Criança foi vista pela última vez com a avó e com a bisavó em um hotel em Ourinhos (SP)
Reprodução
Criança foi vista pela última vez com a avó e com a bisavó em um hotel em Ourinhos (SP)

Depois de 100 dias longe da mãe, Isadora Praeiro Pedroso Ardevino, 8 anos, foi devolvida para Marina Pedroso na segunda-feira (8). A criança que foi passar as férias com a família paterna, não foi entregue ao final do recesso escolar e desde então a mãe e a polícia buscavam por ela. Isadora foi localizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em uma estrada de Mato Grosso do Sul, enquanto viajava com o avô paterno, nesse domingo (7).

A família informa que a criança está bem e em casa junto com a mãe, irmão caçula e avós maternos. 

A guarda de Isadora só voltou para Marina com a decisão da desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho, que determina a devolução da menina para a mãe em até 48 horas. De acordo com a desembargadora, o pai se mostra alheio e ignora todas as decisões, ao relutar em entregar a criança mesmo havendo a determinação de busca e apreensão.

Entenda o caso

O advogado João Vitor Almeida Praeiro Alves que é pai da menina e a enfermeira Marina Pedroso Ardevino tinham guarda compartilhada da criança desde 2017, e a casa da mãe era a referência de lar. Em 19 de outubro, a justiça determinou o fim da guarda compartilhada e determinou a guarda provisória ao avô paterno.

Leia Também

A decisão diz que o avô paterno tem condições afetivas, psicológica e material para cuidar de Isadora, por isso a concessão da guarda. No mesmo documento, o juiz ressalta que já determinou que a mãe não pode postar o caso nas redes sociais e que Marina estava descumprindo a decisão.

Entretanto, Isadora tinha seu paradeiro ocultado pelo pai e dois mandados de busca e apreensão já haviam sido emitidos pela Justiça de Mato Grosso. De acordo com a advogada da mãe, Ana Lúcia Ricarte, estes não são os primeiros mandatos, já que o pai não devolveu a criança para a mãe em outras ocasiões, inclusive em 2020. 

Da segunda vez que Isadora não foi devolvida, foi realizado um acordo na Justiça para que a criança mudasse de escola. João Vitor já processou Marina e em situações anteriores, a mãe de Isadora precisou entrar na justiça para conseguir que a menina voltasse para casa.

Em outubro, a família de Isadora realizou um processo em frente ao Fórum de Cuiabá, no Mato Grosso, pedindo agilidade de Justiça e do Ministério Público na busca pela menina. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários