Carnaval é tempo de brilho, curtição e, para muita gente, sexo sem compromisso. A festa mais animada do ano é vista para a maioria dos solteiros como a oportunidade ideal para investir na paquera e curtir o sexo casual.

Leia também: Veja dicas para arrasar na paquera de carnaval

casal fantasiado se beijando
shutterstock
Para muita gente, carnaval é tempo de beijo na boca e sexo sem compromisso; mas dá para fazer isso sem se apegar?

Ao Delas, a terapeuta de relacionamento Rosangela Matos explica que o comportamento é histórico. No passado, o carnaval era um rito de passagem da escuridão para a luz, do inverno para o verão, celebrando a fertilidade. “Tradicionalmente era também uma época para satisfazer desejos sexuais e isso é mantido até hoje”, fala.

Ela exemplifica lembrando dos famosos clichês carnavalescos: “Ninguém é de ninguém”, “No carnaval pode tudo” e por aí vai. “As pessoas vão para o carnaval com essa ideia de viver o novo e de conhecer pessoas diferentes. É um período de extravasar e de se permitir”, diz.

“É uma festa muito aguardada por sua energia, por sua alegria, mas também pela liberdade sexual”, completa.

Leia também: Veja dicas para curtir o carnaval sem se descuidar da proteção na hora do sexo

Pega, mas não se apega

pernas de casal com roupas íntimas no chão
shutterstock
Alinhar as expectativas é a principal dica para curtir o sexo casual sem se decepcionar

Não há frase melhor para descrever o sexo casual de carnaval do que o clássico “pega, mas não se apega”. Mas, como não se apegar? Afinal, podemos nos apaixonar a qualquer momento, não é mesmo?

Rosangela explica que o segredo para não se decepcionar e aproveitar a “pegação” de carnaval está na expectativa que você coloca naquele momento. “O ideal é ter muita clareza de que esse é um momento de curtição”, aconselha.

“Não é porque beijou e foi incrível ou porque o sexo foi maravilhoso que vai ter um depois. Pense sempre no aqui e no agora, sem grandes expectativas”, completa.

Muitas vezes, as mulheres se inspiram em histórias de casais que se conheceram no carnaval há anos e estão juntos até hoje, mas é um erro ir para a folia imaginando viver algo parecido. “Quando a pessoa vai com esse pensamento para o carnaval, corre um grande risco de se decepcionar e voltar para casa com o coração partido”, fala a terapeuta.

Além de baixar a expectativa, é importante lembrar que você está no comando da situação. Não quer se apegar? Então talvez não seja uma boa terminar todas as noites de carnaval com a mesma pessoa. “Se você decide ficar uma segunda noite, uma terceira noite, precisa ter consciência de que você está escolhendo se apegar. Não é algo do destino. É algo que você está deixando acontecer”, diz.

Rosangela também fala que é importante lembrar que a rotina volta depois da quarta-feira de cinzas, o que nem sempre inclui levar um “amor de carnaval” para o dia a dia.

É possível curtir  sexo sem compromisso  de forma saudável para os dois. Por isso, alinhar as expectativas é fundamental. Você pode estar bem determinada na ideia do sexo casual, mas, se o outro se apegar, pode ser um problema.

A terapeuta de relacionamentos orienta conversar com respeito e sinceridade, assim como você gostaria que fizessem com você. “Deixe claro quais são as suas reais intenções, o que você quer e o que não quer”. Se você não está sentindo o mesmo que o outro, é justo saber que ela saiba disso, não é?

Leia também: Fantasia de carnaval: sereia, girassol e anjo ainda vão bombar em 2020

Me apeguei, e agora?

mulher olhando para o celular
shutterstock
Você pode até mandar uma mensagem no dia seguinte, mas não pressione o outro se ele não demonstrar interesse

Você passou a quarta-feira de cinzas pensando no que viveu durante os dias de folia e quer repetir? Se vocês trocaram WhatsApp, Rosangela aconselha esperar a pessoa te chamar. “Passou um dia, dois dias e a pessoa não fez nenhum movimento de entrar em contato com você? Perceba que talvez ela seguiu a vida e aquele momento foi muito bacana e legal, mas foi uma paixão de carnaval”, comenta.

Se ainda assim você quer falar com a pessoa, a profissional orienta mandar uma mensagem, mas sem insistência. “Respeite o espaço e o momento do outro. Lembre que a pessoa não prometeu nada a você”, diz.

A dica é seguir a vida, focar nos planos e projetos pessoais. A terapeuta de relacionamentos ainda fala para cuidar do coração para que “logo, logo ganhe uma pessoa nova que também está disposto a se envolver em uma relação”.

“Quando nós nos envolvemos com pessoas que estão dispostas a viver a mesma coisa, é mais fácil que a paixão evolua para uma relação séria e para o amor”, conclui.

    Veja Também

      Mostrar mais