Tamanho do texto

A mãe não é casada e as meninas são filhas de pais diferentes. Por isso, o pastor da escola disse que ela vive de modo “inconsistente” às normas

Duas irmãs de Ohio, nos Estados Unidos, foram expulsas da escola Chapel Hill porque, segundo o pastor John Wilson, que administra o colégio, a mãe delas “vive em pecado”.

Leia também: Para viajar pelo mundo, pais vendem casa e tiram filhas da escola

irmãs
shutterstock
Duas irmãs são expulsas da escola após pastor dizer que a mãe vive de modo “inconsistente” em relação à regras do colégio


Summer Grant, mãe das duas irmãs , não é casada, e as garotas – uma de 10 anos e outra de 8 –, são filhas de pais diferentes. Esse foi o motivo dado pelo pastor da escola cristã para expulsar as meninas, de acordo com informações da emissora americana  WKYC .

A mãe disse ao canal que as filhas nunca tiveram nenhum problema de comportamento e que estudaram na Chapel Hill por anos. A situação ganhou um rumo inesperado quando Wilson chamou Summer para conversar e fez críticas relacionadas ao modo como a mulher vive.

Leia também: Professora "imita" aluna e corta cabelo depois de criança ser vítima de bullying

O diálogo entre eles foi gravado, e o pastor afirma que a mãe viola as normas da instituição por ter filhas de pais diferentes e morar com um homem sem estar casada com ele.

Summer condenou a atitude de Wilson ao dizer que ela “vive em pecado ” e fazer isso interferir no estudo das garotas. “Isso não é justo. Como cristão, ele não deveria me julgar nem poderia tomar uma atitude que afetasse a educação das crianças”, desabafa.

Por meio de um comunicado oficial, o pastor John Wilson enfatizou que os pais dos alunos devem assinar um termo de “compromisso deles com Cristo”, e condenou o modo “inconsistente” que Summer e sua família vivem em relação às normas do colégio .

Leia também: Escola simula formatura em hospital para pai ver filha formada antes de morrer

A escola Chapel Hill disse que os pais devem concordar com as regras de conduta expostas e que essas políticas incluem comportamentos relacionados à segurança dos estudantes.

A mãe lamenta, principalmente, que a expulsão acabe com a bolsa de estudos das filhas e declara que, a essa altura do ano letivo americano (que começa entre agosto e setembro e termina entre maio e junho), as irmãs não vão conseguir ingressar em escolas públicas.