mulher fazendo radioterapia
shutterstock
Os procedimentos da harmonização corporal não são considerados invasivos e o processo de recuperação é simples


Após o sucesso da harmonização facial , uma tendência que vem forte entre os procedimentos estéticos neste verão é a harmonização corporal - uma combinação de técnicas pouco invasivas para modificar os contornos. 


Segundo a dermatologista Fabiana Seidl, essas técnicas - como aplicação de enzimas injetáveis e técnicas manuais para diminuir o peso - ajudam a  melhorar a aparência da pele flácida  e delinear o contorno do corpo sem a necessidade de cirurgias plásticas.

A dermatologista Ana Carina Junqueira Bertin diz que o tratamento tem sido buscado por homens e mulheres. As áreas mais requisitadas para os procedimentos são abdome, costas, quadris e flancos. Os tratamentos não visam o emagrecimento e sãorecomendados para pessoas que fazem atividade física e se alimentam de forma balanceada.

Como funciona a harmonização corporal?

De acordo com Ana Carina, os efeitos são sentidos após a realização de duas sessões, que devem ser feitos entre 15 e 30 dias. O período é definido de acordo com avaliação médica. A dermatologista cita os seis procedimentos mais usados e seus efeitos.

  1. Fotona TightSculpting: torna possível esculpir o corpo e promove firmeza à pele, reduzindo gordura localizada e flacidez.

  2. Velashape III: mescla quatro tecnologias para melhorar a circulação na região, combater a retenção de líquido e favorecer lipólise local.

  3. Exilis: é voltado para flacidez na pele, tanto corporal como facial, já que o procedimento age diretamente nas fibras de colágeno.

  4. Cool Sculpting: visa a redução de gordura localizada no abdome, flancos, papada e próxima das axilas.

  5. Voluderm: o aparelho estimula a produção de ácido hialurônico, o que devolve volume ao rosto e preenche cicatrizes, sulcos e rugas.

  6. Ultrassom microfocado: procedimento é voltado para flacidez le e moderada, além de ser uma opção para contornar glúteos, pálpebras, face, abdome e a região acima do joelho.

Existem contra indicações para quem quer fazer harmonização corporal?

Ana Carina ressalta que os tratamentos não devem ser feitos em menores de 18 anos e gestantes. Fabiana acrescenta que outras contra indicações são lesões de pele no local a ser tratado,  amamentação e doenças autoimune s. “Dependendo do procedimento pode ter mais alguma contra indicação específica como uso de marca-passo ou anticoagulantes”, reforça a especialista.

A harmonização corporal é eficaz?

Fabiana afirma que a eficácia do procedimento depende de fatores diretamente relacionados ao estilo de vida do paciente, mas ressalta que a eficiência dos tratamentos de harmonização corporal são cientificamente comprovados. Na maior parte dos casos, não é necessário fazer qualquer tipo de manutenção. “O ideal é que o médico avalie cada caso particular para saber quando isso é indicado”, diz a dermatologista.

Como é a recuperação após o procedimento de harmonização corporal?

De acordo com Fabiana, a maior parte dos procedimentos não necessitam de tempo de recuperação. Ana Carina indica que é melhor se resguardar da exposição solar por uma semana. “O máximo que pode acontecer é a área ficar dolorida ou, dependendo do procedimento, apresentar algum inchaço ou hematoma”, diz Fabiana.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários