Na contramão de mulheres que mexem no celular do companheiro para descobrir traições, Adriana usou uma técnica mais
Freepik / Reprodução
Na contramão de mulheres que mexem no celular do companheiro para descobrir traições, Adriana usou uma técnica mais "tradicional"


É comum que algumas mulheres se sintam envergonhadas na hora do sexo . Esse medo pode acontecer por uma série de fatores: vergonha do próprio corpo, auto cobrança para dar prazer pro parceiro ou parceira, achar que não vai  conseguir chegar ao orgasmo  ou por conta de una educação muito rígida e repressora. 




Gabriela Daltro, psicóloga e terapeuta sexual da Plataforma Sexo Sem Dúvida, explica a vergonha durante o sexo pode afetar (e muito) a qualidade da vida sexual feminina.

Ela explica que a vergonha na hora do sexo pode bloquear a pessoa inclusive de buscar relacionamentos, acarretando outras questões, como dor durante a relação. Em alguns casos a pessoa pode desenvolver o vaginismo , problemas nos relacionamentos amorosos ou transtornos como  ansiedade e depressão.

Para lidar melhor com essas questões ajudar a psicóloga dá a seguir algumas dicas que podem ajudar a lidar com a vergonha durante o sexo, aprender a se soltar mais e aproveitar melhor esse momento de intimidade e prazer. 


Trabalhe na sua autoestima 


O primeiro passo, segundo Daltro, é admitir que tem vergonha. A segunda coisa é normalizar esse sentimento e se lembrar que você não é a única. Você também pode procurar ajuda de especialista em sexualidade para para trabalhar essa questão e se sentir mais segura de si na hora do sexo. 

Você viu?


 “Durante o sexo, é um momento que você está muito exposta tanto emocionalmente como fisicamente, então é natural sentir medo e bloqueio, a melhor dica é procurar ajuda”, acrescenta. 


Conheça você e seu corpo 


A masturbação feminina ainda é considerada um tabu, mas é fundamental para conhecer o próprio corpo e entender o que lhe dá prazer. Assim é possível conseguir explicar para o parceiro ou parceira o que gosta e o que deseja na cama.

“É importante buscar se conhecer, conhecer o próprio corpo, na parte sexual, se experimente muito sem medo e sem vergonha. É seu corpo, é seu direito se explorar, aprender a se comunicar, falar para o parceiro(a) o que gosta”, diz Daltro. 


A outra pessoa também pode ajudar 


Além de conhecer o próprio corpo, é muito importante conversar com a pessoa com você está se relacionando para que ela saiba entender e respeitar seu tempo dela e fazer com que você se sinta confortável na relação.

“Muitas vezes a pessoa não vai falar o que quer ou o que tem medo, ou nem sabe o porquê do desconforto. Então o parceiro(a) pode perguntar, sugerir que eles se explorem juntos, experimentar toques em várias partes do corpo, para irem se percebendo melhor e melhorar a intimidade", diz a especialista.



Jogos e acessórios 


Deixar as inseguranças de lado e tratar o sexo como algo prazeroso pode não ser uma tarefa fácil, mas não é impossível. Uma coisa que pode ajudar a se soltar e se sentir mais relaxada são jogos e acessórios como sex toys para incrementar a relação. 


Claro, tudo precisa ser combinado com o parceiro. “Pode ser legal brincadeiras também, descobrir toques diferentes, fechar os olhos e se explorar, usar cartas ou dados eróticos. É uma maneira na qual a pessoa pode se sentir mais confortável e explorar mais a sexualidade”, encerra.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários