Tamanho do texto

Milli Richards sofreu com a depressão pós-parto após o nascimento da segunda filha e hoje fala abertamente sobre isso para ajudar outras mães

Milli Richards, 35 anos, decidiu falar abertamente sobre a depressão pós-parto durante um evento britânico de conscientização sobre saúde mental para ajudar outras mulheres que estão na mesma situação.

Leia também: Insegurança, pensamentos ruins e ansiedade: dramas das mães de primeira viagem

Mãe e bebê
Reprodução/Facebook
Milli Richards, 35 anos, enfrentou a depressão pós-parto quando sua filha mais nova nasceu em 2018

Após o nascimento da sua segunda filha, em março de 2018, Milli precisou enfrentar uma depressão pós-parto severa. Mãe de outra garotinha, Aida, três anos, a britânica começou a temer que sua filha pudesse fazer algum mal para o bebê. Ela também chegou a pensar que estranhos raptariam a sua filha ou até mesmo que ela faria algum mal às meninas.

Leia também: Mãe se arrepende do segundo filho e quer colocá-lo para adoção

“Após Winnie nascer, comecei a ter pensamentos aterrorizantes sobre todas as coisas terríveis que poderiam acontecer com elas, incluindo que eu mesma agia de maneira horrível”, relata. “Fiquei com medo de que Aida matasse Winnie com uma das facas de casa”, completa.

Em entrevista ao jornal “Daily Mail” , a mãe fala que a depressão sempre foi presente na sua vida, mas que após o nascimento da segunda filha agravou e ela decidiu procurar ajuda psicológica para lidar com o transtorno mental .

Leia também: Como evitar a ansiedade e lidar com os momentos de crise

Um mês após o nascimento da filha, um psiquiatra a diagnosticou com depressão pós-parto . Aos poucos, Milli começou a melhorar e hoje fala sobre o assunto para que outras pessoas também consigam se curar. “Todos nós precisamos conversar mais sobre depressão e outros problemas de saúde mental e sermos mais abertos com esses temas”, diz.