Mulheres na tecnologia
Foto de Christina Morillo no Pexels
Mulheres na tecnologia

Mulheres representam 20% das equipes na área de tecnologia . Para mudar este cenário, a escola de tecnologia Trybe e a XP Inc. firmam parceria e  lançam turma para curso de desenvolvimento de software web. Juntos, eles buscam, no mínimo, 30% de mulheres entre as 300 pessoas estudantes, além de 40% de pessoas pretas e pardas. A XP Inc. vai pagar metade da formação e, ao final do curso, que tem duração de um ano, as pessoas estudantes da turma vão passar por um processo seletivo para trabalhar na XP.

São mais de 1,5 mil horas de estudo, com aulas online e ao vivo, com um mínimo de seis horas de atividades por dia, seguindo um currículo dividido em Fundamentos do Desenvolvimento Web, Desenvolvimento Front-end, Desenvolvimento Back-end, Ciência da Computação, Soft Skills e Metodologias Ágeis. Até julho deste ano, 92% das pessoas formadas pela escola estavam trabalhando em até três meses após a conclusão do curso.

O processo seletivo é formado por algumas etapas. Além do formulário de inscrição, desafio prático (o material de estudo é ofertado pela Trybe, que dá o curso), testes online de raciocínio e uma entrevista virtual, as pessoas interessadas também precisam responder um questionário online.

Para estudar não é preciso ter conhecimento prévio em programação. Os requisitos são: ser maior de 18 anos; ter, no mínimo, o ensino médio completo; disponibilidade para acompanhar as aulas e atividades do curso das 14h às 20h, de segunda a sexta-feira; e ter acesso a um computador com webcam, fone de ouvido e microfone. Mais informações você encontra aqui .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários