Blogueiras russas afirmam estarem sofrendo russofobia
Reprodução/ Instagram
Blogueiras russas afirmam estarem sofrendo russofobia

Dividindo opiniões por toda a internet, os vídeos de blogueiras russas rasgando as suas bolsas Chanel, em protesto as restrições colocadas pela marca viralizaram. As russas levantam a bandeira de que as pessoas de seu país têm sofrido discriminações desde início aos ataques contra a Ucrânia. 

O movimento de rasgar as bolsas da marca começaram com a apresentadora de TV Marina Ermoshkina. Em seu Instagram, ela publicou um video onde ela desafiava outras mulheres da Rússia a fazerem ao mesmo, demonstrando a sua indignação com a política que a empresa adotou contra as pessoas russas, em que elas agora são obrigadas a assinar um papel ao comparar um de seus produtos. 

“Ao comprar coisas na loja da Chanel, os russos começaram a ser obrigados a assinar um papel humilhante, afirmando que nunca usariam essa marca na Rússia”, diz.

Segundo ao comunicado divulgado pela Chanel, a marca decidiu proibir a venda de seus itens no território russo, como forma de demonstração de repúdio aos ataques militares contra a Ucrânia. 

Leia Também

Leia Também

“As últimas restrições de sanções da União Europeia e da Suíça proíbem a venda, direta ou indiretamente, de itens de luxo a qualquer pessoa física, jurídica ou entidade na Federação Russa ou para uso na Federação Russa”, afirma a grife em comunicado.

A atitude da jornalista gerou polêmica, nas redes sociais as pessoas demostraram as suas opiniões, para alguns foi uma atitude fútil, em vista do que os ucranianos tem passado, mas para outros nem tanto, demonstrando o seu apoio também as pessoas russas. 

Para Marina Ermoshkina, em seu mais recente post no Instagram, apesar das críticas, ela conta que conseguiu o que queria, chamar a atenção das pessoas para o assunto. Ela também diz que fará doações para Donbas, área de conflito na Ucrânia. 

“Amigos! Estou muito feliz que com meu desafio chamei sua atenção para o problema da Russofobia. Isso foi feito para não apenas expressar a posição dos russos, mas, claro, para ajudar as pessoas. Ainda tenho itens da marca Chanel. Claro, não vou estragá-los mais. Isso foi feito uma vez para causar um clamor público. Quero vender todos os itens da Chanel que tenho e doar os lucros para ajudar as vítimas em Donbas. E acabei de enviar a primeira parcela (parte do custo da bolsa que cortei). Se você quiser me apoiar, ficarei muito feliz em participar!", escreveu em sua postagem. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários