Tamanho do texto

Monika Tubarão chegou a pesar 140kg, conseguiu emagrecer e chegar aos 77kg. No entanto, um câncer a fez recuperar alguns quilos; leia sua história

Durante a adolescência, a funcionária pública e personal trainer Monika Tubarão, de 42 anos, era bastante ativa. Ela fazia ginástica artística, jogava vôlei e sempre teve interesse pela área do esporte. Quando adulta, no final dos anos 1990, dançava em uma banda de baile e participava dos ensaios com frequência. Na época, pesava 65kg, estava em sua fase mais magra e, não parecia que, em pouco tempo, perder peso seria uma preocupação.

Leia também: "Minha vida é totalmente outra": mulher perde 80 kg e diz como emagrecer rápido

Monika Tubarão, de 42 anos,  conseguiu perder peso: à esquerda, aos 140kg, e, à direita, com 77kg; veja sua história
Arquivo pessoal/Monika Tubarão
Monika Tubarão, de 42 anos, conseguiu perder peso: à esquerda, aos 140kg, e, à direita, com 77kg; veja sua história

Em abril de 1999, no entanto, a vida dela mudou. Monika precisou sair da banda, casou-se e ficou um período desempregada. “Ao ficar em casa, na frente da TV, você come mais. Gosto muito de chocolates e doces, como brigadeiro e pudim de leite condensado. Perdi a mão nessa parte e também no fast food”, conta. O resultado? Em dezembro do mesmo ano, chegou a 100kg, sinal que era necessário perder peso .

O ex-marido também estava fora do peso e chegou aos três dígitos na balança. Além da má alimentação, a personal também tomava anticoncepcional para não engravidar. Os quilos foram aumentando com o passar dos anos e, em 2009, ela chegou a 140kg.

“Isso estava prejudicando a minha saúde. Eu não cheguei a ter a diabetes, colesterol e pressão alta, mas tive problema nos joelhos. Sentia dor nas pernas e também na coluna”, detalha.

Nesse ano, ela já havia voltado ao trabalhar. A situação ficou pior quando, durante a limpeza da casa, sentiu o corpo travar. Com isso, não conseguia mover as pernas. Para poder se recuperar, precisou tomar soro com morfina, um antiinflamatório, injeções com relaxante muscular e fazer fisioterapia por 10 dias. “Meu ex precisava me levar ao banheiro e me dar banho porque a minha coluna travou de um jeito que não conseguia me mexer”, diz.

Além de todos esses problemas já citados, a obesidade também prejudicou sua autoestima. “Você não tem roupa da moda para escolher. Precisa usar o que serve e tenta combinar as coisas. Não frequentava praia e nem piscina, pois usar roupa de banheiro e sair em público era complicado. Sempre tive muita vergonha. Me olhava no espelho e não gostava do que via”, desabafa.

As mudanças na vida de Monika para conseguir perder peso

Para perder peso, Monika Tubarão optou pela dança. Ela, inclusive, se tornou professora de zumba em uma academia
Arquivo pessoal/Monika Tubarão
Para perder peso, Monika Tubarão optou pela dança. Ela, inclusive, se tornou professora de zumba em uma academia

A mudança aconteceu após uma consulta médica. O ortopedista analisou os joelhos dela e disse que Monika precisava emagrecer de qualquer jeito. No entanto, as únicas atividades permitidas, diante das condições físicas, eram caminhada leve ou hidroginástica. A natação, que também ajuda a emagrecer , estava proibida por ter alguns movimentos mais fortes e intensos.

O especialista, então, sugeriu que ela emagrecesse por meio da cirurgia bariátrica. Com a guia em mãos, ela colocou seu nome na fila do SUS (Sistema Único de Saúde), pois não possui convênio médico. Enquanto aguardava ser chamada, conversou com outra amiga que também precisava perder peso e iria passar pelo mesmo procedimento, mas em um hospital particular.

Durante o processo cirúrgico, a amiga passou por certas complicações e teve uma parada cardiorrespiratória. Ficou em coma por 15 dias. Depois, quando os tubos foram retirados, ela iria começar a dieta líquida, mas, após dois dias, teve outra parada e não sobreviveu. “Foi nesse momento que eu rasguei a minha guia e falei que preferia estar viva e gordinha do que morta e magra”, salienta.

Com essa alternativa descartada, a funcionária pública precisou achar outros meios para conseguir emagrecer e ter uma vida mais saudável. Afinal, conforme relata à reportagem, já não aguentava mais a situação que estava vivendo. Diante disso, foi atrás daquilo que sempre gostou de fazer: dançar. Por indicação de uma conhecida, ela se inscreveu em alguns cursos de uma escola particular de dança.

No entanto, ela não podia arcar com os valores de todas as aulas. A dona da empresa, ciente de sua determinação, viu que Monika estava sempre por lá e resolveu lhe oferecer uma bolsa de estudos. “Comecei com o hip hop, mas minhas costas deram sinal de inflamação e o meu professor me indicou o jazz, que trabalha o fortalecimento muscular e a postura. Melhorei – e foi assim que tudo começou”, explica.

