Tamanho do texto

Mãe de três, a atriz norte-americana acredita a criação sem gênero é a mais adequada, já que não é possível saber com o que vão se identificar no futuro

A velha história de que os meninos brincam de carrinho e as meninas brincam de casinha já não faz mais sentido para muitas mães. É sobre isso que a atriz norte-americana Kate Hudson fala em uma entrevista recente ao “AOL”.

Leia também: Parentalidade neutra: americanos falam como criam filhos sem diferença de gênero

Kate Hudson revela em entrevista que prefere ter uma abordagem individual e sem gênero na educação dos filhos
Reprodução/Instagram
Kate Hudson revela em entrevista que prefere ter uma abordagem individual e sem gênero na educação dos filhos

Mãe de três filhos, Kate Hudson comenta que optou por ter uma abordagem sem gênero na criação de Rani, de três meses, Bringham, de sete anos e Ryder, de 15 anos. Como os dois filhos mais velhos são meninos, a atriz foi questionada se a criação da caçula é diferente pelo fato de ela ser menina.

“[Ter uma filha] não muda minha abordagem como mãe, mas definitivamente há uma diferença”, fala. Apesar dessa diferença, Kate continua dizendo que prefere adotar uma abordagem de criação individual para cada um de seus filhos, independente do gênero .

“Ainda não sabemos com o que ela vai se identificar”, diz. “Por enquanto, ela tem uma energia feminina incrível”, completa.

Leia também: Em anúncio, pais procuram "babá mente aberta" que trate as crianças sem gênero

Kate Hudson não é a única

Kate Hudson não é a única a criar os filhos sem estereótipos de gênero, Zoomer também é uma criança criada assim
Reprodução/Instagram @raisingzoomer
Kate Hudson não é a única a criar os filhos sem estereótipos de gênero, Zoomer também é uma criança criada assim

Aqui no Delas , já noticiamos alguns casos que chamaram a atenção nas redes sociais de pais que também criam os filhos evitam os estereótipos de gênero . Um dos casos que mais chamou a atenção foi o de  Zoomer, uma criança que não tem gênero definido.

 “O sexo não nos diz nada sobre a personalidade das crianças, o temperamento delas, suas cores favoritas, preferências alimentares, senso de humor, atitude perante às mudanças climáticas ou qualquer outra característica única. Assim como o fato de que elas têm dois braços não nos diz nada além de que elas têm dois braços”, esclarece a mãe de Zoomer no Instagram da família.

O casal norte-americano Kyl e Brent Myer escolheu criar Zoomer de forma a não estabelecer um gênero para ela. Para eles, não é necessário classificar a criança como menina ou menino e, muito menos, criar o bebê sob os estereótipos normalmente relacionados a um gênero ou a outro. Assim como Kate Hudson , eles acreditam que ainda não é possível saber com o que a criança vai se identificar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.