Tamanho do texto

Vic Ferreira tem 18 anos e escreve ao iG Tenn todas as terças-feiras para falar sobre as descobertas da vida na adolescência

Depois dos 10 anos, perdi todos os cachinhos que meu cabelo formava. Eles deram espaço a um cabelo totalmente indefinido, com partes lisas, outras onduladas e alguns cachos escondidos. Essa mistura resultava em um cabelo volumoso, com o qual não sabia lidar e, por isso, vivia de cabelo preso. Aos 13 anos fiz a minha primeira escova progressiva e desde então, o processo se tornou parte da minha rotina, pelo menos uma vez ao ano. 

Meus cabelos de volta ao natural
Arquivo pessoal
Meus cabelos de volta ao natural


No início desse ano, depois de 5 anos do início da química, decidi que queria conhecer meu verdadeiro cabelo, que não faria mais a viciante escova progressiva. Comecei a aplicar o produto no auge da minha pré-adolescência, fase que inicia uma cascata de mudanças, inclusive nos fios do cabelo, por isso, agora que decidi abandonar a química, não faço  ideia de como meu cabelo vai ficar. Mas passei por cima de todos os medos, indecisões e padrões, dei início à transição capilar.

Leia mais:  Qual o tipo ideal de cabelo? Não sei! Cada um deve escolher o seu

Esse é o processo de retirada de todos os produtos em busca da textura natural do cabelo. Deixa-se o cabelo natural crescer da raiz até um comprimento ideal, na sua opinião, para o chamado big chop (ou BC): um grande corte que tira todas as pontas lisas e com química restantes.

Esqueça padrões e seja feliz

Qual o tipo ideal de cabelo? Não sei! Cada um deve escolher o seu
Reprodução/Pinterest
Qual o tipo ideal de cabelo? Não sei! Cada um deve escolher o seu

O primeiro passo para iniciar um processo como esse é se desprender de alguns padrões que estão presos a nós mesmas e amar quem você é. Você não PRECISA ter cabelo liso para ser bonita, não existem cabelos ruins e a opinião dos outros não importa se você estiver feliz com sua decisão.

Acho muito importante dizer que sim, estamos vivendo uma onda de aceitações capilares, mas isso não torna o cabelo cacheado moda, isso o torna simplesmente natural. Não se sinta forçada a abandonar a química ou a chapinha porque todos dizem que é o melhor. O melhor mesmo é fazer aquilo que nos faça feliz.

Velho cabelo novo, e agora?

Estou há seis meses sem a progressiva. Nesse meio tempo, cortei mais de 30 centímetros de meu cabelo, por isso grande parte do comprimento com a química foi embora. Já consigo ver cachos se formando em algumas partes do meu cabelo e nunca me senti tão feliz. Não vai ser fácil, mas vai valer a pena.

Também conto com a ajuda de vocês para fazer dessa coluna a mais interativa possível. Quero saber o que vocês querem ler, o que vocês estão achando do que escrevo e por aí vai, vale mensagem no Twitter, Instagram , Facebook  e até no meu blog , porque redes sociais não faltam, não é mesmo?! 

_______________________________________________________________________

Victoria Ferreira tem 18 anos e escreve às terças no iGTeen
Arquivo pessoal
Victoria Ferreira tem 18 anos e escreve às terças no iGTeen

* Victoria Ferreira tem 18 anos e escreve às terças no iGTeen
Victoria Ferreira é do signo de Áries, fotografa iniciante e estudante do primeiro semestre de Jornalismo. Cupim de livros, rata da internet e viciada em séries. Gosta de conversar sobre tabus e assuntos que mais ninguém gosta de falar: "Para mim, os assuntos que as pessoas mais temem debater são os mais importantes". Vive em uma eterna discussão consigo mesma e sua cabeça nunca para. Foi exatamente por isso, que começou a escrever: para colocar esses pensamentos no papel, ou nas telas, melhor dizendo.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.