Tamanho do texto

Está sentindo que sua vontade de fazer sexo diminuiu? Ler sobre sexo, apostar nas preliminares e até a alimentação podem acabar com o problema

De acordo com um estudo divulgado durante a conferência anual da “British Sociological Association”, um terço das mulheres sente menos desejo sexual do que os parceiros do sexo oposto. Algumas variações hormonais podem fazer com que a libido feminina caia drasticamente, mas outros fatores – como a dificuldade em mostrar para o parceiro ou para a parceira quais são as próprias preferências sexuais – também podem ser responsáveis por isso. 

Leia também: Um terço das mulheres afirma ter menos desejo sexual que o parceiro

Libido
shutterstock
Libido

Reparou uma queda na sua vontade de fazer sexo e está se sentindo incomodada com isso? Confira algumas dicas do que pode ser feito para recuperar a libido e até aumentar o prazer na cama.

Conversar é essencial

De acordo com Cátia Damasceno, educadora sexual e criadora do projeto “Mulheres Bem Resolvidas”, casais que conversam tendem a ter mais vontade de fazer sexo, já que, dessa forma, a pessoa sabe quais são os interesses e limites da outra, fazendo com que seja mais fácil controlar expectativas, evitar decepções e tornando o relacionamento mais confortável.

Além disso, conversar com o parceiro ou a parceira pode ajudar a deixar claras as preferências na cama. “Através da conversa , podemos conhecer o outro melhor e descobrir se o que era importante no sexo ontem, ainda permanece importante hoje”, explica Cátia.

Aposte nas preliminares

As preliminares também são uma parte importante do sexo para homem, mas para mulheres, elas são essenciais. Para que o corpo da mulher esteja devidamente preparado para fazer sexo, ele deve ser estimulado. Caso contrário, o ato pode não ser confortável, já que, quando elas não estão excitadas o suficiente, pode faltar lubrificação, dificultando a penetração vaginal. Cátia explica que é justamente para essa preparação que as preliminares servem. “É nesse processo que obtemos estímulos para a lubrificação e a dilatação ideal da vagina”, afirma ela.

A especialista afirma ainda que, conforme a idade chega, o processo de excitação da mulher fica ainda mais demorado, exigindo que as preliminares sejam mais longas. “A concentração de hormônios muda conforme as fases da vida de uma mulher, por isso é importante sempre buscar se conhecer e descobrir o próprio corpo”, enfatiza ela.

Cuide bem da saúde

De acordo com Cátia, praticar atividades físicas faz com que a produção de endorfina e testosterona – hormônios que influenciam e muito o prazer sexual feminino – pelo corpo aumenta. Para manter o organismo funcionando direito, ela aconselha que as mulheres façam uma atividade física prazerosa. “Caminhadas são excelentes para ajudar na circulação e manter a disposição”, exemplifica a educadora.

Alimentação

Refeições pesadas e ricas em alimentos oleosos podem estar sabotando sua libido. De acordo com a nutricionista Jéssica Berto. Alguns alimentos fazem com que o fluxo sanguíneo se concentre exageradamente na digestão, prejudicando a irrigação em outras partes do corpo. Por consequência, isso piora o desempenho sexual e faz com que as pessoas se sintam menos dispostas.

Jéssica explica que além de frituras e da carne vermelha – que têm uma digestão mais trabalhosa –, alimentos como a soja estão ligados à produção do estrogênio, que é antagônico à testosterona – regente do apetite sexual – podendo prejudicar a desejo sexual. Ao contrário deles, as ostras, o salmão, o abacate e o kiwi possuem substâncias que podem ajudar a dar um “up” na vontade de transar.

Leia também: Desempenho sexual pode ser afetado pela alimentação? Nutricionista explica

Descubra e entenda o próprio corpo

Da mesma forma que os gostos e as preferências sexuais diferem de pessoa para pessoa, o mesmo acontece com a libido e o desejo sexual. “É impossível comparar o próprio corpo com o dos outros. Por isso, tentar definir um padrão a ser seguido pode tornar as coisas piores”, alerta a educadora. Não crie expectativas a partir de filmes pornô ou de histórias que as amigas contam, o importante aqui é entender o próprio corpo e saber o que faz bem a ele.

Nessa hora, a masturbação é uma aliada importante. Para que a mulher saiba o que quer na hora do sexo, é importante que se toque e descubra quais partes do corpo são mais responsivas a estímulos. Se houver dificuldade em obter prazer com as próprias mãos, ela pode buscar o auxílio de brinquedos eróticos, por exemplo.

Mande o estresse para longe

De acordo com Cátia, a correria do dia a dia e o acúmulo de problemas podem tornar a pessoa mais estressada, fazendo com que o corpo dela produza mais adrenalina e, consequentemente, prejudicando o desejo sexual. “Essa substância faz com que os vasos [sanguíneos] se contraiam, dificultando a lubrificação vaginal”, explica a educadora. A dica aqui é tentar ao máximo livrar a mente de problemas e lembranças estressantes na hora H. “Tente sempre desacelerar e relaxar antes de iniciar uma relação”, sugere Cátia.

Leia mais a respeito de sexo

Além de conhecer adequadamente o próprio corpo e ter noção de quais estímulos são mais agradáveis para ele, também é importante buscar novas formas de satisfazê-lo. De acordo com a educadora, ler sobre sexo pode ser uma ótima forma de ter ideias e até de estimular tanto a mente quanto o corpo. “Ler e falar sobre sexo são as melhores estratégias para elevar os desejos. Se você ler um livro sensual ou um conto erótico durante o dia, sua noite pode ser muito mais divertida”, explica Cátia. Talvez seja hora de tirar a poeira de “Cinquenta Tons de Cinza”!

Leia também: Sexo esfriou com o tempo? Veja como resgatar o desejo do começo do namoro

Solte-se mais na cama

De acordo com Cátia, a libido tem uma relação direta com o nível de segurança que a mulher tem consigo mesma e com a situação. Tirar da cabeça algum incômodo que o parceiro ou a parceira podem estar proporcionando e buscar formas de se livrar de qualquer hesitação a respeito do próprio corpo podem fazer com que ela se sinta menos insegura e vulnerável. A educadora explica também que, na hora H, é importante ter foco. “Preste atenção na respiração e no beijo na boca”, sugere ela. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.