Comentadíssima nos grupos sobre skincare, a Creamy atende às necessidades de todos os tipos de pele
Divulgação
Comentadíssima nos grupos sobre skincare, a Creamy atende às necessidades de todos os tipos de pele




Por conta do meu trabalho - e porque eu gosto - estou em diversos grupos de skincare e acompanho perfis de influenciadoras de beleza para ficar por dentro do que está na boca do povo quando o assunto é cuidado com pele facial . Foi assim que eu descobri que a  niacinamida era um dos ativos mais celebrados do momento . Foi por esses mesmos canais que tomei conhecimento da existência da Creamy, marca de cosméticos nacional que tem sido bastante elogiada nesses espaços. 

O hype se deve a dois motivos: a marca entrega bom desempenho em skincare a preços bastante acessíveis - os produtos custam entre R$ 60 e R$ 80 e possuem uma boa porcentagem de ativos indicados para clareamento de manchas, redução de acne, oleosidade e linhas linhas. Mas qual deles atende melhor às necessidades de cada pele? Decidi testar todos os produtos e conto a seguir o que achei de cada um.



Como já mostramos aqui no Delas, cada componente do seu produto de skincare possui uma função específica . Então, antes de decidir por um deles vale a pena conferir se aquela fórmula é indicada para o seu tipo de pele. Também vale a pena observar se os produtos possuem ácidos em sua composição que requerem uso de proteção solar durante o tratamento. Esse foi o primeiro ponto positivo que notei ao receber os produtos Creamy: todos vêm com indicação para uso diurno ou noturno e se requerem fotoproteção. 

Comecei o teste dos produtos pela combinação de produtos para dia e noite: o verdinho (Ácido Trexanãmico), seguido da Vitamina C e o protetor solar que já uso normalmente. À noite, mais uma aplicação do Ácido Trexanâmico, seguida do sérum amarelinho (Ácido Lático e Niacinamida). 

Essa combinação foi perfeita para minha pele, que é normal/sensível, com oleosidade equilibrada e com poros normalmente bem fechadinhos. Tenho algumas manchinhas de sol, cicatrizes de acne adulta e algumas linhas de expressão facial condizentes com meus 41 anos de idade. Então o combo ácido trexanâmico, vitamina C e ácido lático + niacinamida me deixou com essa pele super lisinha e luminosa que vocês podem ver abaixo.

Minha pele após seis semanas de uso dos produtos
Arquivo pessoal
Minha pele após seis semanas de uso dos produtos


Você viu?


Depois de duas semanas testando essa combinação, mudei o sérum noturno e usei o rosinha (Ácido Mandélico) e o azul (Ácido Glicólico). Escolhi fazer o teste dos séruns nessa ordem devido à concentração de ácidos em suas fórmulas: 5, 7 e 10%, indo do mais fraco para o mais forte. Foi uma decisão acertada, já que lendo as propriedades de cada um, achei que todos serviam para minha pele de alguma forma (há ativos se repetem em vários produtos da marca).  

No entanto, o amarelinho foi o que tratou das manchas sem deixar a pele ressecada (como o rosa) ou irritada (como o azul). Ele é inclusive indicado pela marca para quem nunca usou AHAs (alfa-hidroxiácidos) ou tem a pele seca e/ou sensível. Com o rosa achei que a pele ficou um tanto ressecada, sem aquele brilho natural que eu amo. Já o azul é bastante hidratante, mas como tem maior concentração de ativos. Achei forte e senti a face pinicando em alguns momentos após o uso.

Além de ter gostado muito da combinação verdinho (trexanâmico) + amarelinho (lático), o produto que eu mais gostei foi a Vitamina C. Este é um ativo que eu gosto de ter na minha rotina porque além de antioxidante, dá aquele glow na pele, parece que você acabou de passar um primer ou iluminador de tão bonita que fica a pele após a aplicação. Diferente de outras marcas que já experimentei, não deixa a pele oleosa ou mais acnéica e é totalmente absorvida poucos minutos depois de aplicar. 


Minha avaliação geral é que os produtos são sim muito bons, que espalham bem, rendem e entregam o que prometem. As embalagens são bonitas e práticas, já que o aplicador em formato pump evita o contato das mãos com o produto, o que evita desperdício e contaminações. A dica é ler atentamente às composições para identificar quais combinam melhor com a sua pele e não dar um passo maior que a perna. Isto é, respeitar as recomendações de uso do fabricante e não ir direto no mais forte, principalmente se não estiver habituada a usar AHAs.

Por fim, minhas ressalvas tem a ver com as embalagens, que eu acabei de elogiar. Elas são compostas de um tubo branco que vai dentro de um frasco de plástico colorido. Além de muito plástico desnecessário no mundo, dificulta pra ver se o produto está acabando. As instruções de uso e indicações também são muito pequenas e eu tive dificuldade para ler com minha vista cansada. Mas tirando isso, vale muito o investimento.  

Veja a seguir as indicações de cada um dos produtos:



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários