Tamanho do texto

Caso serve de alerta aos pais sobre cuidados que a cama compartilhada exige

Clarke Aaronson tinha um mês de vida quando morreu após ser sufocado acidentalmente enquanto dormia na cama com sua mãe, Genna. Segundo o site “The Sun” , uma semana antes ela havia sido alertada a não compartilhar a cama com o filho, já que essa é uma das principais causas da Síndrome da Morte Súbita – óbito inesperado de um bebê.

Leia também: Dormir junto com o bebê em sofá ou poltrona aumenta o risco de morte em 50 vezes

bebê dormindo arrow-options
shutterstock
Bebê estava dormindo na mesma cama que a mãe quando foi acidentalmente sufocado e morreu

No entanto, a mãe não seguiu a orientação do médico e colocou Clarke para dormir ao seu lado enquanto assistia um filme. Genna cobriu o bebê com um lençol e logo em seguida caiu no sono. Enquanto isso, seu marido assistia TV na sala, mas também dormiu.

Seis horas depois, ela foi acordada pelos gritos do homem falando que Clarke estava morto na cama do casal, pois havia sido sufocado . Como era de se esperar, a mãe se sentiu culpada, pois a morte foi causada pela sua negligência.

Leia também: O que fazer para os filhos superarem o medo de dormir sozinhos? Veja dicas

O caso aconteceu na Flórida, Estados Unidos, em janeiro de 2018, mas apenas na última semana a justiça decidiu o que aconteceria com Genna. A mulher não será presa pelo o que aconteceu, mas deve cumprir 300 horas de serviços comunitários, além de frequentar a terapia e aulas para pais.

De acordo com o relatório do Departamento de Crianças e Famílias da Flórida, "ambos os pais foram responsáveis por permitir que ele dormisse em uma situação insegura que acabou causando a sua morte".

Leia também: Estudo sugere técnica de como fazer um bebê dormir durante a noite inteira

Alerta aos pais

pais compartilhando cama com filho arrow-options
shutterstock
A prática da cama compartilhada exige alguns cuidados, como tirar de perto do bebê objetos que podem sufocar

Compartilhar a cama com o bebê pode ser muito perigoso, mas a prática não precisa ser totalmente excluída da família. Basta adotar alguns cuidados para garantir a segurança na cama compartilhada :

  • O espaço ao redor do bebê deve ser livre de travesseiros, coberta ou qualquer outra coisa que possa sufocá-lo
  • Não é indicado deixar outras crianças e animais de estimação na mesma cama
  • Garanta que não existe  a possibilidade da criança cair ou ficar preso entre o colchão e a parede
  • Nunca deixe o bebê sozinho na cama