Tamanho do texto

Apesar do que mostram os filmes adultos, a penetração não é uma prática capaz de satisfazer todas as mulheres; veja como conciliar a questão

Quando filmes pornográficos  retratam o sexo, ele normalmente é resumido a cenas de sexo oral – da mulher fazendo no homem por longos minutos e recebendo por apenas alguns segundos – e penetração vaginal ou anal. Nas cenas, as mulheres parecem ter bastante prazer durante o ato, mas, na vida real, boa parte delas não se sente dessa forma.

Apesar de grande parte das mulheres não se satisfazer com o sexo penetrativo, a questão ainda gera dúvidas para muitas delas, e, nesta semana, uma leitora do Delas nos escreveu a respeito disso. “Já tem bastante tempo que não tenho relações com meu marido, não sinto prazer com ele no ato da penetração . Quando eu mesma me toco, consigo me dar prazer e fico satisfeita. Nada do que ele faz me atrai sexualmente, poderiam me orientar?”, afirma.

Tem algo errado em não chegar ao orgasmo com penetração?

Apesar do que dizem os filmes e o senso comum, a penetração não é algo prazeroso para todas as mulheres
Shutterstock
Apesar do que dizem os filmes e o senso comum, a penetração não é algo prazeroso para todas as mulheres

Não! Segundo um estudo que consultou mais de 50 mil mulheres e foi publicado no início do ano passado no periódico “Archives of Sexual Behaviour”, o sexo penetrativo é a prática que tem menos chances de fazer a mulher alcançar o orgasmo . Conforme explica Cátia Damasceno, especialista em sexualidade e criadora do projeto “Mulheres Bem Resolvidas”, são vários os motivos que tornam o orgasmo vaginal – ou seja, atingido com o estímulo do sexo penetrativo – complexo.

Segundo a especialista, o interior do canal vaginal tem menos terminações nervosas que o clitóris – “botãozinho” do prazer que fica na região da vulva – o que, para muitas, torna o prazer ao toque menor. Outra questão que deve ser levada em conta de acordo com Cátia é a questão anatômica; conforme explica ela, o clitóris é mais “acessível” que o canal vaginal porque parte dele é externa e facilmente estimulável.

Para Cátia, além de ser algo normal, é preciso deixar de lado essa pressão toda para as mulheres consigam gozar  quando são penetradas durante o sexo. “Com o orgasmo vaginal, o homem acredita que conseguiu satisfazer a mulher, que o pênis dele foi capaz de proporcionar o orgasmo. Quando ela tem um orgasmo clitoriano, na cabeça do parceiro, ela é capaz de se satisfazer sozinha, seja com as mãos ou algum objeto, fazendo com que ele sinta que não é necessário”, explica.

O que fazer além da penetração

Para quem não gosta de penetração, há muito mais o que fazer para ter satisfação durante as relações sexuais
Shutterstock
Para quem não gosta de penetração, há muito mais o que fazer para ter satisfação durante as relações sexuais

Não conseguir gozar com o sexo penetrativo é absolutamente normal, mas, afinal, o que o casal pode fazer para se divertir na cama sem isso? A primeira dica é, caso a mulher seja apenas indiferente à penetração, complementar a prática com outras que ela considere prazerosas e que a façam gozar.

Conforme mostra o estudo citado, a presença do sexo oral antes ou depois da penetração faz o número de mulheres que chegam ao orgasmo passar de 35% para 60%, então investir nesse tipo de estimulação pode ser uma forma de a mulher ficar mais satisfeita (assim como o uso dos dedos e de brinquedos eróticos).

Por outro lado, se a mulher simplesmente não gosta de ser penetrada, é preciso ter claro que isso não é um problema e que – como tudo no sexo envolve consenso – ela não precisa se forçar a nada. Apesar de o sexo penetrativo ser considerado como o “prato principal”, é possível que tanto o homem quanto a mulher se satisfaçam sem ele.

De acordo com a sexóloga Priscila Junqueira, o corpo tem muitas outras áreas para se explorar além das partes íntimas. Conforme explica ela, nas mulheres, as zonas cujo toque gera mais prazer são a parte interna dos braços e coxas, os seios, a virilha, a região atrás do pescoço, as orelhas e a coluna vertebral.

Aqui, a dica é usar a criatividade, e, segundo Cátia, conversar bastante com o parceiro para decidir o que traz sensações boas para ambos. Veja mais dicas de sexo sem penetração aquiTem mais dúvidas sobre a penetração , posições sexuais e outras questões como essas? Entre em contato conosco pelo sexo@igcorp.com.br  e nós traremos um especialista para respondê-la com sigilo total!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.