Tamanho do texto

Obstetra também explica o que deve ser feito em caso de aborto espontâneo

Em maio deste ano, Thaeme sofreu um  aborto espontâneo  em consequência da má formação do bebê. Hoje, na segunda gestação, a cantora adotou uma série de cuidados especiais para garantir uma gravidez tranquila e segura tanto para ela quanto para o futuro filho.

Thaeme compartilha no Instagram cuidados após descobrir trombofilia e segunda gestação após aborto espontâneo
Reprodução/Instagram
Thaeme compartilha no Instagram cuidados após descobrir trombofilia e segunda gestação após aborto espontâneo

De acordo com o obstetra Alberto Guimarães, o aborto espontâneo, como no caso de Thaeme , acontece mais frequentemente no primeiro trimestre da gestação, até 12 semanas. Na maioria das vezes, por conta de alteração no próprio embrião. Nesse caso, o médico explica que a mulher não precisa passar por nenhuma investigação ou tratamento médico antes de tentar uma nova gestação.

No entanto, quando o aborto espontâneo é tardio (a partir da 20ª semana), é importante saber os motivos que causaram. “Em geral, tem a ver com o colo do útero. O médico deve investigar as características do colo uterino. No caso de colo curto existe grande possibilidade de intervenção, um reforço para que a mulher consiga levar a gestação o mais próximo possível do termo”, explica. Portanto, diante de mulheres com um histórico de aborto tardio, indica-se uma investigação mais profunda para evitar que isso aconteça novamente.

Leia também: Sete dicas para uma gravidez saudável

Cuidados de Thaeme                                  

Thaeme fez uma série de exames após descobrir trombofilia para garantir uma gravidez saudável para ela e o bebê
Reprodução/Instagram
Thaeme fez uma série de exames após descobrir trombofilia para garantir uma gravidez saudável para ela e o bebê

No domingo (25), a cantora compartilhou no Instagram Stories, ferramenta de vídeos da rede social, a motivação do seu aborto espontâneo e a rotina de cuidados que adotou na segunda gravidez . Ela ainda fala que recentemente descobriu que tem trombofilia – uma propensão maior a trombose – o que fez com que ela redobrasse os cuidados.

A sertaneja conta que, desde quando o exame identificou a trombofilia, passou a tomar anticoagulante e usar meia de compressão. Além disso, fez uma série de exames para garantir uma segunda gestação saudável . “Fiz vários exames antes de tentar engravidar e eu já sabia que tinha um fator de trombofilia”, fala. O médico também recomendou que ela não passasse tanto tempo sentada ou deitada.

Thaeme fala que até chegou a ser criticada pela quantidade de exames feitos, mas ela garante que dessa forma se sentiu mais segura para tentar engravidar novamente. De acordo com Alberto Guimarães, os cuidados para uma gravidez após um aborto variam no caso de aborto precoce ou tardio. No caso de precoce, não é preciso esperar muito tempo. “Indica-se ácido fólico e atividade sexual”, fala. No caso de aborto tardio, é preciso passar por uma avaliação médica.

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.