Tamanho do texto

Praticamente nenhum alimento é completamente bom ou mal para a dieta. É preciso cuidado e moderação ao consumir esses chamados "queridinhos"

Quando o assunto é dieta, vire e mexe aparece um alimento da moda, um queridinho do momento. Há tempos, por exemplo, quem figura nesse posto é o óleo de coco. Ele é febre entre famosos e pessoas do mundo fitness, mas pode não ser tão benéfico quando se pensa. 

Recentemente, um estudo, publicado pela Associação Cardíaca Americana, apontou que o óleo de coco pode fazer tão mal para a saúde quanto a manteiga ou a gordura animal por causa da quantidade de gordura saturada que ele contém. Segundo a pesquisa, 82% da gordura do produto é satuarada. Para ter uma ideia, a taxa é maior que a da manteiga, com 63%, e da banha de porco, com 39%. E não é a primeira vez que cientistas e médicos alertam sobre o produto

Pensando nisso, o Delas conversou com duas especialistas, a nutróloga Ana Luisa Vilela e a nutricionista comportamental Patrícia Cruz, que analisaram combinações clássicas e queridinhos da dieta para sabermos quando devemos tomar cuidado com eles. Às vezes o que parece ser um grande aliado do emagrecimento pode trazer riscos para sua saúde. 

1. Óleo de coco

Óleo de coco tem diversos benefícios, ma deve ser evitado em alguns momentos
shutterstock
Óleo de coco tem diversos benefícios, ma deve ser evitado em alguns momentos

Patrícia faz coro com os estudiosos da Associação Cardíaca Americana. "Ele é é fonte de gordura saturada e essa substância que tem forte correlação com doenças cardiovasculares. Como toda gordura saturada, só deve ser consumida com moderação", alerta. 

Por mais que seja considerado um alimento funcional e apontado como um item que contribui para a queima de gordura , Patrícia não o recomenda, "por mais que em sua composição apresente o ácido graxo láurico". O risco relacionado a doenças cardiovasculares ainda é muito alto, na opinião da nutricionista. 

Já a nutróloga Ana Luisa é mais maleável e diz que esse ácido graxo com o qual o óleo é composto é um bom indicativo. "Adicionado a dietas, o óleo aumenta a energia, equilibra os hormônios, estimula a glândula tireoide e aumenta a atividade do metabolismo", lista a médica.

A chave é moderação. Em quantidade pequena, o óleo pode trazer benefícios. Se houver exagero, resulta em ganho de peso, já que é calórico, e outros males. 

Leia também: 6 vezes que você não deve incluir o óleo de coco na rotina

2. Suco verde

Suco verde é nutritivo, mas não faz milagre
shutterstock
Suco verde é nutritivo, mas não faz milagre

Esse é um clássico das blogueiras fitness e da casa de muita gente. Para Ana Luisa, ele pode ser consumido, contanto que se tome cuidado com a acidez, já que costuma levar limão no preparo. E é indicado como uma forma de incluir mais vegetais na dieta. "O lado bom é que este suco estimula o consumo de folhas verdes essenciais para a nutrição diária", afirma a nutróloga. 

O problema está em pensar que o suco verde será milagroso e acabará com um gole com todas as toxinas ingeridas depois de um final de semana ou feriado prolongado. O erro, como explica Patrícia Cruz, está no rótulo "detox" que a bebida ganhou. "Pensar que o suco fará o detox é um grande mito. Quem é responsável por isso no corpo é o fígado", ressalta a nutricionista. A bebida tem, sim, nutrientes antioxidantes que auxiliam no equilíbrio do organismo, mas não necessariamente eliminam as toxinas. 

Tendo claro qual a função do suco, ele é bem-vindo "em qualquer horário do dia e em qualquer situação, desde que a pessoa goste do sabor e que ela faça parte de alguma refeição, isto é, café da manhã, lanches intermediários", orienta Patrícia. 

3. Chia

Semente de chia é saudável, mas também é bastante calórica
shutterstock
Semente de chia é saudável, mas também é bastante calórica

A semente caiu no gosto de quem faz dieta porque é conhecida por formar uma espécie de gel no estômago e, com isso, dar uma sensação maior de saciedade. Há quem sugira adicioná-la a frutas ou iogurtes para que fique satisfeito por mais tempo com o alimento.

Patrícia ainda lista outros benefícios da chia: é um cereal rico em fibras, gordura boa (ômega 3) e auxilia para o bom funcionamento do intestino e também no controle da dislipidemia (aumento da taxa de gordura no sangue). 

Entretanto, também exige cuidados e, nesse ponto, ambas as profissionais concordam. A chia faz bem, mas é muito calórica. Cada colher de sopa apresenta, em média, 60 kcal. Portanto, o exagero pode resultar em um prato mais "gordo" do que o desejado. 

4. Frango e batata doce

Frango grelhado é sinônimo de dieta e ele é muito bem-vindo na alimentação saudável
shutterstock
Frango grelhado é sinônimo de dieta e ele é muito bem-vindo na alimentação saudável

Essa dupla é quase sinômino de exercícios, principalmente aqueles pesados de musculação. Provavelmente você já viu alguma musa com sua marmita de frango com batata doce nas redes sociais. E sim, ela é ótima, na opinão das especialistas. Chegamos a um queridinho ideal das dietas. 

"O frango é uma ótima fonte de proteínas sem grandes contra indicações e com pouca gordura, além de ter bom preço. A batata doce fornece energia sem picos glicêmicos, sendo assim ótima opção para o dia a dia", resume Ana Luisa. Lembrando que o ser um carboidrato de baixo índice glicêmico significa que é um alimento que fornece energia ao corpo sem gerar picos de açúcar no sangue e também de forma mais lenta. E vale evitar esses picos, porque eles podem resultar em acúmulo de gordura e também fazem com que se sinta fome mais rapidamente. Quanto maior o pico, menor a sensação de saciedade. 

O problema é que até na dupla frango e batata doce as pessoas estão exagerando. "O maior erro, na minha opinião, é a forma como está sendo consumida, em qualquer horário do dia, como lanche da manhã ou depois da atividade física. Isso não é necessário. Essa é a combinação perfeita para refeições como almoço e jantar, somada a uma salada de folhas e legumes", afirma Patrícia. 

Ela também indica variar o preparo: "Podemos elaborar e fazer o frango assado, grelhado, cozido com outros legumes. A batata doce também pode ser preparada não somente cozida, mas assada, como purê".

Bônus

Chá verde

Chá verde ajuda a emagrecer, mas em exagero por trazer graves problemas
shutterstock
Chá verde ajuda a emagrecer, mas em exagero por trazer graves problemas

Essa bebida já foi tema de diversas matérias do Delas e também já foi apontada por aí como a solução para o emagrecimento. A bebida contém cafeína e, por isso, é um termogênico, ou seja, ajuda a acelerar o metabolismo.

Entretanto, segue o mesmo caso do óleo de coco e de outros queridinhos: o excesso pode ter efeito contrário e fazer mal para a saúde. Em excesso, essa  bebida é tóxica e pode causar hepatite grave . Se for consumi-la dê preferência para ingerir pela manhã ou durante o dia, já que a cafeína pode atrapalhar o sono, e em quantidade moderada. Na dúvida, tenha como base o café. O cafezinho tem o dobro da cafeína do chá verde e a recomendação é apenas 1 a 3 xícaras pequenas por dia. 

    Leia tudo sobre: dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.