Com o avanço dos casos de Covid-19 no Brasil, muita gente já adotou o isolamento social – ação que visa diminuir a propagação do vírus e aliviar o sistema de saúde. Para muitos casais, isso significa distância e, consequentemente, saudade.

Leia também: Vídeo, foto e até jogo: como diminuir a distância da família na quarentena?

mulher digitando no celular
shutterstock
A tecnologia é uma grande aliada dos casais que estão distantes devido ao isolamento social

Em meio a um cenário de incertezas e estresse alto, lidar com a distância pode ser um desafio para muitos casais. Embora seja algo difícil no início, a terapeuta de relacionamentos e neurocoach Rosangela Matos (@descomplicandorelacoes) fala que é possível encontrar saídas para driblar a saudade e manter a relação saudável.

“Alguns fazem vídeo chamadas, dormem com a peça do outro, adormecem no mesmo horário, compartilham a mesma playlist de música e fazem declarações”, exemplifica. A especialista ainda completa, dizendo que força de vontade e criatividade são fundamentais para encarar o tempo longe.

Rosangela bateu um papo com o Delas sobre o que o casal pode fazer para enfrentar essa situação de forma mais leve e tranquila. Confira as dicas da especialista:

Tecnologia como aliada

“A tecnologia é a maior aliada de um casal que não pode estar junto no mesmo lugar. Ela ajuda a criar sintonia, aumentar o sentimento e fazer com que um sinta que o outro está ali”, fala. Por isso, invista em chamadas de vídeo, mensagens e ligações para conversar sobre a rotina, atualizar sobre as novidades e matar a saudade.

Rosangela sugere que usem isso como uma ferramenta para aproximá-los. “O casal pode combinar o preparo de uma refeição. Um cozinha de um lado, outro cozinha do outro, cada um prepara a sua bebida, compartilham amenidades...”, exemplifica.

Porém, ela alerta que é preciso ter cuidado para não exagerar e passar o dia todo conversando. Segundo ela, é importante que cada um tenha a sua rotina e combinem quantas vídeos chamadas vão fazer, por exemplo. Assim, há espaço e tempo para compartilhar o que se achar interessante. “Se você passa o dia todo conversando com uma pessoa, esse excesso vira atrito e não deixa vir a saudade”, alerta.

Leia também: Alimentos para driblar a ansiedade: veja o que comer na quarentena

Atividades compartilhadas

A terapeuta fala que é comprado que casais que compartilham as mesmas atividades se sentem mais conectados, tem mais assuntos e sentem mais afinidade. Mesmo distante, o casal pode aproveitar isso. Vocês podem combinar de ver uma série, um filme ou ler o mesmo livro. Podem ainda elaborar uma lista de coisas para fazer. Depois, compartilham percepções e experiências. Apesar da distância, é uma forma de aproximar e conectar.

Mesmo longe, o sexo é importante

Rosangela reforça que, mesmo distante, a sexualidade é um pilar forte dentro da relação e que deve ser trabalhada. “É o momento de falar para o outro dos seus desejos e das suas vontades. Vocês podem combinar o próximo encontro e falar sobre fantasias”, sugere.

Além disso, a especialista cita algumas formas de apimentar a relação à distância:

  • Chamada de vídeo

É importante lembrar que fotos e vídeos sensuais podem ser gravados e vir à tona em algum momento. Por isso, todo o cuidado é pouco! Uma alternativa é fazer uma ligação sensual e em vídeo. O casal pode tomar banho juntos, por exemplo.

  • Mensagens picantes

“As mensagens picantes ajudam o casal a imaginar coisas e a ter mais criatividade. Com essa imaginação solta, tem mais vontade ainda de dividir momentos quentes”, sugere.

  • Contos e filmes eróticos

O casal pode combinar de ler um conto erótico ou assistir o mesmo filme. Não precisa ser algo pornô! A terapeuta sugere algo “mais quente” para despertar a libido.

  • Sex toys

A terapeuta fala que existem alguns sex toys que podem ser controlados por aplicativos de celular. Assim, à distância, outra pessoa pode mudar a intensidade e a velocidade. Uma ótima forma de apimentar a relação de quem está longe, não é?

  • Masturbação guiada

Essa é um ótimo momento para se masturbar o conhecer o próprio corpo. Para envolver o outro, vocês podem combinar de um coordenar o que o outro faz. Assim vocês aproveitam para dizer o que gostam na hora do sexo.

Leia também: Querer controlar o outro é algo normal na relação de um casal?

Cuidado com a insegurança!

“A insegurança é uma grande inimiga dos casais que estão distantes”, comenta a profissional. Por não estarem perto, perdem a sensação de controle e acabam deixando a insegurança tomar conta. “A grande verdade é que o controle não existe. E se ele existe, não é saudável”, pontua.

Nesse momento de isolamento social, é preciso ter muito cuidado para não cair em pensamentos que levam a imaginar histórias, criar lacunas e acusações. “Os atritos se tornam cada vez maiores, pequenas coisas geram brigas e discussões fazem com que um não tenha mais vontade de conversar com o outro. A conexão vai diminuindo”, alerta.

Dessa forma, para finalizar, Rosangela fala sobre a importância de lembrar que o outro está nessa relação porque quer. Ela sugere olhar para as suas qualidades, cuidar da autoestima e fazer aquilo que te faz bem, isso ajuda a se fortalecer e vencer a insegurança.

    Veja Também

      Mostrar mais