Erika Hilton, Zezé Motta e Lumena Aleluia
Reprodução/Divulgação
Erika Hilton, Zezé Motta e Lumena Aleluia

A 14ª edição do Festival Latinidades, festival de mulheres negras da América Latina, acontece entre os dias 22 e 25 de julho. O tema dessa edição é a "Ascensão Negra" com a função de ser mais que um festival, mas um encontro de saberes e potências negras. Pelo segundo ano consecutivo, o festival acontece de forma 100% online, transmitido pela plataforma Youtube, no canal do Afrolatinas.

Neste ano, o festival homenageia a cantora e violinista baiana Rosa Passos, a artista Zezé Mota, uma das maiores ativistas da música afro-peruana e ganhadora de três Grammy Latinos Suzana Baca e a vice-presidente da Costa Rica, Epsy Campbell. A programação de abertura terá talks sobre o tema " O que é ascensão para você?", com a ex-BBB Lumena Aleluia. Durante alguns minutos, será explicado que é possível e desejável que se tenha mais perspectivas sobre o conceito de ascensão e nenhuma delas precisa estar certa ou errada e nem se sobrepor a outra.

Uma novidade desta edição é a inauguração da Casa Afrolatinas com um tour virtual. "Assim como o Festival Latinidades, a Casa Afrolatinas nasceu para ser um espaço ativador de encontros, encantos, formações e oportunidades. Uma casa de mulheres negras latino-americanas e caribenhas. Uma casa de afetos. Uma mostra de nossas cores, sabores, saberes e fazeres.Nosso sonho de ter uma casa coletiva ao longo de todo o ano encontrou lugar no Varjão, comunidade periférica, no Distrito Federal, com população de 80% de pessoas negras. Nossa história é coletiva, e a construção desse sonho não poderia ser de outra maneira. Assim nos movemos." explica Jaqueline Fernandes, co-fundadora da Afrolatinas.

A multiartista Zezé Motta, uma das homenageadas da edição 2021, faz um pocket show às 20h. A vereadora Érika Hilton, eleita na última eleição em São Paulo, participa da Latinidades Talks, com o tema: "Jornada das Pretas - a política que queremos, com Erika Hilton", para refletir o que é ascensão negra e como a ocupação de espaços de poder por corpos de pessoas negras e trans pode levar o Brasil à mudança que queremos.


Outros nomes que passam pela programação são do músico Matheus Aleluia, Jup do Bairro, Camilla de Lucas, MC Carol, Fatou Ndiaye e mais. A programação completa pode ser acompanhada aqui .


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários