Mostra de paisagismo da 13ª Fiaflora Expogarden traz soluções criativas e de baixo custo

Alex Hanasaki trouxe materiais importados da Indonésia, como o Shiraz, que imita tijolo, e os bancos de pedra vulcânica
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Alex Hanasaki trouxe materiais importados da Indonésia, como o Shiraz, que imita tijolo, e os bancos de pedra vulcânica

Reaproveitamento de materiais, irrigação automatizada, móveis de fibras naturais, lareiras ecológicas, jardins verticais, madeiras certificadas, bambus e futons estão entre as tendências para áreas externas apresentadas na Mostra de Paisagismo da 13ª Fiaflora Expogarden, que acontece até amanhã (26/9), no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

“Os materiais sustentáveis entraram definitivamente na pauta dos profissionais, que estão investindo cada vez mais em tecnologia para atingir seus objetivos”, afirma Saide Kahtouni, presidente da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas, entidade organizadora da mostra.

Erica Ochoa reaproveitou paletes no piso e nos bancos, que têm nichos para guardar livros
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Erica Ochoa reaproveitou paletes no piso e nos bancos, que têm nichos para guardar livros

Para a paisagista Erica Ochoa, “o que se vê hoje é uma tendência cada vez maior de trazer o verde para dentro de casa. Quem não tem um espaço grande o suficiente para ter canteiros pode ter vasos de diferentes tamanhos”.

Nessa edição da mostra, Erica reaproveitou paletes para revestir todo o piso de seu ambiente. “Fiz uma pintura geométrica para dar o efeito de um tapete sob a mesa de refeições e também usei os paletes para fazer bancos com nichos para livros”, diz.

Ana Pozzi usou bolinhas de gude no espelho d´água do ambiente criado para a Mostra de Paisagismo da 13ª Fiaflora Expogarden
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Ana Pozzi usou bolinhas de gude no espelho d´água do ambiente criado para a Mostra de Paisagismo da 13ª Fiaflora Expogarden

Ana Pozzi delimitou as diferentes áreas de seu jardim com cruzetas de madeira retiradas de antigos postes da rede elétrica e trouxe um clima lúdico ao decorar o espelho d’água com bolinhas de gude.

Para tornar o ambiente acessível para cadeirantes e pessoas com dificuldades de locomoção, a paisagista cobriu o piso com tábuas de deck bem próximas umas às outras.

Rodrigo Jansen reaproveitou tábuas de pinus e luminárias antigas em seu jardim sustentável
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Rodrigo Jansen reaproveitou tábuas de pinus e luminárias antigas em seu jardim sustentável

O biólogo e paisagista Rodrigo Jensen também reaproveitou materiais em seu jardim. “Transformei tampas de metal em tanques e luminárias antigas em fontes. No piso, usei tábuas de pinus que sobraram de obras.”

Os investimentos em plantas também foram baixos no jardim de Jansen e as espécies escolhidas – palmeira fênix, moreia, orquídea, aspargo-rabo-de-gato, bambu-mossô e jabuticabeira – são de fácil manutenção. “Minha intenção foi mostrar que, diferentemente do que muita gente pensa, o paisagismo é acessível a todos. Basta fazer as escolhas certas.”

Madeira e tijolo aparente marcam o espaço de Ronaldo Kurita
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Madeira e tijolo aparente marcam o espaço de Ronaldo Kurita

As plantas de fácil manutenção foram prioridade também para Ronaldo Kurita. “Quando investimos na área externa, queremos que ela fique bonita o ano todo”, diz.

Kurita optou pelo estilo contemporâneo pontuado por elementos rústicos, como o tijolo aparente e a madeira em seu estado natural. “Achei importante também usar diferentes tons de verde para cada plano, para não deixar o espaço chapado.”

Lareiras ecológicas

A praticidade e o design arrojado, aliados ao baixo consumo de gás carbônico, colocaram a lareira ecológica entre os produtos mais solicitados pelos clientes. Prova disso é que ela aparece em vários dos jardins desenvolvidos para a Mostra de Paisagismo desse ano.

