O primeiro critério para definir quem deve ser cortado é a afetividade: quanto menos contato os noivos mantêm com a pessoa, menor a obrigação de convidá-la

Data marcada, noivos felizes e assim é dada a largada para a organização do casamento. Nos preparativos da festa, a lista de convidados vai definir quanto os noivos vão gastar . Buffet, bebidas, doces, lembrancinhas, número de assentos – o que influencia diretamente na decoração -, tudo é cobrado “por cabeça”. É justamente quando você começa a receber os orçamentos dos fornecedores que percebe que a lista de convidados passou dos limites e terão que enxugar alguns nomes.

Noivos devem convidar somente pessoas que sejam importantes em suas vidas
Thinkstock/Getty Images
Noivos devem convidar somente pessoas que sejam importantes em suas vidas

O que no começo parece um enorme problema pode ser encarado como uma tarefa prática, desde que se estabeleça critérios claros para enxugar a lista. No livro “Casamento Sem Frescura” (Editora Melhoramentos), a consultora de etiqueta Claudia Matarazzo é direta: escolha quem deve ou não ser convidado para sua festa pela afetividade. Com esse conceito em mente, veja sete maneiras práticas para cortar a sua lista:

1. Convide quem é realmente importante para vocês

“A melhor dica na hora de fazer a lista de convidados é lembrar das pessoas que participaram da vida dos noivos desde o início do relacionamento. Foi esse o nosso critério principal”, diz Waleska Pazelli Rosolem, que se casou em junho de 2011.

Lembre-se que quanto menor o casamento , mais exclusivo – e melhor para todos, noivos e convidados. “Devemos convidar apenas as pessoas mais próximas, tanto família quanto amigos”, defende Mário Ameni, cerimonialista que cuidou dos preparativos do casamento de Angélica e Luciano Huck.

2. Nunca foi à sua casa? Não convide!

Isso vale inclusive para parentes. Se a pessoa nunca esteve na sua casa para uma visita, nem você na dela tomando um cafezinho, não precisa convidar. Não se sinta obrigado a fazer concessões apenas por uma questão social ou profissional.

3. Preste atenção aos orçamentos

A matemática sempre ajuda a ser prático na hora de diminuir a lista. O cálculo é simples, como mostra Claudia Matarazzo em seu livro: se os noivos sabem que o buffet cobra R$ 80 por pessoa e que poderão gastar até R$ 10 mil com esse item, a lista pode ter até 125 pessoas. Ela diz, inclusive, que a tendência hoje é fazer casamentos mais enxutos, com no máximo 200 convidados. Para Mário Ameni, quem convida muita gente corre o risco de perder o tom familiar da celebração. “Fica uma festa de ninguém”, afirma.

Calculadora do Casamento: veja quanto separar do orçamento para cada item da festa e cerimônia

Regra simples para fazer uma lista proporcional: divida o total do número de convidados em três partes: 50% fica para os noivos e 25% para cada família
Thinkstock/Getty Images
Regra simples para fazer uma lista proporcional: divida o total do número de convidados em três partes: 50% fica para os noivos e 25% para cada família

4. Precisa convidar todos os colegas de trabalho?

Só quem já casou sabe quanto custa um convidado a mais na lista. E muitas vezes, não se trata de apenas mais uma pessoa, mas do clássico “um vira dois”, contando que o colega vai levar a mulher, namorada ou outro acompanhante. Ou seja, gasto dobrado. Mário diz que não é preciso convidar todos os colegas de trabalho. “Chame apenas o chefe, se for o caso, e deixe de fora os demais colegas”, diz. Panelinhas estão totalmente descartadas. Nesse caso, ou convide todo mundo ou não chame ninguém.

5. Os amigos dos pais

Existe uma regra bem prática que ajuda a orientar principalmente a seleção de convidados das famílias dos noivos. Divida o total do número de convidados em três partes: 50% fica para os noivos e 25% para cada família. Converse com os pais e explique os critérios, especialmente o da afetividade. “Os pais dos noivos não precisam convidar amigos dos amigos, colegas do bar, da academia ou do futebol de fim de semana”, orienta Mário Ameni.

6. Ex-mulher ou ex-marido

Eis uma situação delicada. Se há sentimentos mal-resolvidos, o risco de uma saia justa é evidente. O convite só deve ser feito caso exista uma relação amigável. Do contrário, marque outro dia para receber essas pessoas, de preferência após o casamento.

7. Amigos da adolescência

Se esses amigos ainda fazem parte da vida dos noivos, podem ser convidados. Porém, se for apenas uma referência do passado, não precisa. O mesmo vale para aquelas pessoas que os noivos não veem há um ou mais anos. “Caso seja uma pessoa importante que, por algum motivo, vocês não conseguem ver com a frequência que gostariam, convide sim. Mas se for alguém com quem não existe o hábito de convivência, deixe de fora da lista”, decreta Mário Ameni.

>>> Pensando na lista? Aproveite para ver 70 modelos de convites de casamento

Veja também

- 50 alianças de casamento
- 70 vestidos de noiva das passarelas internacionais
- 51 sapatos coloridos para noivas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.