O momento atual, da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), é estressante para muita gente. Toda essa tensão pode afetar os cabelos, deixando-os sem vida, mais oleosos e com frizz. O estresse também por provocar a queda de cabelo e deixar os fios mais quebradiços. 

queda de cabelo arrow-options
shutterstock
Estresse pode agravar a queda de cabelo

Leia também: Quebra x queda de cabelo: saiba identificar seu problema e veja tratamentos

Como explica a dermatologista Natasha Crepaldi, de Cuiabá, o estresse provoca a liberação de mediadores químicos, como a adrenalina , que nos faz reagir com mais eficiência em situações de perigo. Isso tem seu lado positivo, mas também traz desvantagens, como a vasoconstrição. "Cabelo por ser uma das partes do corpo com maior índice de reprodução, é um dos primeiros a serem poupados", diz a médica. 

Alberto Cordeiro, dermatologista especialista em cosmiatria, laser e tricologia, completa: "Com isso [a vasoconstrição], a chegada de nutrientes e hormônios ao bulbo capilar, que é a estrutura responsável pelo nascimento dos fios, é prejudicada".

Resultado disso? Tanto queda de cabelo quanto fios mais quebradiços e com frizz porque estão recebendo menos nutrientes nesse momento. 

Outro hormônio que pode trazer prejuízos ao cabelo é o cortisol , diretamente ligado ao estresse. "Ele encurta a fase de crescimento capilar e promove a queda", fala Alberto. É uma queda cíclica, chamada de eflúvios telógenos, causada pelo estresse. 

Natasha também cita o cortisol como um vilão nesse momento: "É um hormônio catabólico que faz com que a síntese proteica seja reduzida, com isso menos nutrientes chegam aos fios também". Dessa forma, voltamos ao problema já citado, da falta de nutrientes .

Ana Carina Junqueira, médica especializada em tricologia clínica e pesquisa, ainda lembra que todo esse processo de queda capilar resulta em novos fios debilitados e também mais propensos a quebra e outros problemas, como o frizz

"O cabelo mais novo, pós queda, é sem dúvida mais fraco. O nosso couro cabeludo produz novos fios, quando esse cabelo se recompõe e cresce simultaneamente em grande quantidade, o folículo piloso recebe menos nutriente e não é capaz de se desenvolver com a mesma força e qualidade de um fio saudável", explica Ana Carina. "Dessa forma, não contém tanta siliconação, ganhando um aspecto enrijecido, se quebrando com facilidade e causando frizz", completa a dermatologista. 

Cabelo mais oleoso? Também pode ser culpa do estresse

cabelo comprido arrow-options
Pexels
Oleosidade e coceira também são efeitos do estresses nos fios

O cortisol, de acordo com Natasha, também pode deixar os fios mais oleosos. Ele, junto com uma cascata de hormônio, aumenta a produção de sebo. Com isso, os cabelos ficam mais oleosos e também mais propensos a coceira. 

Tal coceira, a dermatite seborréica, "também aumenta em até 20% a chance de um fio cair", diz a especialista. 

Como evitar e cuidar dos efeitos do estresse nos cabelos?

cabelo loiro arrow-options
Pexels
Cuidar de si mesma é o primeiro passo para evitar os danos do estresse nos cabelos

Alberto é categórico: "De uma forma geral, quando a queda é causada pelo estresse, não adianta fazer tratamentos apenas para o couro cabeludo ou para a fibra capilar. A indicação médica é procurar também uma terapia, meditação, relaxamento, diminuindo assim o nível de estresse".

As outras dermatologistas consultadas seguem dicas parecidas. "Primeiramente é essencial se blindar do estresse emocional, valorizando uma rotina de autocuidado e mantendo o equilíbrio corpo e mente ", diz Ana Carina.

"A sugestão de fazer uma rotina em casa , com horário para acordar, alimentação adequada em qualidade e quantidade, exercícios físicos, sono, desligar de noticiários ruins e agir somente no que está ao nosso alcance e podemos controlar. Isso ajuda muito a mudar o mindset e reduzir a reação de luta e fuga instalada no organismo", comenta Natasha.

 Elas também dão dicas práticas de cuidados com os fios. "Devemos procurar manter o cronograma de lavagens de acordo com as características do couro, não o deixando ficar muito oleoso, com coceira", ressalta Natasha. 

A dermatologista ainda afirma que usar shampoo é o suficiente nesse momento para manter a saúde dos fios e livrá-los de vírus. "Surgiram rumores de que era preciso lavar com sabonete ou sabão para eliminar a possível contaminação pelo coronavirus ao sair de casa. Isso não é verdade, o shampoo eliminaria".

Segundo a médica, atenção recobrada aos fios coloridos ou com química. Nesse caso, ela diz que é fundamental, mesmo em casa, respeitar o calendário de hidratação, nutrição e reconstrução para recuperação dos fios. 

Já Ana Carina dá ensina uma receita bem simples para cuidar dos fios: "Uma ótima dica é adicionar em seu condicionador duas colheres de sopa de mel e azeite, transformando-o em uma máscara capilar. Usar essa máscara duas vezes na semana já é o suficiente para hidratar os fios".

Mais uma atitude simples para evitar a queda de cabelo e a quebra dos fios é evitar as amarrações. Natasha lembra que cabelo sempre preso favorece o aparecimento da dermatite seborréica. Além disso, a tração de um rabo ou uma trança aumenta a chance da raiz enfraquecer e o fio cair. 

    Veja Também

      Mostrar mais