete (aquelas com as paletas separadas horizontalmente), com xales laterais em linho. 

Exemplo de persiana romana, uma alternativa para a cortina no quarto
Pinterest
Exemplo de persiana romana, uma alternativa para a cortina no quarto



Já no quarto do bebê, prefira tecidos leves, como voil ou gaze de linho. O voil tamém é uma opção para os alérgicos por ser fácil de ser lavado e, assim, não acumular poeira. Outra ideia são as persianas que não são de tecido. Nesse caso, limpe-as sempre com um pano úmido

Para a sala, a ideia é misturar tecidos. "Gosto de mesclar uma cortina em voil , bem leve, com o xale em seda, por exemplo, pois é um ambiente que pede uma cortina mais leve", explica Marcela. Caso tenha necessidade de bloquear a luz, para o caso de uma televisão ou home theater, vale investir em uma persiana junto ou um tecido com blackout.

No escritório, a preocupação é com a iluminação. "Prefiro modelos de persiana horizontais, em madeira ou pvc, depende do estilo do ambiente. Ou modelos do tipo rolô, mas com tecido leve que não bloqueie por completo a luz natural". 

E se sua casa tiver um terraço fechado com vidro, a opção mais comum é a persiana em rolo. Mas se quiser inovar, Marcela tem mais uma dica: "Opte por persianas de palha , acho um charme". 

Veja alguns tipos de cortina e se inspire: 


Altura correta das cortinas

"O mais elegante, sempre, é a cortina ir levemente até o chão e ultrapassar, na largura, pelo menos uns 15cm de cada lado da janela", orienta Marcela. "Caso você tenha um móvel embaixo da janela, opte por uma persiana mais curta (uns 15 cm abaixo de onde acaba a janela)", completa. 

E um segredinho da arquiteta: faça barras na cortina. O tecido pode encolher um pouco na lavagem e, caso isso aconteça, basta soltar um pouco da barra para que o acessório volte a altura ideal. 

Marcela ainda faz mais um alerta: "Para efeito de amplitude, o ideal é sempre instalar o trilho no teto ou varão quase alinhado ao teto. Nunca os coloque colado na janela". 

Como cuidar das cortinas?

"As cortinas devem ser limpas com aspirador de pó no dia-a-dia, e a cada seis meses, ser lavada em lavanderia especializada", indica a arquiteta.  As persianas acumulam mais pó e merecem ser limpas todos os dias e devem ser higienizadas aleta por aleta.


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.