Tamanho do texto

Ele aproveitou que ela foi viajar com a família, arrumou as coisas e mudou de país, só não esperada que iria ter de encarar a ex de frente anos depois

Com medo do compromisso, Victor (nome fictício) aproveitou que a parceira Sylvia foi fazer uma viagem de férias em família, juntou as coisas, arrumou um emprego em outro país e mudou-se sem avisar nada a então namorada. Os dois estavam juntos há três anos e viviam sob o mesmo teto a dois, mesmo assim ele preferiu fazer tudo escondido. Ele só não fazia ideia de que, 10 anos depois, ela se tornaria chefe dele.

Leia também: O amor e suas diversas formas

Ele abandou a namorada e acabou a reencontrando no ambiente de trabalho 10 anos depois
shutterstock
Ele abandou a namorada e acabou a reencontrando no ambiente de trabalho 10 anos depois


Buscando ajuda, o rapaz escreveu de forma anônima um relato em um fórum chamado “Ask a Manager”, explicando os detalhes dessa inusitada história com a namorada . “Sylvia queria se estabelecer, mas não estava pronto para me comprometer tão jovem. Nós claramente tivemos expectativas diferentes do relacionamento. Eu não sabia o que fazer”, desabafa logo no começo da postagem.

O medo da reação da parceira foi tanto que ele decidiu não enfrentar a situação. “Eu simplesmente queria evitar desencadear um drama por conta do término. Sylvia era bastante emocional e ficou obcecada com o relacionamento, me rastreando e me submetendo a várias cenas [de ciúmes] na frente dos meus pais e amigos”, conta.

Mudança de vida

O rapaz conta que, ao mudar de país, a vida avançou rápido. Começou a trabalhar como professor de matemática em uma escola internacional e, com o passar dos anos, manteve outros relacionamentos. Sylvia e toda história de abandono passou a ser algo do passado, até que a vida resolveu pregar uma peça no rapaz. O diretor da escola em que Victor trabalhava precisou se ausentar para resolver problemas familiares e uma nova pessoa viria substitui-lo.

Sabendo que teria uma nova diretora, ele resolveu ler o currículo dela . “Li a biografia da nova chefe, avaliei e fiquei chocado ao descobrir que era Sylvia. Nós nunca mais conversamos e já não temos mais amigos em comum. Eu não sou um grande fã das mídias sociais e não tinha ideia do que ela fazia da vida”, coloca.

Leia também: Jovem usa Tinder para achar "substituto" para passeio radical

Obviamente, o rapaz que fugiu anos atrás ficou apavorado por pensar em ver a ex-namorada novamente. “Não tenho ideia do que fazer e como lidar com essa bagunça. Não estou em posição de encontrar outro emprego no momento. Não há outras escolas internacionais nesse país, então essa não é uma opção”, expôs no fórum. “Mas, o mais importe é que estou feliz e bem resolvido aqui, então não quero mudar”, completa.

Conselhos dos internautas

Victor resolveu expor tudo isso porque não via um solução para o problema e tentou buscar ajuda no fórum  através dos comentários. Claro que muitas pessoas criticaram a atitude passada do rapaz, mas outras realmente deram conselhos. Há quem acredite, por exemplo, que por ter passado 10 anos, a situação continua desagradável, mas não iria deixar Sylvia devastada. 

Outra sugestão dada foi que ele procurasse a ex-parceira antes dela começar a exercer o cargo de diretora da escola, assim poderia informar que ele trabalha lá e evitaria um baita constrangimento no primeiro dia em que se encontrassem no local. Ele seguiu esse conselho, foi atrás de mais informações de Sylvia, descobriu que ela está casada e tem filhos. Mandou um e-mail para ela e logo foi chamado pelo RH da escola.

Leia também: Casamento é tão bom que acaba em rede de fast food

Com a justificativa de que a história envolvendo a namorada do passado geraria especulações e fofoca, a instituição estabeleceu algumas regras, como por exemplo, os dois não poderiam conversar sozinhos, sem que uma terceira pessoas estivesse junto, mesmo estando fora da escola. Victor não concordou com as medidas, pediu demissão e desempregado, resolveu voltar para a casa dos pais. “Não estou pedindo que sintam dó de mim. Só gostaria que outras pessoas não tivessem que carregar o peso da minha imaturidade no passado”, completa.

    Leia tudo sobre: amor