Theresa e Jacqui
Reprodução/Instagram
Theresa e Jacqui

Ross, é você? Um homem dos Estados Unidos pediu muito para sua então esposa, Theresa Rose, sobre  o casal fazer um ménage - ou seja, inserir uma terceira pessoa no sexo. Em 2020, ela decidiu presentar o marido convidando uma mulher para transar com eles. Theresa, criada em uma família cristã conservadora, teve sua primeira experiência sexual com outra mulher e ela foi o suficiente para ela começar a se questionar sobre seus sentimentos.

"Sempre ouvi que gays vão para o inferno. Talvez por isso, quando mais nova, eu não tenha parado para analisar que as paixões que eu nutria por mulheres famosas, como as atrizes Megan Fox, Carmen Electra e Jessica Alba, fossem mais do que uma admiração”, disse ela ao The New York Post, que é mãe de dois filhos.

“Viver essa interação íntima com uma mulher pela primeira vez, a profundidade física e emocional, foi tão intenso. Eu fiquei tipo: ‘Meu deus, isso é o que estava faltando na minha vida'”, contou. “Depois de estar com aquela mulher, eu disse para mim mesmo: ‘É por isso que eu tenho estado tão infeliz com meu casamento. Meu relacionamento com meu marido, emocionalmente, parecia tão superficial e solitário comparado a minha conexão com a mulher'”, disse.

Término conturbado

Depois da experiência transformadora para Theresa, ela agora precisava enfrentar o final do seu casamento. Transtornado com as motivações do término, seu ex-marido a expôs diante da família, o que fez com que os pais de Theresa cortassem a relação com a filha.

Leia Também

“Depois que eu contei ao meu marido sobre os meus sentimentos, depois da experiência com a mulher, ele ficou bastante nervoso. Ele contou para meus pais muito conservadores, nossos amigos e para nosso grupo de estudos bíblicos. Meus pais me condenaram”.

Assim, enquanto lidava com as questões sobre sua própria sexualidade, ela sentia impulsos suicidas, motivados pela rejeição das pessoas que amava e estava sofrendo. Foi neste período que Theresa conheceu Jacqui, sua atual namorada, que a ajudou a passar pela turbulência.

Hoje as duas moram em Portland, com os dois filhos de Theresa. Ela ainda lida com as dores do abandono familiar, mas cortou relações com a religião e se tornou ateia. No TikTok, oferece apoio a mais 132 mil lésbicas que ” se descobriram tardiamente”, em seu perfil @Raising2Activists.

** Luciana Teixeira Morais é jornalista formada desde 2016, com experiência em reportagens para mulheres, UX writer, SEO e mídias sociais. No iG, escreve para os canais Delas e Receitas, além de uma coluna sobre maternidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários