Especialista explica se é seguro realizar depilação a laser em peles negras
Unsplash/Reprodução
Especialista explica se é seguro realizar depilação a laser em peles negras

depilação a laser é uma das opções mais certeiras de depilação para quem quer praticidade, manter a pele lisa e macia por mais tempo ou mesmo retirar os pelos sem sentir dor. No entanto, o procedimento causa receios em quem tem a pele negra, já que alguns tipos de laser não são próprios para tons escuros e podem causar reações adversas como manchas, quelóides, queimaduras e cicatrizes.

Entre no canal do  iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!

Com isso, muitas pessoas negras se perguntam se é possível fazer depilação a laser ou, ao menos, quais tipos de estabelecimento buscar e os cuidados necessários. A biomédica Suelle Lima, gestora de uma das unidades da empresa Vialaser, especializada na técnica, conta que se o procedimento for realizado com os equipamentos adequados e em uma clínica especializada, é possível fazer a depilação com segurança.

Por que a depilação a laser causa insegurança em quem tem pele negra?

Lima explica que, de maneira geral, o método usado na depilação a laser queima os pelos pela raiz, agindo diretamente nos bulbos capilares da área desejada. "Uma das características mais importantes do laser é o comprimento de onda, medido em nanômetros. Quanto maior for o seu comprimento de onda, maior é a sua capacidade de penetração; ou seja, consegue atingir camadas mais profundas da pele", explica.

A melanina, que é a proteína que confere pigmentação à pele e aos cabelos, é o alvo do laser. Nos casos de pessoas que têm uma concentração maior de melanina na pele, o aparelho precisa “competir” com a melanina do corpo e com a do pelo. “Se a depilação não for feita com equipamentos específicos, pode ocasionar em queimaduras, cicatrizes, quelóides e manchas”, confirma a biomédica.

Outra questão que intensifica o receio é que, até pouco tempo, não existiam soluções consideradas seguras para realizar a depilação a laser na pele negra. Portanto, o procedimento era considerado arriscado. "Isso porque diversas soluções encontradas no mercado captam a melanina do pelo, e o aparelho não conseguia distinguir o que é pelo e o que é pele", reforça Lima.

“A luz do laser é absorvida pela concentração de melanina. O ganho de energia faz com que o fio seja removido e não volte mais a crescer. Quanto mais grosso e escuro for o pelo, mais melanina ele terá e mais fácil será removê-lo”, acrescenta.

Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

Laser adaptado para peles negras

A profissional explica que existem equipamentos que adaptam o laser para agir corretamente na pele negra, identificando a melanina presente apenas nos pelos que se deseja remover. Desde 2019, a empresa disponibiliza uma tecnologia exclusiva que potencializa os resultados da depilação a laser com redução de dores e ideais para todos os fototipos.

O equipamento Splendor X, desenvolvido pela empresa Lumenis, possibilita esse resultado ao unir os lasers Alexandrite ao ND-Yag na mesma aplicação. Nesse caso, o alvo do laser continua sendo a melanina, mas em uma concentração mais baixa. O foco do laser ND-Yag é irrigar a raiz do pelo ao atingir os vasos sanguíneos, que irrigam a raiz do pelo.

“O ND-Yag consegue alcançar o bulbo capilar sem afetar a pele de forma tão agressiva a ponto de marcá-la. Isso ocorre porque, como o foco é o vaso, a melanina acaba sendo ponto de atração de menor proporção em relação a outras tecnologias”, explica Lima. Ou seja, a melanina presente na pele não é o alvo principal desse laser, tornando-o seguro para pessoas negras.

Cuidados extras

A biomédica explica que os cuidados pré e pós procedimento são os mesmos para todos os tipos de pele, como não tomar sol na região para evitar manchas e sensibilidade; aplicar filtro solar diariamente; não usar outro método de depilação a não ser lâmina entre as sessões; e evitar uso de ácidos.

No entanto, pessoas negras precisam intensificar a hidratação da região depilada. Lima indica o uso de cremes corporais à base de ureia, pois auxiliam na manutenção do aporte de água por mais tempo na pele. “O laser estimula a produção de colágeno, mas ele por si só não é suficiente. A falta de hidratação pode aumentar a sensibilidade na hora da aplicação, além do risco de microfissuras”, diz.

A especialista lembra ainda que, após o procedimento, é comum que a região depilada fique sensível. “Portanto, além dos cuidados básicos com a pele, vale manter a região hidratada e protegida com o uso do protetor solar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários