Unhas fracas, manchadas e quebradiças têm solução

Cuidados simples garantem unhas bonitas e saudáveis. Dermatologistas explicam o que causa os problemas mais comuns e indicam soluções

iG São Paulo

Unhas quebradas, manchadas ou encravadas. Difícil é não se chatear com esses problemas tão comuns. A boa notícia é que, na maioria dos casos, eles também são fáceis de resolver. Ter unhas saudáveis e bonitas depende de poucos e importantes cuidados, que não tomam muito tempo e podem ser incluídos facilmente na rotina.

As unhas frágeis são apontadas por Tatiana Villas Boas Gabbi, dermatologista responsável pelo ambulatório de doenças das unhas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), como um dos males mais recorrentes. Entre as suas consequências: quebram com facilidade, inclusive em camadas, ganham manchas brancas ou amarelas e descascam.

Thinkstock/Getty Images
Cuidados simples garantem unhas fortes, hidratadas e protegidas dos problemas mais comuns

As causas, segundo a especialista, estão relacionadas a hábitos que podem causar desidratação nas unhas. “Tem a ver com o que cada pessoa faz, como usar esmalte, lavar louça, mexer em produtos de limpeza, em temperos etc. Tudo isso pode enfraquecer a unha”, explica. Sergio Hirata, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e professor adjunto de dermatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), ainda destaca a carência de vitaminas no organismo, os traumas físicos e, mais raramente, a presença de doenças sistêmicas - problemas na tireoide e anemia, por exemplo.

Para evitar que as unhas fiquem frágeis, um bom primeiro passo é usar luvas na hora do contato com água e com produtos químicos, como detergente. Outras dicas de Tatiana são: tirar o esmalte com removedor de unhas e não com acetona, que é mais agressiva; lavá-las após o uso do removedor, retirando-o todo; e usar algum creme hidratante depois do contato com umidade, para mantê-las hidratadas e fortalecê-las.

Agora, se as unhas já estiverem apresentando sintomas de que estão frágeis, passar uma base fortalecedora, que tenha formaldeído na fórmula, pode ajudar. Mas vá com calma: “O abuso deste produto pode levar a uma piora do problema, já que o formol causa ressecamento”, alerta Tatiana.

Caso as unhas continuem quebradiças e manchadas, o ideal é procurar um dermatologista. “Pode ser necessário, em algumas situações, a realização de exames para chegarmos a um diagnóstico. Assim, podemos prescrever o tratamento adequado, que pode ser com produtos como loções, esmaltes e cremes específicos, ou até mesmo a utilização de medicamentos via oral”, fala Francisco Le Voci, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.
 

Unhas sempre feitas
Quem vai à manicure semanalmente ou faz as unhas em casa com regularidade pode comemorar. Os especialistas avisam que não há problema nenhum em trocar de esmalte com frequência. “Só devemos alertar para que sejam utilizados produtos de boa qualidade e para que a manipulação das unhas seja feita com extremo cuidado, evitando que ocorram ferimentos”, diz Le Voci.

Higiene também é essencial, ressalta Tatiana. “É preciso utilizar instrumentos que tenham sido esterilizados adequadamente. Não adianta só levar o alicate de casa sem higienizá-lo adequadamente. Se o material fica sujo, uma bela hora pode aparecer um problema de saúde. Lavá-lo com detergente, igual lavamos a faca e o garfo, é necessário”, defende.

Le Voci ainda chama a atenção para as cores dos esmaltes que podem deixar as unhas amareladas temporariamente. “Os tons vermelho, laranja e marrom contêm certas substâncias de base amarela, e são esses resíduos que deixam manchas nas unhas.” O efeito, porém, é passageiro e não indica um problema maior. É recomendável apenas revezar essas tonalidades com cores mais claras, para evitar que as unhas fiquem manchadas por muito tempo.

Contrariando o que a maioria faz, os especialistas reforçam que, na hora de fazer a unha, o melhor é manter a cutícula, protetora das unhas. “É possível ficar sem mexer nas cutículas e ter unhas bonitas e saudáveis”, fala Le Voci. “A sua retirada pode facilitar a ocorrência de infecções por fungos ou bactérias”, complementa Hirata.

Thinkstock/Getty Images
Prefira não retirar as cutículas, e corte as unhas dos pés sempre quadradas


Ao retirar a cutícula, sofre-se o risco ainda de ganhar manchinhas brancas e ondulações nas unhas. “Geralmente, isso acontece porque quem está fazendo a retirada da cutícula está usando muita força na matriz ungueal ao empurrar a cutícula”, fiz Tatiana, referindo-se à base da unha, onde ela tem origem. “Por isso, a reação é nascer com esses probleminhas. E, para que eles sumam, só deixando-a crescer”, acrescenta.

O que não pede regras nas unhas das mãos é o seu formato, que pode seguir a preferência de cada uma. Tatiana só recomenda não deixar as garras muito longas, pois atos cotidianos, como bater a ponta das unhas nas teclas do computador, podem levantá-las, causando descolamento, o que leva a unha a ficar amarelada e facilita a entrada de fungos embaixo dela. “Nesse caso, tem de cortar a unha até o local do descolamento e esperar crescer. E é melhor fazer esse procedimento em um consultório médico”, diz a dermatologista.

Se nas mãos o formato das unhas pode variar de acordo com o gosto da dona, nos pés a regra é cortá-las quadradas. “O corte errado, em especial se os cantos forem manipulados excessivamente, é a maior causa de formação de unhas encravadas, que muitas vezes necessitam de tratamento cirúrgico para a sua correção”, diz Le Voci. Deixar as unhas compridas também não é recomendável, já que o atrito causado ao usar sapatos fechados pode levar ao descolamento da unha.
 

Micose e problemas mais sérios
Outro mal comum, segundo os especialistas, é a micose, infecção causada por fungos. Os seus sintomas são unhas esbranquiçadas, ocas e grossas, que tendem a favorecer o encravamento. “Para a indicação de tratamento, deve-se procurar um dermatologista, que vai avaliar a intensidade do problema”, afirma Le Voci.

Tatiana ainda alerta para o caso de as unhas apresentaram manchas avermelhadas, acastanhadas, esverdeadas ou azuladas. “Qualquer lesão dolorosa ou que altere a superfície da unha, causando manchas escuras, pode ser um problema mais sério, que necessita de tratamento cirúrgico”, encerra.
 

>>> Assine a Newsletter, curta nossa página no Facebook e siga o @iGBeleza no Twitter <<<

Leia tudo sobre: UnhasManicureEsmaltes

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG