Tamanho do texto

Endocrinologista afirma que uso de anabolizantes aumenta libido e que, ao parar de usá-los, libido fisiológica pode parecer insuficiente; entenda o caso

A perda de libido é motivo de preocupação de muitas mulheres e pode ser provocada por uma série de fatores, desde físicos até psicológicos e emocionais. Investigar as razões por trás disso é extremamente importante pois a perda de desejo pode prejudicar seriamente a vida sexual da mulher.

Será que o uso de anabolizantes pode estar relacionado à perda de libido? Endocrinologista desmistifica
shutterstock
Será que o uso de anabolizantes pode estar relacionado à perda de libido? Endocrinologista desmistifica


Estar sofrendo com perda de libido , porém, não é motivo de alarde, pois, em grande parte das vezes, é possível resolver o problema com hormônios, métodos alternativos, alimentação, exercícios físicos ou mesmo terapia.

É vivendo uma situação dessas que uma leitora do Delas (cuja identidade será preservada) nos escreveu: “Estou com sérios problemas hormonais e estou perdendo desejos, e ainda não tenho condições de gastar com remédios para tratar o problema. Tomei anabolizantes por cinco anos, mas já faz anos que parei, sendo que estou sentindo a diminuição da libido há pouco mais de um ano. Será que essa pode ser a causa?”

Perda de libido pelo uso de anabolizantes

Os anabolizantes não provocam perda de libido, muito pelo contrário, aumentam o desejo sexual
shutterstock
Os anabolizantes não provocam perda de libido, muito pelo contrário, aumentam o desejo sexual


Por mais que o uso de hormônios interfira, sim, nos órgãos sexuais tanto do homem quanto da mulher, eles não necessariamente afetam a libido. A endocrinologista Dolores Pardini, membro da SBEM-SP (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional de São Paulo), explica que os anabolizantes, especificamente, comprometem a fertilidade da mulher, mas não sua libido - muito pelo contrário.

“Quando uma mulher usa o anabolizante, a ‘bomba’, que é a testosterona, o hormônio masculino, ela está consumindo doses farmacológicas muito superiores à fisiológica que o corpo dela produz. Então isso vai fazer com que ela deixe de ovular e de menstruar, podendo também provocar acne e queda de cabelo. No longo prazo, até a fertilidade dela é comprometida. Entretanto, com relação à libido, não ocorrerá perda alguma. A tendência é que a libido dela até aumente”, explica. Nas mulheres, o uso da bomba provoca até o mega clitóris, quando o órgão aumenta de tamanho mesmo sem estar excitado.

Mas então de que forma o uso de anabolizantes poderia estar relacionado à perda de libido? A explicação pode estar, justamente, no fim do uso, segundo a médica. “Na época que ela usou, o padrão de libido dela aumentou e quando parou de usar a libido foi voltando para a fisiológica”, sugere Dolores como uma das hipóteses.

E, sim, a perda de libido pode acontecer anos depois de encerrar o uso visto que cada corpo é um corpo e, assim, o tempo de cada um para eliminar os anabolizantes completamente é diferente.

“Os efeitos do uso de anabolizantes são reversíveis. Parou de usar, os níveis de hormônio no organismo vão caindo gradualmente. O tempo que demora para tudo ser eliminado tem muito a ver com o tempo de uso, a idade da paciente e o histórico menstrual, principalmente”, diz.

Ela ainda ressalta que a SBEM-SP se posiciona contra o uso de qualquer tipo de anabolizantes devido às consequências em relação à fertilidade. Homens e mulheres podem até ficar estéreis por conta do uso e o efeito pode ser irreversível.

Recuperando a libido

O primeiro passo para combater a perda de libido é o auto-conhecimento
shutterstock
O primeiro passo para combater a perda de libido é o auto-conhecimento


Antes de optar por qualquer tipo de tratamento para tentar recuperar ou aumentar a libido , é necessário ter certeza do motivo por trás de sua diminuição. Para isso, consultar um ginecologista e até um médico especializado, como um endocrinologista, é essencial - até para verificar a possibilidade de um tratamento hormonal.

Para além disso, a terapeuta de casais com foco em sexualidade pelo INPASEX (Instituto Paulista de Sexualidade) Giovanna Lucchesi fala sobre a importância de compreender melhor a própria libido e sexualidade, que deve ser sempre cuidada.

“Há uma crença inadequada que desejo sexual se tem ou não se tem, mas é importante lembrar que a motivação [e o desejo] para a atividade sexual deve ser trabalhada e treinada para uma vida sexual melhor”, diz. E com isso ela se refere tanto ao desejo com o outro e o desejo com si mesma, que é busca individual pelo prazer, por exemplo através da masturbação.

Assim, é necessário tempo para realizar esse auto-cuidado. Tempo que nem sempre existe. “A sobrecarga física e emocional  das atividades de casa, família e casal que são impostas às mulheres é fator de extrema importância a ser considerado, pois esse cenário impossibilita que as mulheres sintam-se descansadas e dispostas a cuidar de si mesmas”, defende.

É recomendável, então, que as mulheres busquem sempre encontrar um tempinho para elas, seja para cuidar da própria vida sexual ou de outros aspectos de si mesma que estão sendo negligenciados - por meio de uma psicoterapia, por exemplo.

“Cada mulher precisa passar pelo processo de auto-conhecimento para entender o que, para ela, é importante e prazeroso, sem críticas e julgamentos que foram impostos socialmente. A terapia pode auxiliar nesse processo de descoberta”, recomenda a terapeuta.

Métodos alternativos

Além do auto-conhecimento, existem métodos alternativos para combater a perda de libido; veja
shutterstock
Além do auto-conhecimento, existem métodos alternativos para combater a perda de libido; veja


Sendo o auto-conhecimento um dos métodos para buscar recuperar ou elevar a própria libido, vale a mulher começar redescobrindo sua vulva, vagina e clitóris, “a abertura de repertórios que desencadeiam pensamentos bons e prazerosos em relação ao sexo, aos toques e sensações”.

Entre outras alternativas para quem busca combater a perda de libido, mas não quer gastar com remédios ou prefere evitar partir para o tratamento hormonal estão:

  • Assistir filmes eróticos ou investir na literatura erótica, buscando novas fontes de excitação;
  • Experimentar com  alimentos afrodisíacos que estimulam a produção de dopamina e testosterona, além de serem benéficos para a saúde dos órgãos sexuais;
  • Fazer aulas de massagem tântrica, um estilo de massagem, que apesar de não ser propriamente erótico, estimula o tônus pélvico e busca aguçar a sensibilidade do praticante aos estímulos sexuais durante o ato, inclusive melhorando e intensificando os orgasmos;
  • Buscar tratamentos com ervas, como a maca peruana, uma raíz que pode ser consumida em pó, diluída em água ou sucos, ou em cápsulas e que, além de aumentar a libido, auxilia no combate aos sintomas da TPM. Porém, neste caso, vale buscar sempre um profissional especializado.

Tem mais dúvidas sobre perda de libido , sexo e sexualidade? Entre em contato conosco pelo  sexo@igcorp.com.br  e nós traremos um especialista para respondê-la com sigilo total!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.