Depois de tudo acabado e superado, tem quem ache boa idéia fazer uma festa bem-humorada para celebrar a nova fase

A Festa de Divórcio de Meg Sousa agradou tanto que já ganhou até Bodas de Papel Rasgado
Arquivo pessoal
A Festa de Divórcio de Meg Sousa agradou tanto que já ganhou até Bodas de Papel Rasgado
Há dois anos, a empresária Meg Sousa, 29, deu uma grande festa para amigos e familiares. Chegou de limusine, fez uma entrada, recebeu elogios pela decoração do bolo, distribuiu lembrancinhas para os convidados. Mas o maior comentário foi mesmo o motivo da festa que causou furor: sua separação. A Festa de Divórcio, como a que Meg fez após quase quatro anos casada, chega, aos poucos, ao Brasil.

Leia também:
Divórcio em cartório sobe 109% em SP
Separação dói mais que traição?
Contra a traição, mas solidárias às amantes 

“Tive que explicar mais de 40 vezes a mesma história, pelo telefone, depois de soltar os convites virtuais. As pessoas ficaram muito surpresas”, diverte-se a empresária. Passado o susto inicial, segundo Meg, todos entraram no clima e aproveitaram muito a festa.

“Fiz uma festa no mesmo formato do meu casamento, com direito a bolo, bem-separado – uma versão do bem-casado - e buffet. Só que era festa à fantasia”, conta Meg. Para ela, promover um evento alto-astral foi a maneira que encontrou de mostrar para aqueles que a amam que ela estava bem.

Nada de tristeza
Diante de convidados boquiabertos, Meg entrou no salão acompanha por dançarinos profissionais. Além disso, banda, fotógrafo e DJ foram contratados. “Eu pensei em quebrar o tabu que existe sobre o final de casamento ser sempre triste e cheio da amarguras”, afirma. Ela conta que o processo judicial foi conturbado no início, “mas, depois que entramos em acordo em algumas pendências burocráticas, estava ansiosa para começar uma nova fase da vida."

No começo, Meg queria dividir o evento com o ex-marido. Mas ele não topou. A empresária afirma que, mesmo não tendo participado, o ex não se sentiu incomodado. “Ele achou diferente e só não foi à festa porque tinha começado outro relacionamento e decidiu ser melhor ficar de fora. Meu ex-marido não ficou ofendido com a comemoração.”

O bolo é inspirado no de casamento, mas a separação faz a diferença
Arquivo pessoal
O bolo é inspirado no de casamento, mas a separação faz a diferença
Segunda edição
O sucesso enorme que a Festa de Divórcio de Meg eve foi a deixa para mais comemoração. No ano seguinte ao primeiro evento, a festa foi repetida, apenas com um tema diferente: “Bodas de Papel Rasgado”. Quando um casal completa um ano de casamento, significa que fez Bodas de Papel. Aproveitando a denominação da data, Meg resolveu que repetiria a dose.

Leia também:
Divórcio antes dos 30
Como superar uma separação depois dos 40
Perdas e disputas do divórcio podem ser evitadas

“No segundo ano, no lugar de usar branco como na primeira vez, fui toda de preto. Agora, em junho deste ano, vamos para a terceira edição”, revela a empresária. Ela diz que o tema “divórcio” acabou ficando em segundo plano. “As festas foram tão divertidas que devem virar anuais.”

Mas Meg não é a única. Só nos últimos dois meses, a organizadora de eventos Thaís Galardi fez duas festas que comemoravam separações. A primeira foi um baque, já que nem ela conhecia a modalidade. “Foi uma surpresa. Todos nós achamos que um divórcio é algo muito sofrido, mas, depois de conhecer e conversar com a nossa cliente, entendemos que ela tinha motivos pessoais para realmente celebrar a separação”, conta.

As comemorações não precisam ser grandiosas como a de Meg Sousa, mas o bom humor é comum a todas. A doceira Inês Ferreira Brito revela que fez diversas festas com o mesmo motivo, sempre reuniões nas casas das clientes. “Eu só atendi mulheres até hoje, e todas pediram o bem-separado. É um item obrigatório”, diz.

Bem-separados, hit nas festas de divórcio
Arquivo pessoal
Bem-separados, hit nas festas de divórcio
A cake designer Maria Pia   também enxerga as mulheres como as grandes consumidoras neste mercado. Ela observa o bom-humor presente em muitos destes eventos. “Na maioria dos casos, elas querem um topo de bolo divertido. Algumas já têm ideia do que querem, outras pedem sugestões. Mas normalmente é algo que mostra a mulher no controle da situação, ‘despachando’ o ex”.

Famosa por organizar festas de casamento de alto nível, a empresária Vera Simão acha que nada impede uma comemoração acerca de um divórcio. “Mas acredito que quem decide fazer este tipo de evento precisa ter muito respeito com os envolvidos, porque estamos falando de sentimentos. Não acho que mereça uma comemoração com escracho”, adverte.

Evento positivo
A especialista em relacionamentos Claudya Toledo pensa que a celebração tem a ver com a liberdade de quem não se sentia mais à vontade e feliz no relacionamento. Em sua opinião, a separação, como muitos outros momentos da vida, pode ter um ritual para marcá-la. “O ritual, uma festa nestes casos, mostra o fim de um ciclo e início de outro. É o começo de uma vida nova e, espera-se, mais feliz e prazerosa.”

Ela acredita que Festa de Divórcio é um título mais claro para um movimento que existe e é socialmente muito aceito. “O homem, quando se separa, liga para amigos e vai celebrar no bar. A moça faz o mesmo, e vai para a balada com amigas solteiras. A celebração existe nestes casos também, apenas de outra forma”, afirma. Ela ressalta que o importante é que, quem está celebrando um novo momento da vida, esteja preparado para fazer disso um evento positivo.

A psicóloga e sexóloga, coordenadora do projeto AmbSex, Carla Cecarello explica que, desde que tanto a ex-mulher quanto o ex-marido aceitem isso numa boa, celebrar demonstra uma maturidade por parte de ambos. “Neste caso, o casal está feliz e conseguiu se separar de forma amigável. Isso é sempre melhor que brigas e disputas.”

O cenário muda quando a festa não passa de uma razão para “alfinetar” o ex. Esta é uma situação destrutiva, segundo a psicóloga. “Pode fazer festa, mas não haverá superação do ocorrido, muito menos esquecimento. Talvez a pessoa fique mais contente, só que será apenas por um momento ou alguns dias”.

E mais:
Contrato de namoro vira febre nos escritórios de advocacia
Evitar o divórcio é possível
Quando o divórcio é uma benção

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.