O distanciamento social causado pela pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) interferiu diretamente da vida sexual de muita gente. Casais separados ou solteiros carentes têm recorrido ao sexting, ou mais popularmente conhecido “mandar nudes”.

Leia também: Fazer sexo sobre a máquina de lavar é a moda da quarentena

nudes arrow-options
shutterstock
Mandar nudes na quarentena está aquecendo os relacionamentos

Os nudes na quarentena tem sido uma alternativa para a época de sexo virtual, mas é necessário ter alguns cuidados. De acordo com a terapeuta de casais, Ivana Cabral, antes de enviar uma foto íntima para uma pessoa, tenha certeza que ela é de confiança.

“Enviar nudes exige um grau de intimidade e confiança com o parceiro. Apesar de ser uma atividade recorrente, a internet ainda não é um canal seguro. Tenha certeza de que essa exposição não será algo que irá ferir seus princípios e que você está totalmente confortável com isso. Não faça apenas para agradar o seu parceiro”, indica.

Mulheres que são adeptas do sexting dão algumas dicas sobre como tornar o processo mais seguro. Confira abaixo:

Aposte no anonimato

Apesar da confiança para quem você envia essas imagens, todo o cuidado é pouco. É importante evitar que a foto contenha qualquer elemento que possa ser relacionado a quem está nela. Portanto, a dica é não deixar que o rosto apareça nas fotos.

Outra forma de não ser identificada(o) é omitir tatuagens e marcas de nascença. "Tampo a cara e tiro em um fundo neutro que não mostre nada que possa ser ligado a mim", afirma uma leitora em entrevista ao Delas, anonimamente.

Leia também: Ativista viraliza na web ao comentar sobre sexo entre pessoas com deficiência

Segundo o "Guia Sensual de Segurança Digital ", criado pela Coding Rights, "você nunca saberá os limites da síndrome de detetive de alguém" e, portanto, é importante prestar atenção em outros detalhes. É indicado que os metadados da imagem – dados de localização e horário que ficam gravados no arquivo – sejam apagados, o que pode ser feito usando alguns aplicativos gratuitos disponíveis no mercado.

Use aplicativos seguros

Uma das grandes preocupações na hora de mandar fotos sensuais é a da pessoa que a recebe salvá-las e repassá-las. Por isso, a maior parte das mulheres envia as imagens em aplicativos em que as fotos se autodestroem após algum tempo. Alguns deles, inclusive, avisam os usuários quando alguém faz uma cópia do material.

No entanto, o Guia não recomenda nenhum meio que seja vinculado a seu número de telefone (Snapchat, SMS, WhatsApp, Facebook, entre outros). Os mais seguros são aqueles aplicativos criptografados por inteiro, como o Wickr e o Confide.

Guarde tudo a sete chaves

O cuidado precisa se estender após enviar as fotos. Existem alguns métodos populares para evitar o ataque hacker ou de olhos curiosos. Aplicativos com senha podem ser uma boa saída. Alguns permitem até a criação de uma senha falsa que, quando utilizada, não exibe o conteúdo real armazenado. 

"Guardo as fotos em uma pasta zipada e com senha no computador, não deixo nada no celular", comenta uma leitora. O guia alerta ainda para a importância de criar senhas elaboradas que nunca devem cair nem nas mãos de pessoas consideradas confiáveis.

Leia também: Dicas para não quebrar o clima durante o sexo virtual

Use a tecnologia a seu favor

Saindo das recomendações de cuidado, essa é uma dica para melhorar a produção dos nudes na quarentena . Para chamar atenção, aposte na criatividade. “Existem aplicativos de fotos, de vídeos e até chats on-line. Use a imaginação!”, comenta a terapeuta.

    Veja Também

      Mostrar mais