O pandanus aparece cercado por pacovás, filodendros, samambaias, asplênios e zamias no jardim de Alex Hanazaki
Divulgação
O pandanus aparece cercado por pacovás, filodendros, samambaias, asplênios e zamias no jardim de Alex Hanazaki

Na Praça do Fogo, de Alex Hanazaki, a lareira é o elemento central da área coberta. “Usei o recurso do fogo para aumentar a plasticidade, além de trazer mais um elemento da natureza para o ambiente”, afirma.

Para o deck e o pergolado, o paisagista escolheu o pinho cilíndrico de reflorestamento. A parede foi coberta por shiraz, revestimento que imita o tijolo, e os bancos são feitos de hitan, pedra vulcânica - ambos trazidos da Indonésia.

Na parte descoberta do ambiente criado por Hanazaki, chama atenção a enorme árvore pandanus. Também foram plantadas as espécies asplênio, zamia, samambaia-crespa, bambu-da-fortuna e filodendro.

Sara Palamini e Meire Lemes usaram bromélias, pacovás, bambus-mossô e fórmios em seu projeto
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
Sara Palamini e Meire Lemes usaram bromélias, pacovás, bambus-mossô e fórmios em seu projeto

A lareira e a madeira aquecem o ambiente de Sara Palamini e Meire Lemes, pensado de acordo com os princípios do feng shui. Segundo a terapia chinesa, a presença dos cinco elementos da natureza traz harmonia aos espaços.

“Daí a opção pelo uso de água (no espelho d´água), terra (para as plantas), madeira (no deck), fogo e metal (na lareira)”, explicam as paisagistas.

O pergolado, o bambu, a lareira e o lago ornamental dão o tom do ambiente de Mônica Rio Verde
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
O pergolado, o bambu, a lareira e o lago ornamental dão o tom do ambiente de Mônica Rio Verde

No Lounge Al Fresco, da paisagista Mônica Rio Verde, a lareira faz um contraponto ao lago de carpas e aquece o ambiente, coberto por um pergolado de madeira tratada. Espécies como o bambu e a samambaia trazem o ar tropical ao espaço.

Jardins verticais

Um dos principais artifícios usados por quem não tem muito espaço para cultivar o verde em casa, o jardim vertical permanece em alta. Os irmãos Luiz Felipe e Luiz Gustavo Camargo Gomez desenvolveram um jardim vertical de samambaias com vasos em estrutura metálica, trazendo o clima tropical para o ambiente inspirado no Marrocos.

A mistura entre elementos de decoração marroquina e espécies tropicais marca o espaço dos irmãos Luiz Felipe e Luiz Gustavo Camargo Gomez xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZ
Guilherme Lara Campos / Fotoarena
A mistura entre elementos de decoração marroquina e espécies tropicais marca o espaço dos irmãos Luiz Felipe e Luiz Gustavo Camargo Gomez xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZ


“Escolhemos acessórios de decoração marroquina e tons de palha e laranja, que remetem ao país, além da primavera, flor bastante usada nos jardins de lá”, afirma Luiz Gustavo.

No Espaço Natureza Viva, de Soraia Vitiello, o jardim vertical aparece em vasos de bambu, rodeados por diversas espécies tropicais, como filodendros, cicas, ripsalis, palmeiras, clúsias, orquídeas, lírios-da-paz e samambaias.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237783745760&_c_=MiGComponente_C

O reuso de materiais que seriam descartados reforça o conceito de sustentabilidade apresentado na mostra. A profissional utilizou cascas de árvores e lascas de bambu para forração, assoalho de demolição e paletes no piso, banco de cascas de palmeira de jerivá, espreguiçadeira de troncos de araucária e tapetes de fibras naturais.

Serviço

13ª Fiaflora Expogarden
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
Endereço: Av. Olavo Fontoura, 1209, Santana - São Paulo (SP)
Data: até 26 de setembro
Visitação: quinta e sexta, das 12 h às 21 horas, sábado e domingo, das 10 h às 21 horas
Ingresso: R$ 15,00


_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGCompLinks_C%2FMiG_Detalhe&_cid_=1237783692401&_c_=MiGCompLinks_C


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.