Tamanho do texto

Por causa da idade, Ana Maria precisou recorrer à bancos de óvulos e sêmen para realizar a fertilização e teve um acompanhamento constante do médico

Aos 61 anos, Ana Maria Pontelo Moreira realizou um sonho: ser mãe. Depois de cinco anos de tratamento para engravidar, a técnica de enfermagem que mora em Londrina, no Paraná, deu à luz bebê na última quarta-feira (30). O menino, Ian, nasceu com 3,4 kg e 47,5 centímetros. 

Leia também: Com saúde debilitada, indiana de 75 anos dá à luz primeiro filho biológico

Ana Maria com o filho, Ian arrow-options
Reprodução/RPC
Ana Maria deu à luz Ian aos 61 anos de idade; o bebê nasceu com 3,4 kg e 47,5 centímetros

Segundo informações da emissora local  RPC TV , Ana Maria já estava na fila de adoção com o marido, mas quando os dois se divorciaram ela decidiu começar o tratamento para engravidar. Para ter um bebê como mãe solo e na terceira idade, ela optou pela fertilização in vitro com óvulos e sêmen de doadores anônimos. 

"Como fazia muitos cursos, faculdade e trabalhava o sonho foi adiado. Mas, em 2014 comecei o tratamento de fertilização porque não tenho parceiro. A gestação foi tranquila, só tive um problema na coluna, mas fiz tratamento com ortopedista, pilates e fisioterapia. Tirando isso, foi tudo tranquilo”, diz a mãe. 

"A partir dos 40 anos não é possível mais usar os óvulos, então apelei para uma pessoa mais jovem, compatível com o meu tipo sanguíneo. Para a fertilização dar certo, vários exames foram realizados. O tratamento não foi fácil", completa. 

Ian arrow-options
Reprodução/RPC
Ian foi gerado através de fertilização in vitro com óvulos e sêmen de doadores anônimos

Ana Maria teve acompanhamento médico constante durante as 39 semanas de gestação, já que pela idade a gravidez poderia ser de risco.  O pequeno Ian nasceu saudável e a mãe afirma estar "muito feliz". Para ela, ter um bebê é um sonho realizado.

Leia também: Sonho de ser mãe: em oito anos, mulher gasta R$ 277 mil em fertilização in vitro

“Espero que a minha história seja uma inspiração para outras pessoas, é muito gratificante. Sei que têm mulheres mais velhas que querem ser mães , mas têm medo. Eu realizei o meu sonho”, finaliza a técnica de enfermagem. 

    Leia tudo sobre: gravidez