Entenda como as espinhas podem se agravar na vida adulta e como realizar os cuidados diários
ShotPot/Pexels
Entenda como as espinhas podem se agravar na vida adulta e como realizar os cuidados diários

A acne é uma inflamação da pele comumente associada à adolescência devido às mudanças hormonais que estimulam as glândulas sebáceas. No entanto, esse problema pode se estender até a vida adulta e pode apresentar piora, seja por fatores genéticos ou relacionados aos hormônios. Além disso, alguns hábitos, como consumo excessivo de laticínios e derivados, tabagismo e estresse podem contribuir para o agravamento do quadro.

A dermatologista Fabiana Seidl aponta que o excesso de produção de sebo, aumento da colonização por bactérias, inflamação e excesso de queratina no folículo são algumas razões que propiciam a situação. “A acne no paciente adulto pode ser decorrente de uma acne persistente da adolescência, de um quadro que começou na fase adulta ou de uma recorrência – ou seja, uma melhora na adolescência que piorou posteriormente”, aponta a médica.

Entre no canal do  iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre universo feminino!

A acne precisa ser tratada até mesmo em graus mais leves. No entanto, o Grau 3 é considerado o mais grave e requer tratamento com uso de medicação oral na maioria das vezes. “No Grau 3, já observamos espinhas mais profundas, dolorosas e bem inflamadas. É uma situação que já requer uma atenção maior”, pontua Seidl. Cravos e vermelhidão também são comuns nesses casos.

O que causa piora da acne na vida adulta?

Há uma série de fatores que podem contribuir para a piora da acne, sendo que algumas delas estão relacionadas também a hábitos do cotidiano. O consumo excessivo de leite e de alimentos com laticínios aumenta os níveis de IGF 1 (proteína produzida no cérebro em resposta ao hormônio de crescimento) no organismo, o que pode intensificar a produção de sebo. O mesmo ocorre em quem segue dietas com alto índice glicêmico.

A nicotina também causa esse estímulo às glândulas sebáceas, podendo obstruir o orifício folicular devido à queratinização folicular. Por isso, o tabagismo também incentiva o aparecimento de acnes depois da vida adulta.

Erros na rotina de skincare podem deixar a pele oleosa . O uso inadequado de cosméticos pode obstruir os poros. Como consequência, a acne pode ser piorada por conta do acúmulo de sebo e do aparecimento de lesões inflamatórias. Esse fenômeno é conhecido como acne cosmética.

Alterações hormonais podem aumentar a secreção das glândulas sebáceas e piorar a acne, principalmente nos casos de aumento de hormônios andrógenos circulantes (como a testosterona, por exemplo). Essa alteração pode aparecer, por exemplo, ao levar um estilo de vida mais estressante. Logo, o estresse pode agravar a situação.

É comum ainda uma intensificação de espinhas durante o período pré-menstrual. “Neste momento, o orifício pilossebáceo reduz por conta das alterações hormonais. Isso faz com que o sebo fique acumulado no local, predispondo ao aparecimento de espinhas”, explica Seidl.

Os traumas repetitivos na pele são grandes vilões. Eles podem ser causados, por exemplo, ao tentar retirar um cravo ou espremer uma espinha. “Isso pode ‘romper’ o cravo e gerar o aparecimento da lesão inflamatória”, pontua a médica.

Também é comum o surgimento de acne no caso de pessoas que estão realizando tratamento com medicações que podem causar erupção acneiforme – caracterizada pelo surgimento de muitas lesões vermelhas com secreção no centro, com um aspecto similar ao de uma espinha. Corticóides, anticoncepcionais a base apenas de progesterona, lítio, anticonvulsivantes e isoniazida são alguns exemplos de remédios que podem provocar essa reação adversa.

Tratamentos para acne na vida adulta

O ideal é que o tratamento de acne seja realizado, primeiramente, com tratamento tópico ou oral. A dermatologista Ana Paula Fucci afirma que, geralmente, os medicamentos usados são derivados de vitamina A ou antibióticos.

A dermatologista Luciana de Abreu aponta ainda que opções encontradas na farmácia podem complementar o tratamento. “Opções na forma de drug delivery associado a tecnologias ou os peelings podem auxiliar. Entre eles estão vitamina C, ácido azelaico, ácido retinoico, ácido glicólico, ácido salicílico, hidroquinona, ácido kójico, entre outros”.

Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram

Abreu aponta ainda que alguns procedimentos feitos em clínicas dermatológicas podem ser usados. O procedimento de luz intensa pulsada é um dos mais eficazes como tratamento complementar, já que reduz as lesões inflamatórias e pode diminuir o índice de bactérias.

O laser fracionado não ablativo pode deixar o tratamento ainda mais potente, "inclusive aos quadros resistentes ao tratamento com a isotretinoína”, aponta Seidl. O microagulhamento, por fim, pode auxiliar no tratamento de cicatrizes.

No entanto, Seidl aponta que esses dois tratamentos não são indicados para o tratamento de espinhas. “O microagulhamento e os lasers são usados, principalmente, quando as manchas de acne têm aspecto avermelhado e arroxeado”, acrescenta Abreu.

Como cuidar da pele acneica no dia a dia

Fucci indica que é possível  cuidar da pele com acne seguindo alguns passos básicos.  Entre os cuidados para tratar da pele oleosa , é preciso que ela seja higienizada duas vezes ao dia. É importante que a higienização não passe de, no máximo, três vezes. “A frequência maior pode causar um efeito rebote e fazer a pele aumentar a produção de sebo de forma compensatória”, explica.

Devem ser usados sabonetes específicos para peles oleosas, que podem ser líquidos ou em barras. “Alguns contém ácido glicólico ou salicílico, que potencializam a renovação cutânea”, diz Fucci. “Em alguns casos pode ser necessário o uso de loções anti oleosidade para ajudar no controle”.

O uso de hidrantes também são importantes para controlar a oleosidade. Os produtos secativos pode auxiliar na redução do excesso de oleosidade e combater a bactéria que causa a doença. “Mas não há uma substância única, de uso externo, secativa, que produza resultados satisfatórios”, alerta.

O filtro solar é fundamental para auxiliar no tratamento cotidiano da pele, e pode ser aplicado em gel, loção sem óleo ou sérum. Limpeza de pele também pode ser considerada, mas deve ser realizada por um profissional próprio e, preferencialmente, indicado por um médico. “Em alguns casos, a limpeza de pele pode piorar o quadro”, diz Fucci.

Todo tratamento ou rotina de skincare devem ser pensados com orientação e supervisão médica, já que os produtos e substâncias variam de acordo com o grau e gravidade da acne. “Casos mais graves podem necessitar de associação com medicamentos de uso oral”, afirma.

Seidl acrescenta que não se deve mexer por conta própria na lesão inflamada. “Espremer a espinha pode levar a um quadro de celulite na face e necessitar de internação para antibioticoterapia venosa”, aponta a médica. A dermatologista reforça que um médico seja sempre procurado e que não sejam realizadas “receitas caseiras” indicadas na internet ou por fontes duvidosas, tampouco usar ácidos por conta própria. “Essas medidas podem piorar o quadro e gerar cicatrizes permanentes”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários