Evan Rachel Wood e Marilyn Manson
Reprodução
Evan Rachel Wood e Marilyn Manson

A atriz estadunidense Evan Rachel Wood, ex-namorada do músico Marilyn Manson, fez novas acusações ao artista no documentário "Phoenix Rising", que estreou no Festival de Cinema de Sundance. Ela afirma que foi estuprada durante as filmagens do clipe "Heat-Shaped Glasses", de 2007.

"Fizemos coisas que não eram o que me propuseram. Falamos sobre fazer uma cena de sexo simulada. Mas uma vez que as câmeras começaram a rodar, ele começou a realmente me penetrar (...) Eu nunca concordei com isso. Nunca estive em um set de gravação tão pouco profissional na minha vida", afirmou ela. Na época em que os dois começaram a se relacionar, Evan tinha 18 anos e Manson 37. 

"Eu não sabia como me defender (...) Percebi que a equipe estava muito desconfortável e ninguém sabia o que fazer (...) Fui forçada a participar de um ato sexual comercial sob falsos pretextos. Fui basicamente estuprada diante das câmeras", ressaltou. 

Ela explicou que na época, teve medo de falar sobre a violência que sofreu e que levou muito tempo para parar de se culpar e entender o que tinha acontecido. O documentário irá estrear na HBO em março. 

Em 2020, várias mulheres que se relacionavam, não só de forma amorosa, com Manson denunciaram abusos que o músico havia cometido contra elas. Em 2021, a senadora Susan Rubio, da Califórnia, pediu para que as alegações dessas vítimas fossem investigadas. No total, são 15 acusações contra Manson, que denunciam abuso, agressão e estupro. Também em 2021 o artista se defendeu e negou as acusações. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários