Programa criado na Austrália foca em uma alimentação com até 50 gramas de carboidratos por dia combinada com alimentos ricos em fibras e gorduras

Uma organização australiana criou uma nova dieta que pode não só ajudar as pessoas a conseguirem emagrecer como também melhorar a saúde como um todo. Focando em uma alimentação low carb, a diferença desta vez é a combinação de alimentos ricos em proteínas e gorduras não saturadas, como abacate, nozes e óleos vegetais.

Leia também: Cortar glúten e lactose é mais saudável e ajuda a emagrecer?

Dieta low carb recomenda até 50 gramas de carboidratos por dia – dá até para incluir um pãozinho de vez em quando
Shutterstock
Dieta low carb recomenda até 50 gramas de carboidratos por dia – dá até para incluir um pãozinho de vez em quando

Leia também: Aposte nos chás para recuperar o pique e desinchar depois da folia

Grant Brinkworth, professor e coautor da nova dieta low carb , explica em entrevista ao "Daily Mail Australia" que estudos indicam que a dieta, mais usada para tratar de sobrepeso, obesidade e diabetes tipo dois, também pode gerar resultados positivos em outras pessoas. “Não proibimos o consumo de carboidratos, apenas colocamos um limite nele.”

Segundo o programa da Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, o recomendado são 50 gramas de carboidratos por dia, com alimentos ricos em fibras e cereais e pães com baixo índice glicêmico.

Leia também: 10 truques para "enganar" a mente e comer menos

A dieta, publicada no livro “The CSIRO Low-Carb Diet", libera também sobremesas, relativamente saudáveis, para que as pessoas possam aderir ao programa com mais facilidade. A diferença é que os doces são mais naturais, evitando o uso desnecessário de açúcar.

Os especialistas evitam fazer restrições rigorosas, um dos motivos pelos quais muitas pessoas acabam desistindo de programas de reeducação alimentar. O foco aqui, entretanto, não é nenhum segredo: dá para comer de tudo, mas sem exageros.

Estudo

Programa pede a combinação de carboidratos com alimentos ricos em proteínas e gorduras não saturadas, como abacate
Shutterstock
Programa pede a combinação de carboidratos com alimentos ricos em proteínas e gorduras não saturadas, como abacate

Os pesquisadores analisaram dois grupos de voluntários: um que seguiu uma dieta de mais carboidrato e menos gordura e outro grupo com o programa de menos carboidrato e mais gordura. Todos os participantes eram obesos ou tinham sobrepeso no início do estudo, além de serem portadores de diabetes tipo dois.

Leia também: Goiaba para emagrecer e ainda evitar flacidez; veja mais benefícios

Ambos os grupos apresentaram perda significativa de peso, mas os resultados daqueles que seguiram o low carb foram ainda maiores, incluindo uma redução de 40% em relação aos medicamentos que precisam tomar. Além disso, os pacientes aderiram com maior facilidade ao programa. Um dos motivos é que a dieta é mais flexível em relação a lanches e doces.

    Leia tudo sobre: Dieta
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.