Tudo isso aconteceu em 2009, mesmo período em que entrou para a faculdade de Educação Física. “Comecei a mudar minha dieta conforme ia aprendendo nas aulas de nutrição. Além disso, tive ajuda de uma nutricionista do posto de saúde que trabalho. Passei a tirar algumas dúvidas e a fazer o atendimento. Resolvi encarar de verdade”, afirma.

Leia também: Nutricionista lista 5 fatores que podem estar sabotando sua dieta; veja quais são

Antes, ao iniciar alguma dieta que estava na moda, Monika sabotava a si mesma e só a fazia para "os outros". Isso porque ela atacava a geladeira quando ninguém estava olhando e consumia diversos doces. Em contrapartida, dava a desculpa que estava de regime, mas não conseguia emagrecer. Dessa vez, no entanto, ela estava disposta e determinada a perder peso.

Dos 12 kg perdidos em um mês até o peso considerado ideal

Monika conseguiu perder peso e chegou aos 77kg ao seguir dietas e fazer exercícios físicos. O ideal, segundo ela, é 80kg
Arquivo pessoal/Monika Tubarão
Monika conseguiu perder peso e chegou aos 77kg ao seguir dietas e fazer exercícios físicos. O ideal, segundo ela, é 80kg

Não há como negar que, ao cortar calorias e fazer exercícios, há uma perda de peso expressiva no começo. E esse foi seu caso. Em um mês, ela já havia perdido 12kg. Tudo estava indo bem até que chegou aos 100kg. Depois de alcançar esse peso, ficou estagnada – e não via os números descerem na balança. Sabia que precisava tormar uma atitude. Foi quando resolveu procurar uma nutricionista do esporte e passou a dar aulas jump e step em uma academia.

O objetivo era sair dos três dígitos na balança. “Chegar aos 99kg foi bem complicado, mas a profissional me passou uma dieta baseada nas aulas, com horários alternativos, e assim fui emagrecendo. Chegou em uma época em que passei a dar aulas de zumba onde eu malhava”, detalha.

O interesse pela zumba cresceu, tanto que Monika fez treinamento e passou a ministrar aulas da modalidade. Com isso, conseguiu misturar duas práticas que gosta muito: dança e atividade física. “Por mais que eu estivesse gordinha, sempre gostei de fazer exercício. Essa é a lembrança da minha juventude”, recorda.

Durante o processo de emagrecimento, a funcionária pública se separou, em outubro de 2013, após 14 anos casada. O divórcio a deixou abalada – mas ela deu a volta por cima. “Durante seis meses, eu só chorava. Ia dar aula de zumba porque não podia deixar minhas alunas na mão. A dieta não ficou muito bem, pois não tinha vontade de comer nada, seja saudável ou não. Quase entrei em depressão”, relata.

Monika conseguiu vencer as barreiras que encontrou ao longo do caminho. Depois que melhorou, seguiu uma alimentação low carb e, em seguida, cortou os carboidratos da alimentação. Foi quando chegou aos 77kg.

“Achei que meu rosto ficou muito esquelético, então resolvi voltar para os 80kg. É um peso que ficou bom. Comecei a me olhar no espelho e dizer que estava na minha melhor forma. Era isso que eu queria. O tamanho do meu pé também diminuiu. Emagreceu”, revela.

Câncer e 20 kg a mais, mas sem desanimar: "Consigo novamente"

Após perder peso, Monika descobriu que estava com câncer e, com isso, precisou se afastar das dietas e dos exercícios
Arquivo pessoal/Monika Tubarão
Após perder peso, Monika descobriu que estava com câncer e, com isso, precisou se afastar das dietas e dos exercícios

A personal chegou ao peso ideal. Estava feliz com o resultado. No entanto, em 2018, começou a engordar novamente e sem motivo aparente. Ela continuava com as aulas e com a dieta. Entretanto, ficava mais cansada que o normal e até mesmo desanimada. Certo dia, percebeu que havia um caroço em seu pescoço. Exames identificaram que se tratava de um câncer na tireoide.

“Ele estava causando alterações no metabolismo e fazendo eu engordar mesmo sem sair da linha”, expõe. No dia 10 de julho, ela fez a cirurgia de retirada do tumor. Felizmente, como foi diagnosticado no começo, o câncer não se espalhou. A condição fez com que ela precisasse dar uma pausa nas atividades físicas e mudar a alimentação. Com isso, engordou 20kg.

A médica que a acompanha só liberou a musculação em janeiro deste ano, mas ainda não é possível seguir um regime por causa das medicações que substituem os hormônios da tireoide. “É preciso paciência para voltar a rotina de antes e emagrecer novamente”, enfatiza. Depois da cirurgia, com metabolismo lento (hipotireoidismo) e afastada das aulas, academia e dietas, está com 102kg.  

Leia também: Como perder peso e não engordar novamente? Estudo dá a resposta

Com as restrições, Monika agradece por não estar com 140kg novamente. Ela revela que está se controlando em relação aos doces, chocolates e fast food. “Estou cada vez mais focada. Lutando para perder peso e não voltar de onde vim. Sei que posso voltar a minha melhor forma. Se consegui uma vez, consigo novamente. Voltei a dar minhas aulas e agora vou poder voltar a treinar. E assim que o remédio encaixar, retomo as dietas”, finaliza.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.