Women's Health

Por muito tempo, pensava-se que essa era apenas uma daquelas histórias, meio “lenda urbana”. Mas é real: o estresse pode deixar seu cabelo branco – ou grisalho. E uma vez que ele muda de cor, nunca mais pode voltar, dizem os cientistas.

Leia mais: Guia dos cabelos brancos: 3 dicas essenciais para cuidar dos fios grisalhos

Por que o estresse pode deixar seu cabelo branco?

A causa dos cabelos brancos%2C de acordo com um estudo da Universidade de Harvard%2C é a noradrenalina%2C liberada quando as pessoas estão estressadas arrow-options
shutterstock
A causa dos cabelos brancos, de acordo com um estudo da Universidade de Harvard, é a noradrenalina, liberada quando as pessoas estão estressadas


Segundo o Daily Mail , um estudo da Universidade de Harvard em ratos descobriu que o culpado dos fios grisalhos era a noradrenalina , um hormônio liberado quando o corpo entra no modo de “luta ou fuga”. Sob imenso estresse, a noradrenalina é liberada na corrente sanguínea, onde aumenta a freqüência cardíaca e prepara o corpo para reagir a uma ameaça.

Mas essa reação parece danificar as células-tronco de melanócitos (CTMs), células da pele produtoras de pigmentos que dão cor ao cabelo. As pessoas geralmente começam a ficar grisalhas aos 30 anos e têm meia cabeça de cabelos grisalhos quando completam 50 anos.

Acredita-se que o envelhecimento prematuro , na adolescência, seja causado em grande parte pela genética. Mas se o estresse pode deixar seu cabelo branco, ou não, é uma pauta que tem sido debatida pelos cientistas há anos.

O autor sênior do último estudo, publicado na Nature , disse que a maioria das pessoas tem uma história de como o estresse causou uma reação em seu corpo. “Particularmente na pele e no cabelo – os únicos tecidos que podemos ver do lado de fora”, disse Ya-Chieh Hsu, professor de células-tronco e biologia regenerativa em Harvard. “Queríamos entender se essa conexão é verdadeira e, em caso afirmativo, como o estresse leva a alterações em diversos tecidos.”

Como o estresse age no seu organismo?

Já foi demonstrado que os hormônios produzidos em resposta ao estresse podem esgotar as células-tronco que colorem os cabelos. Mas os pesquisadores queriam determinar quais hormônios eles são – e de onde eles vêm.

Os cientistas de Harvard aperfeiçoaram as informações que têm sobre o sistema nervoso simpático , que é parcialmente responsável por essa resposta de “luta ou fuga” do corpo. Ele orienta o corpo a responder a situações estressantes ou perigosas, aumentando a freqüência cardíaca e enviando sangue aos músculos, por exemplo.

Nervos simpáticos se ramificam nas células da pele – incluindo folículos capilares – para coletar informações sobre o meio ambiente. Um efeito colateral da resposta é que a alteração dos níveis hormonais pode deformar a função das células.

Leia mais: Quero largar a tintura e assumir os cabelos brancos; o que fazer?

Os folículos capilares contêm certas células-tronco de melanócitos, que colorem a pele e o cabelo com um pigmento chamado melanina. Os pesquisadores descobriram que o estresse provoca nervos simpáticos a liberarem a noradrenalina química no sangue. A norepinefrina, um neurotransmissor produzido pelo cérebro em situações de estresse menores e crônicas, deixa o corpo mais alerta e pronto para combater o estresse. Mas também faz com que as células-tronco dos folículos capilares se ativem excessivamente, segundo o estudo.

As células-tronco passam por um processo chamado proliferação e diferenciação, onde se transformam em células especializadas. Em outras palavras, seu papel muda e eles se afastam para outras partes do corpo, deixando os folículos capilares esgotados.

A pesquisa

O estresse tem um impacto negativo muito maior do que os próprios pesquisadores pensavam arrow-options
shutterstock
O estresse tem um impacto negativo muito maior do que os próprios pesquisadores pensavam

Os ratos expostos ao estresse físico ou psicológico mostraram uma redução no número de células-tronco de melanócitos em poucos dias. Os cabelos ficaram acinzentados a um ritmo mais rápido. Nas 24 horas seguintes à injeção de noradrenalina, os camundongos haviam perdido cerca de 50% de suas células-tronco devido à proliferação. Quando os cientistas bloquearam a proliferação de células-tronco, isso impediu a perda de células-tronco de melanócitos e cabelos grisalhos nos ratos.

O Dr. Hsu disse: ‘Quando começamos a estudar isso, eu esperava que o estresse fosse ruim para o corpo. Mas o impacto negativo do estresse que descobrimos estava além do que eu imaginava. Após apenas alguns dias, todas as células-tronco regeneradoras de pigmentos foram perdidas. Depois que eles se foram, você não pode mais regenerar o pigmento. O dano é permanente.

O estudo mostra que o envelhecimento é causado pela ativação do sistema nervoso simpático, ao contrário das teorias anteriores.

Há muito se pensa que o estresse pode fazer com que o sistema imunológico ataque células-tronco que pigmentam os cabelos e a pele. Ou que o hormônio cortisol, conhecido como “hormônio do estresse”, foi o principal culpado. No entanto, os pesquisadores de Harvard refutaram essas duas teorias em seus próprios experimentos.

Leia mais: Cabelo branco nórdico é nova tendência para ousar além do platinado

O Dr. Hsu disse: ‘O estresse sempre eleva os níveis do hormônio cortisol no corpo, por isso pensamos que o cortisol poderia desempenhar um papel. Mas, surpreendentemente, quando removemos a glândula adrenal dos ratos para que eles não pudessem produzir hormônios semelhantes ao cortisol, seus cabelos ainda ficavam grisalhos sob estresse”.

    Veja Também

      Mostrar mais