sex shop
shutterstock
sex shop

Nesta segunda-feira (06) celebra-se o Dia do Sexo , que popularizou-se por conta de uma campanha de marketing de preservativos. Entretanto, no Brasil, o isolamento social aproximou as pessoas não só dos preservativos, mas também de outros produtos encontrados em sex shops. De acordo com balanço realizado pela Loja Integrada (LI), plataforma para criação de lojas virtuais gratuitas, as lojas eróticas estão entre as que mais cresceram durante a pandemia. 

Em questão de consumo, o aumento foi de 146,53% em relação ao primeiro semestre de 2020. Além disso, a criação de sex shops - em relação ao mesmo período - também teve um crescimento exponencial. Com exclusividade ao Portal iG , Pedro Henrique Freitas, CEO da LI,  comentou o "boom" no universo adulto. "Desde o início da pandemia esse nicho foi um dos que mais cresceu dentro da plataforma, faturando milhões. Só na Loja Integrada, o crescimento de lojas do ramo criadas no primeiro semestre de 2021 foi de 421%, se comparado com o mesmo período do ano passado", iniciou.

"Apostar em um nicho é uma dica importante para quem quer começar a vender pela internet. Uma dica é aproveitar datas como o dia do sexo para criar ações para fidelizar clientes e realizar mais vendas. Vale lembrar que neste ramo, escolher o parceiro de logística é muito importante, já que a descrição dos produtos na hora da entrega é fundamental”, completou Pedro Henrique, dando uma dica de empreendedorismo. Ainda de acordo com dados do mercado e de associações, as mulheres ainda são as principais consumidoras e adquirem itens para se divertir com os (as) parceiros (as), mas também para o próprio prazer e autoconhecimento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários