Tamanho do texto

Quer apimentar a relação? Nada de vergonha! Especialista em sexualidade dá dicas de como começar a incluir o "dirty talk" no sexo; confira

Está cansada de sexo morno ou de lidar com um relacionamento em que as coisas esfriaram ? Conversas sobre o que há de errado ou incômodo na relação fazem parte da solução, mas outro tipo de papo – muito mais interessante – também podem ajudar (e muito)! É do “dirty talk” (aquelas sacanagens ao pé do ouvido ou por mensagens) que estamos falando.

O 'dirty talk' (sacanagens ao pé do ouvido) é uma alternativa para apimentar o sexo
Shutterstock
O 'dirty talk' (sacanagens ao pé do ouvido) é uma alternativa para apimentar o sexo

Além de se tratar de uma prática relativamente comum entre casais, a especialista em sexualidade e criadora do projeto "Mulheres Bem Resolvidas" Cátia Damasceno explica que o que se fala e os sons emitidos durante o sexo são algo importante para a relação. “Sexo em silêncio é monótono demais! É preciso os gemidos para saber como está a temperatura da transa. Se o homem está gostando de ouvir, ele vai ficar mais estimulado e se empenhar mais, proporcionando mais prazer para a mulher”, explica ela. Que tal, então, apimentar esse indicativo com algumas sacanagens ?

Leia também: Provocação em público e sexo proibido excitam mais? Veja algumas histórias

Como começar?

Algumas pessoas, tanto homens quanto mulheres, têm vergonha de falar coisas mais picantes, apesar de sentirem vontade de fazê-lo. Se isso nunca rolou na hora do “vamos ver”, é possível que o parceiro ou a parceira seja pego de surpresa e não consiga responder. Segundo Cátia, ousar muito logo no início pode ter efeito contrário ao esperado. “Muitas vezes, a gente acha que falar uma besteira bem cabeluda pode dar certo e no fim o parceiro pode ficar constrangido com a situação”, comenta ela.

Cátia afirma que o certo é ir com calma e que, para começar, falar sobre as preferências e desejos é uma boa ideia. “Uma gemidinha diferente com um volume mais alto, no outro dia sugerir uma posição diferente, na semana que vem solta um ‘ai, gostoso’ e vai vendo o que funciona. Dizer o que quer que ele faça, de que jeito prefere, qual posição te dá mais tesão , por exemplo, são boas alternativas”, aconselha a especialista.

Nível avançado

Cátia afirma que é bom deixar o parceiro ou a parceira corresponder e, se houver abertura, há possibilidade de surpreender a pessoa com algo mais ousado. Ainda assim, é preciso algum cuidado. “Se a mulher gosta de palavrões, por exemplo, ela precisa se abrir para o parceiro . Sexo tem de ser bom para ambos e precisa de diálogo. Quanto a limites, se está bom para ambos, então tudo certo!”, explica ela.

Leia também: Estudo aponta quais são os fetiches mais comuns; confira

À distância

Seja por estarem em um relacionamento à distância ou por terem rotinas que ocupam demais o tempo, alguns parceiros não conseguem se ver com muita frequência. Em casos como estes, o “dirty talk” ao pé do ouvido pode ficar para depois e ser substituído por aquela mensagem ou ligação cheia de sacanagens enquanto ambos se masturbam. Um papo mais quente ou uma foto sugestiva também são uma boa pedida para criar expectativas antes de um encontro, por exemplo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.